Podcasts

Faça este Caminho: Duas Jornadas a Jerusalém no Século XV

Faça este Caminho: Duas Jornadas a Jerusalém no Século XV


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Faça este Caminho: Duas Jornadas a Jerusalém no Século XV

Palestra de Helen Hickey

Dado no Praticando emoções: o lugar e a esfera pública conferência, realizada no Uniting Church Theology College em 7 de agosto de 2015

A peregrinação é um tema central do cristianismo. Como imagem da jornada cristã pela vida, uma jornada física para um local sagrado e uma experiência interior, o impulso e a prática das peregrinações muitas vezes se sobrepõem. A peregrinação também é um componente frequente e vital de uma ampla gama de textos medievais seculares e espirituais: o de Chaucer Canterbury Tales, Langland’s Piers Plowman ou o francês antigo de Guillaume de Deguileville Le Pèlerinage de l’Âme, que foi traduzido para O Pylgremage da Sowle, e amplamente divulgado na Inglaterra do século XV. Além disso, temos relatos de primeira mão de peregrinações do final da Idade Média.

Este artigo avalia o lugar da peregrinação a Jerusalém em dois textos ingleses do final da Idade Média: Os Itinerários de William Wey e O Livro de Margery Kempe. William Wey viajou a Jerusalém duas vezes: 1458 e 1462, Margery Kempe apenas uma vez no início do século XV. Uma das reivindicações de Wey à fama é seu primeiro uso da palavra "estações" para a série de paradas na via crucis. As 'estações' evoluiriam para ser as Estações da Cruz. Kempe é bem conhecida por sua piedade vociferante e lacrimosa, bem como por seu movimento constante em locais sagrados. Curiosamente, acredita-se que uma das inspirações de Kempe sejam as peças de York Corpus Christi.

Wey e Kempe oferecem percepções únicas sobre o desempenho da peregrinação e os motivos complexos e entendimentos sobre essas viagens. No ponto em que as experiências seculares e sagradas se cruzam, podemos mapear as emoções que acompanharam suas respectivas viagens para e através de Jerusalém. Algumas dessas descobertas perturbam uma interpretação coesa da prática da emoção na peregrinação do final da Idade Média.

Helen Hickey completou um PhD em literatura medieval na Universidade de Melbourne depois de estudar história e sociologia na La Trobe University. Em 2013, ela foi premiada com uma bolsa de viagem da Sociedade para o Estudo de Línguas e Literaturas Medievais da Universidade de Oxford para estudar o culto da relíquia de Sainte Larme (Lágrima Sagrada de Cristo). Ela tem um próximo capítulo em uma coleção editada intitulada ‘Trauma in Medieval Life’ e é membro da International Health and Humanities Network.


Assista o vídeo: In the Footsteps of Jesus: From Nazareth to Jerusalem..On.. (Pode 2022).