Podcasts

A vida em uma pequena cidade medieval - The Limburg Chronicle

A vida em uma pequena cidade medieval - The Limburg Chronicle

Algumas cenas do cotidiano de uma pequena cidade da Alemanha medieval, registradas no século XIV.

Localizada no oeste da Alemanha, a cidade de Limburg an der Lahn tem uma história que remonta ao século IX. Um tabelião chamado Tilman von Wolfhagen escreveu uma crônica desta cidade, e muitas vezes observou alguns dos eventos locais. Aqui estão alguns trechos de seu trabalho:

1336 Além disso, nessa época, a cidade e o povo de Limburg gozavam de grande honra e prosperidade em população e riqueza; pois todas as ruas e esquinas estavam cheias de gente e mercadorias; e, quando eles entraram no campo, os cidadãos foram contados como mais de duas mil pessoas bem armadas com couraças e arreios e todos os acessórios; e aqueles que comungaram na Páscoa foram contados mais de oito mil pessoas.

1342 - No ano em que os homens contaram 1342, no dia de São Bonifácio (5 de junho), quase metade da cidade foi incendiada.

1359 - Neste ano os homens cantaram e tocaram esta música:

Deus dê a ele um ano de praga
Quem me transformou em freira.
Quem me mandou colocar esta túnica branca
E o manto negro como carvão!
E devo ser freira de verdade.
Tudo contra minha vontade?

1367 - Na época da colheita da aveia deste ano, na véspera de São Pedro ad Vincula (1º de agosto), e no Castelo de Dern, um Freiherr von Dern esfaqueou Junker Johann, filho do Conde de Dietz, para que ele morreu no local. E ele era um jovem de menos de trinta anos e de bom comprimento, tinha um rosto comprido com um nariz alto e cabelos lisos presos em uma longa cauda, ​​como era a moda da época. E o referido Johann teria sido conde de Dietz se tivesse vivido; mas caiu em outras mãos, como está escrito aqui abaixo. O dito Freiherr chamava-se Friedrich, um cavaleiro robusto de cinquenta anos, e era um Freiherr certo nascido de todos os seus quatro ancestrais. E ele foi lançado na prisão no castelo de Dern e levado para Dietz; e o conde Gerhart, irmão de Junker Johann, realizou uma corte em Reckenforst; e o referido Freiherr foi decapitado e enterrado imediatamente entre os Frades franciscanos de Limburg. Portanto, pense antes de atacar; para Salomão diz: Fremens ira nulli parcit que está sendo interpretado: “A raiva terrível não deixa o homem livre. Assim Salomão te aconselha. ”

1374 - Além disso, nessa época, uns cinco ou seis anos antes, estava no Meno um frade franciscano que foi expulso do meio do povo, por ser impuro (com lepra). Ele fez as melhores canções e canções de natal do mundo, tanto letra quanto melodias, onde vivia não o seu como na Renânia ou por aqui. E, tudo o que ele cantou, todos os homens cantaram alegremente depois dele; todos os mestres, flautistas e outros menestréis seguiram suas canções e palavras. Foi ele quem fez aquela música:

Longe da aldeia estou banido,
Todas as portas estão fechadas para me desgraçado!
Infidelidade, infidelidade é tudo que vejo
Em todas as mãos.

E aquele outro:

Maio, maio! teu feliz dia
Me vivifica para uma vida alegre.
Diga-me, o que isso tem a dizer?

E isso de novo:

A infidelidade fez seu esporte comigo!

1384 - Nesse ano aconteceu que senhores, cavaleiros e escudeiros usavam cabelo curto e coroas cortadas nas orelhas como irmãos leigos; e também os burgueses em geral e os
povo e camponeses à moda do resto.

1386 - Naqueles dias era um frade franciscano de Brabant, de nome Jacob. Ele se exibia como se fosse um Bispo Suffragan, e tivesse cartas falsificadas; no entanto, ele não era bispo. Este homem percorreu os bispados de Mainz e T rier, e consagrou e ordenou mais de três mil acólitos, subdiáconos, diáconos e sacerdotes, que agora precisam deixar-se ordenar novamente; e os homens chamavam a todos eles jacobitas, após o nome deste malandro Jacó. Eu considero este mesmo Jacó mais perverso do que Judas, que traiu e vendeu a Cristo, o Filho de Deus; pois a traição de Judas tornou-se um bálsamo e uma salvação para a semente dos homens; mas esta outra traição foi uma ruína e destruição para a cristandade; pois ele fazia com que meros leigos cantassem e lessem missas, a quem os homens consideravam sacerdotes, mas não eram nenhum. Pois, sempre que os homens achavam que erguiam o Corpo de nosso Senhor (comunhão), então eles erguiam um simulacro, de modo que os homens invocavam e adoravam um ídolo, e muitas coisas sujas aconteciam, que não posso escrever aqui. Portanto, conhecerás a forma do homem e seu rosto; pois muitas vezes o tenho visto. Era um homem esguio, de comprimento uniforme, olhos escuros, rosto comprido e nariz comprido e pontudo; e suas bochechas estavam um tanto avermelhadas, e ele se contorcia com o corpo e se curvava para cima e para baixo em grande cortesia. E ele teve um fim maléfico quando foi pego neste assunto; e isso não era mais do que justiça.

Esta tradução é de Vida na Idade Média, selecionado e traduzido por G.G. Coulton. Você pode ler este livro em Archive.org.

Imagem superior: Limburg an der Lahn retratado no século 17.


Assista o vídeo: Provins: uma cidade medieval na França (Janeiro 2022).