Podcasts

Nada mais adorável do que a primavera (jardinagem) na Paris do século 14

Nada mais adorável do que a primavera (jardinagem) na Paris do século 14

Por Danielle Trynoski

Quer saber o que plantar em seu jardim este ano? Siga o conselho de um senhor idoso que mora em uma cidade grande!

No final da década de 1390, um senhor mais velho em Paris se casou. O cônjuge? Uma jovem de quinze anos. Partindo do pressuposto de que 1) ela sobreviveria a ele e 2) ela era jovem, ingênua e precisava de conselhos, ele compilou um manual de comportamento e metodologia de administração doméstica para sua noiva para que ela tivesse um desempenho honroso para seu segundo marido e de fato , honre o primeiro. Existem três cópias de Le Mesnagier de Paris (O dono da casa de Paris) que sobreviveu do século XV e é referenciado por muitos medievalistas, incluindo Eileen Power. Tradução de Tania Bayard Um companheiro doméstico medieval: tarefas domésticas no século XIV representa cerca de um quarto do texto original e destaca o conteúdo relativo aos assuntos domésticos e ao relacionamento conjugal. Acho que ela acha muito do manual encantador com base na frase final da introdução: "Seu ensino é tão gentil quanto sensato, e muito dele é tão útil hoje quanto era seiscentos anos atrás."

Bayard selecionou sete segmentos práticos sobre jardinagem, e muitos dos conselhos ainda são relevantes para os tipos de “polegar verde” hoje. As instruções começam gerais e se desenvolvem em algo mais específico. O chefe de família pode plantar em clima úmido, mas não deve semear, pois as sementes grudam no ancinho úmido. Regue o jardim de manhã ou à noite, não no calor do dia. Além disso, corte certas plantas à tarde ou à noite, incluindo espinafre, repolho ou salsa, porque novos brotos podem ser queimados pelo sol.

No final do inverno e na primavera, o cavalheiro mostra como cultivar e cuidar de plantas específicas, incluindo sálvia (remova os galhos e folhas mortas durante o inverno), manjerona (salgada E doce; porém salgada dura apenas até a Festa de São João o Batista), e favas. A descrição das favas é mais detalhada: devem ser plantadas em épocas diversas entre o Natal e o início de março, para garantir um abastecimento contínuo, caso alguma congele e não brote. Uma vez que os brotos biquem acima do solo, eles devem ser raspados. Quando os brotos tiverem seis folhas, enxágue-os e, depois que os grãos se formarem, eles devem ser colhidos, descascados e comidos em sucessão relativamente rápida. Março é adequado para o plantio de framboesas, mas elas devem ser enxertadas quando a lua está minguando.

O texto continua neste tema, listando plantas específicas e dando marcos lunares ou eclesiásticos para designar cronogramas. Ele oferece recomendações de muitos produtos, incluindo espinafre, violetas, gillyflowers, erva-doce, salsa, repolho, azeda, manjericão, abóbora, beterraba, borragem, lavanda, clary e hortelã. Dicas de manutenção ocasionais estão incluídas, como como eliminar formigas (jogar serragem de carvalho no formigueiro e a umidade retida durante a primeira chuva irá matá-las ou forçá-las a se mover). Além disso, você sabia que solo fertilizado com esterco de vaca ou ovelha é melhor do que solo fertilizado com esterco de cavalo? Meus 21st-O pai jardineiro do século pode verificar isso! Algo a ver com o conteúdo de nitrogênio ...

Embora o conteúdo desta horta seja sem dúvida fascinante para nutricionistas, botânicos e arqueólogos experimentais, é uma indicação clara da importância do calendário sazonal, mesmo em um contexto urbano. A programação dos dias dos santos também é um jogador importante, então o intervalo entre certos feriados deve se alinhar com o ciclo de crescimento de plantas específicas. A família que produziu e leu este manuscrito era obviamente alfabetizada, portanto possuía alguma riqueza e status na Paris do século XIV. Quer soubessem ou não dos Trabalhos dos Meses ilustrados em ricos livros de orações e outras artes medievais, esta casa ainda era afetada pelos ciclos e estações agrícolas naturais.

Outro grande indicador do ciclo alimentar da cidade medieval é a falta de instruções sobre o cultivo de grãos. Claramente, os mantimentos listados aqui são “feijões pequenos” (trocadilho intencional) e os alimentos básicos medievais de cevada, painço, trigo e aveia devem ser comprados de um vendedor. Não há menção a este processo na seleção de Bayard, mas os guias de culinária contemporâneos pedem grãos primários. Em uma seção posterior da tradução de Bayard, há uma seleção de receitas que incluem farelo e aveia. A jornada do campo de trigo à mesa parisiense é assunto para outro artigo, no entanto, é interessante notar essa falta de grãos nas dicas e truques de jardinagem do cavalheiro.

Se seu jardim está florescendo e você está de olho em algo fresco, aqui está outra dica (ahem) cafona de Le Mesnagier de Paris em algo para combinar com sua salada:

Diferente de Helen, branca,
Não como Madalena, chorando,
Diferente de Argus,
Mas sem olhos,
E também pesado
Como um boi de tamanho.
Resiste ao polegar,
E está coberto de escamas,
Não branco, não choroso, mas cego,
Firme e pesado,
Com uma crosta crocante.

Você não adora um bom queijo com seus vegetais?

Danielle Trynoski é a correspondente na Costa Oeste do Our Site e anteriormente foi co-editora da The Medieval Magazine.

Um companheiro doméstico medieval: tarefas domésticas no século XIV traduzido e editado por Tania Bayard

Para saber mais sobre o Calendário Medieval, confira este vídeo do Getty.

Para obter mais informações sobre jardinagem medieval, explore estes recursos:

Postagem do blog English Heritage sobre como cultivar seu próprio jardim de ervas medieval: http://blog.english-heritage.org.uk/grow-medieval-herb-garden/

Blog do Jardim do Claustro do Metropolitan Museum of Art: http://blog.metmuseum.org/cloistersgardens/

Jardim Medieval da Universidade Estadual da Pensilvânia: http://www.psumedievalgarden.com