Notícia

Nostradamus prevê Hitler?

Nostradamus prevê Hitler?


Amplamente celebrado como o profeta de maior sucesso da Europa, Nostradamus (1503 e # 8211 1566) continua a surpreender. A formidável reputação desta figura mítica é grande, apesar de já terem se passado quase quinhentos anos desde a publicação de suas previsões sensacionais.

Médico de profissão, Michel de Nostradame de St Remy, Provence era um talento excepcional. Ele tratou e curou com sucesso as vítimas da peste no início do século XVI, recusando-se a aceitar as práticas médicas medievais convencionais, como & # 8216sangramento & # 8217, a fim de fazê-lo. Na verdade, suas técnicas curativas foram tão revolucionárias quanto suas teorias do cosmos. Quase um século antes de Galileu, Nostradamus entendeu que a Terra orbitava o sol & # 8211 anátema para a Igreja e estabelecimento do século XVI.

A Peste Negra devastou a Europa durante a vida de Nostradamus & # 8217s. Mas ele teve um sucesso notável no tratamento das vítimas.

No entanto, Nostradamus era mais conhecido como um clarividente excepcional. Seu modo de adivinhação envolvia focalizar uma tigela de água cuidadosamente posicionada sobre um tripé de latão. De 1555 em diante, ele publicou & # 8216Centuries & # 8217 & # 8211 uma série de dez volumes de previsões. O francês optou por compor suas visões na forma de quadras poéticas para evitar ser acusado de feitiçaria pela Inquisição. É por esta razão que muitas de suas previsões permanecem obscuras e só foram decifradas conclusivamente com o benefício de uma retrospectiva.

No entanto, durante a vida de Nostradamus & # 8217, surgiram evidências incríveis de seus talentos. Enquanto viajava pela Itália, ele previu que um monge obscuro que ele conheceu por acaso em um caminho rural empoeirado chamado Felice Peretti um dia se tornaria Papa. Esta profecia selvagem realmente se cumpriu quando em 1585 ele se tornou o Papa Sisto V.

Enquanto estava com um membro da aristocracia francesa, Nostradamus foi convidado a prever qual porco eles comeriam no jantar & # 8211 atrás ou branco. O francês proclamou que um lobo comeria o branco, enquanto os convidados festejariam com a fera negra naquela noite. Procurando refutar Nostradamus, o nobre instruiu seu chef a preparar o porco branco para a refeição. Mais tarde naquela noite, o anfitrião ficou surpreso ao descobrir que um lobo havia entrado na cozinha e consumido a carcaça do porco branco. Esta calamidade resultou no uso do preto como um substituto para a refeição. Assim, a previsão de Nostradamus & # 8217s se provou correta!

O Primeiro Anticristo. Nostradamus previu a vinda de Napoleão.

Mas talvez as profecias mais incríveis e perturbadoras de Nostradamus envolvam a vinda do primeiro, segundo e terceiro Anticristos: Napoleão, Hitler e o misterioso & # 8216 homem de sangue & # 8217 do Oriente (que ainda está para aparecer). Ele previu com sucesso que um & # 8216Emperador nascerá perto da Itália (Córsega) que custará caro ao Império (França) & # 8217. Napoleão de fato causou muitas perdas de vidas à França e mergulhou a Europa no caos.

O Segundo Anticristo. As atrocidades de Hitler e # 8217 foram previstas pelo clarividente francês.

No século XX, Nostradamus previu: & # 8216Besta selvagem com fome cruzará os rios, a maior parte do campo de batalha será contra Hister. & # 8217 Esta declaração é surpreendente, não apenas por causa da precisão do nome (muito perto para Hitler), mas porque quando o líder nazista atacou a URSS, suas forças realmente cruzaram muitos dos principais rios da Europa Oriental e da Rússia & # 8211 virando a maré da guerra contra o Terceiro Reich.

Nostradamus não é diferente de muitos profetas quando fala da vinda do apocalipse no final do século XX: & # 8216No ano de 1999 e sete meses do céu virá o grande Rei do Terror, antes e depois a guerra reina feliz & # 8230 & # 8217 Ele fala do & # 8216 homem de sangue & # 8217 do Oriente que aparentemente é o terceiro Anticristo. Esta figura sinistra irá desencadear a Terceira Guerra Mundial, ou Apocalipse, que resultará na destruição completa da civilização como a conhecemos! Até o momento, isso ainda não aconteceu e os estudiosos concordam amplamente que Nostradamus parece sugerir que o Anticristo final virá da China. Felizmente, no momento em que este artigo foi escrito, a China é uma nação pacífica que deseja manter, estabelecer e construir relações amigáveis ​​com outros estados & # 8211, então espero que esta seja uma das previsões que o grande francês errou.

O & # 8216 homem de sangue & # 8217 ou Terceiro Anticristo virá do Oriente. Veremos o Apocalipse em breve?

Estranhamente, Nostradamus previu a data de sua própria morte e também ordenou que uma placa de metal fosse inscrita e colocada dentro de seu caixão com ele. Quando seu corpo foi exumado em 1700 para ser levado a outro local, os espectadores ficaram surpresos ao descobrir que a placa tinha a mesma data em que haviam aberto seu caixão & # 8230


Nostradamus: o assassinato de Kennedy

Amigos
Há quarenta e cinco anos, o primeiro de dois irmãos Kennedy foi morto. Quatro séculos e meio atrás, o profeta francês Nostradamus pode ter previsto isso. Com a chegada de um novo Kennedy à Casa Branca em breve, esse sóbrio aniversário exige reflexão. Para que o que aconteceu então não volte a acontecer.

Em uma profecia indexada em 1 Q26, Nostradamus em 1555 escreveu:

Le grand du fouldre tumbe d & # 8217heure diurne,
Mal & amp predizer par porteur postulaire:
Suiuant presságio tumbe d & # 8217heure noturno,
Conflict Reims, Londres, Etrusque pestifere.

O grande homem será atingido durante o dia por um raio,
A má ação predita pelo portador de uma petição
De acordo com a previsão, outra cai durante a noite.
Conflito em Reims, Londres e pestilência na Toscana.

Com sua notável sensibilidade às principais convulsões em nossa história futura, Nostradamus provavelmente não teria perdido os assassinatos do presidente John F. Kennedy (JFK) e de seu irmão, o senador Robert Kennedy (RFK), que tanto chocou o mundo. Com o assassinato do presidente em 1963, a era de inocência americana do pós-guerra terminou e a nação enfrentou o novo realismo da guerra no Vietnã e protestos turbulentos em casa. Mas em 1968 as esperanças foram renovadas pela ascensão política de Robert Kennedy, que obteve uma vitória decisiva nas primárias da Califórnia. O carisma de Kennedy estava de volta e, aproveitando uma onda de apoio político e euforia pública, Robert parecia destinado à Casa Branca. Poucos minutos depois de fazer seu discurso de vitória, Robert Kennedy foi assassinado.

Uma infinidade de teorias de assassinato plausíveis, mas controversas, circulou desde a década de 1960, variando de uma conspiração do submundo para matar os irmãos Kennedy a um assassinato do presidente Kennedy sancionado pelo estado por Fidel Castro, ditador marxista cubano & # 8217. Tal teorização de conspiração recebeu um novo sopro de vida primeiro por Bill Kurtis & # 8217 documentário aclamado pela crítica Os homens que mataram Kennedy (1988) e mais tarde na década de 1990 por Oliver Stone & filme blockbuster # 8217s JFK, que propõe que um elemento desonesto no governo dos Estados Unidos assassinou o presidente em um golpe d & # 8217? ¬ © tat. A dramatização de Stone nos faz acreditar que o assassinato foi realizado para impedir os esforços de Kennedy em retirar as forças americanas do Vietnã e encerrar a Guerra Fria 30 anos antes. Não há como negar que as mortes de John Kennedy e seu irmão direcionaram o mundo para um novo caminho profético do acaso. Seus assassinatos podem ter ajudado aqueles com interesse na expansão contínua de um complexo militar-industrial com seu negócio altamente lucrativo de desenvolvimento de armamentos e armas. Se Kennedy tivesse vivido, talvez nunca tivesse existido um Vietnã e 60.000 americanos e dois milhões de mortes de asiáticos teriam sido evitados.

Agora, para os detalhes desta quadra.

O presidente John Kennedy foi baleado pouco depois do meio-dia, 45 anos atrás, em Dallas, Texas, em 22 de novembro de 1963. O senador Robert Kennedy foi assassinado poucos minutos depois da 1 da manhã, momentos depois de seu discurso de vitória nas primárias presidenciais de 1968. Jeane Dixon, uma das principais profetas dos tempos modernos, ganhou notoriedade internacional por prever o assassinato de JFK & # 8217 já em 1956. O portador da petição poderia ser Dixon. Nostradamus pode ter narrado sua tentativa malsucedida de alertar o presidente e, mais tarde, o senador Kennedy, que era seu amigo. A última linha data o assassinato de RFK & # 8217s por meio de eventos que ocorreram naquela época: distúrbios estudantis na França e Londres durante 1968-9, (Reims é uma sinédoque para a França) e a enchente de Florença em 1966, quando as autoridades temiam que uma peste na Toscana se seguiria ao desastre.

John Hogue
(22 de novembro de 2008)

PREDIÇÕES PARA 2013-2014

Vá em frente, clique nele. O que poderia acontecer? Este futuro ou algo melhor?


A morte de Henry II

O jovem leão vencerá o mais velho,
No campo de combate em uma única batalha
Ele vai furar seus olhos através de uma gaiola de ouro,
Duas feridas feitas uma, então ele morre uma morte cruel.

O que aconteceu:

No verão de 1559, o rei Henrique II da França (mais velho) alinhado com a justa Gabriel, Conde de Montgomery, (jovem leão), que era seis anos mais novo. O torneio foi realizado para celebrar o próximo casamento da filha do rei.

Em sua passagem final, a lança de Montgomery se inclinou para cima, estourou através da viseira mal protegida do rei (furar seus olhos através de uma gaiola dourada), e estilhaçado, de acordo com "On the Death of Henry II."

No Journal of Neurosurgery, Kamilah Dowling e James Goodrich escrevem que o rei que sangrava profusamente permanecia consciente e era "capaz de subir alguns degraus com um andar instável".

Mas estilhaços da lança haviam entrado no olho, garganta e templo do rei (duas feridas feitas uma). Apesar dos melhores esforços dos cirurgiões reais, Henrique II experimentou uma dor agonizante, convulsões e paralisia parcial (então ele morre uma morte cruel) antes de morrer em sua cama 11 dias depois.

Tudo parece muito preciso, na superfície. Mas, de acordo com "Nostradamus: The Illustrated Prophecies", a veracidade da profecia está em dúvida porque não apareceu na imprensa até 1614.


Nostradamus

Michel de Nostredame nasceu o primeiro filho de pais judeus, forçado pela Inquisição a se converter ao catolicismo. Enquanto crescia, ele passou a maior parte do tempo aprendendo línguas, matemática, astronomia e astrologia com seu avô.

Mais tarde, ele frequentou a Universidade de Avignon, onde estudou artes liberais. Ele se formou na faculdade de medicina da Universidade de Montpellier e começou um consultório particular, onde teve sucesso no tratamento de vítimas da peste em Montpellier e arredores.

Por volta de 1534 ele se casou e começou uma família. Tragicamente, a praga que ele tinha tanto sucesso em tratar anteriormente, tirou a vida de sua esposa e dois filhos.

Atormentado e perseguido pela Inquisição, Nostradamus fez as malas e viajou pela Itália e França nos seis anos seguintes.

Ele acabou se estabelecendo na cidade de Salon, França, em 1554, onde se casou com sua segunda esposa, Anne Ponsart Gemelle, com quem criou seis filhos - três meninos e três meninas.

Leia mais sobre: ​​Mistérios

Nostradamus: Quais de suas previsões se concretizaram?

Foi nessa época que ele começou sua carreira como profeta. Em 1555, aos 52 anos, ele escreveu sua primeira coleção de Séculos - um conjunto de 100 quadras. Ao longo dos próximos anos, ele completaria um total de 10 séculos. As quadras rimadas de Nostradamus foram escritas em francês com italiano, grego e latim, cheias de simbolismo e metáfora. O obscurecimento servia a dois propósitos: evitava que ele fosse julgado como mágico e também significava que as quadras podiam ser interpretadas para se adequar a várias situações.

Em 1564, Nostradamus foi nomeado Médico Real do Rei Carlos IX.

Em 1º de julho de 1566, Nostradamus ofereceu sua previsão final ao padre. Em resposta à despedida do padre de "Até amanhã", diz-se que Nostradamus respondeu: "Você não me encontrará vivo ao nascer do sol." Ele morreu naquela noite.


Avisos do Profeta: 9 previsões intrigantes da história

De premonições ao contato com o mundo espiritual, de astrólogos reais a lavradores, os profetas e médiuns do passado continuam a intrigar e mistificar. Aqui, vemos nove dos videntes mais famosos dos últimos cinco séculos.

1. Nostradamus - Ascensão de Hitler

Michel de Nostredame (1503-1566), conhecido pela forma latina Nostradamus, foi um importante homem da Renascença cujo trabalho como astrólogo o levou à corte real francesa, onde fez horóscopos para Catarina de Médicis (1519-1589) e mais tarde tornou-se médico da corte.

A imagem popular duradoura de Nostradamus é a do místico medieval barbudo sentado em seu sótão escuro, pena na mão, olhando para uma tigela de água (vidência). Aqui, o francês previu alguns dos grandes eventos da história, incluindo a ascensão de Napoleão e a queda do Muro de Berlim em 1989.

Leia mais sobre: ​​Mistérios

Nostradamus: Quais de suas previsões se concretizaram?

Uma profecia de seu livro de 1555 Les Prophéties, lê, de acordo com uma tradução:

'Nas montanhas da Áustria perto do Reno / Haverá pais simples,'

E então em outra quadra diz:

‘A maior parte do campo de batalha / será contra Hister’.

Isso foi interpretado por alguns como se referindo a Adolf Hitler. Na verdade, ‘Hister’ é outro nome para o Baixo Danúbio. A interpretação de Hitler foi feita pela escritora Erika Cheetham (1939-1998) e, apesar de ser muito contestada pelos estudiosos, continuou a dominar a imaginação popular.

Em 1983, estudiosos franceses publicaram uma grande quantidade de correspondência privada de Nostradamus e demonstraram que a maioria das "profecias" de Nostradamus que foram adotadas na era moderna são interpretações errôneas ou invenções diretas.

2. Robert Nixon - A abdicação do rei Jaime II

Conhecido como o "Profeta Cheshire", Robert Nixon nasceu em uma família de agricultores pobres em 1467. Retirado e praticamente mudo, hoje haveria um diagnóstico muito mais amável, mas no século 15 Robert era o "idiota da aldeia".

Um dia, o jovem falou e apontou assustadoramente para um boi, prevendo sua morte iminente. Os trabalhadores da fazenda chocados observaram o animal tombar e morrer na frente deles. Vidente poderoso ou veterinário iniciante? Os dignitários locais, fazendeiros e a família de Nixon ficaram intrigados e perplexos na mesma medida.

Leia mais sobre: ​​História Britânica

Uma breve história dos levantes jacobitas

Certa noite, Nixon regalou os bebedores de uma taverna local com todos os eventos futuros que vira em uma visão no céu, como a ascensão de Oliver Cromwell e a Revolução Francesa.

Provavelmente, a profecia mais famosa de Nixon dizia respeito ao rei Jaime II. O Profeta Cheshire declarou no pub:

'Quando um corvo construir seu ninho na boca de um leão de pedra no topo de uma igreja em Cheshire, um rei da Inglaterra será expulso de seu reino para nunca mais voltar.'

Duzentos anos depois, em 1688, um corvo supostamente construiu um ninho em uma gárgula no topo de uma igreja de Cheshire um dia antes de Jaime II ser destronado e exilado na França, onde morreu.

Nixon até supostamente previu sua própria morte torturante - morrer de "sede e fome" - que ocorreu depois que ele foi trancado dentro de um baú de madeira e esquecido enquanto um convidado do rei Henrique VII.

3. Elizabeth Barton - A Morte do Rei Henrique VIII

Em meados da década de 1520, espalhou-se por toda a Inglaterra a notícia de uma freira beneditina maravilhosa chamada Elizabeth Barton (1506-1534). Seus "milagres, revelações e profecias" valeram-lhe apelidos como "A Virgem Sagrada de Kent".

No início da década de 1530, a irmã Barton era popular e influente. Por um tempo, o rei Henrique VIII e seus assessores mais poderosos ficaram felizes por Barton ter legitimidade como profetisa pública porque suas "visões" encorajaram o expurgo sanguinário de Henrique de hereges e rebeldes. Mas a freira rapidamente caiu em desgraça depois de começar a profetizar que, se Henrique se divorciou de Catarina de Aragão e se casou com Ana Bolena, em um mês ele "morreria como um vilão" depois de perder seu reino.

Leia mais sobre: ​​História Tudor

O rei assassino: quantas pessoas Henrique VIII executou?

A irmã Elizabeth Barton foi executada em 20 de abril de 1534 junto com cinco de seus principais aliados. Em janeiro daquele ano, a Irmã Elizabeth foi atingida (sendo não apenas condenada à morte, mas também despojada de terras e títulos) por ser uma "falsa profetisa" que conspirou para derrubar o rei.

4. William Lilly - O Grande Incêndio de Londres

William Lilly (1602-1681), filho de um fazendeiro de Leicestershire, caminhou para Londres aos 18 anos em busca de fama e fortuna.

Em 1647 ele publicou seu Astrologia Cristã, considerada uma das obras mais importantes da astrologia ocidental. Seus 36 almanaques continham todos os tipos de profecias e predições.

Em seu livro de 1651 Monarquia ou Sem Monarquia, Lily fez desenhos que pareciam prever com precisão o vindouro Grande Incêndio de Londres de 1666, que destruiu dois terços da capital. Após o grande incêndio, essas fotos foram interpretadas como uma previsão precisa e Lilly foi levada a um comitê de investigação, acusada de iniciar o inferno ela mesma. Ele terminou seus dias de maneira bastante pacífica por causa de um profeta, morrendo na idade avançada de 79 anos.

5. O Vidente Brahan - A Batalha de Culloden

Kenneth Mackenzie não era um trabalhador rural comum. Conhecido como Brahan Seer ou Coinneach Odhar ("Dark Kenneth" em gaélico escocês), acredita-se que ele tenha nascido na Ilha de Lewis, na Escócia, no início do século 17.

Depois de adquirir a reputação de vidente local, ele foi contratado como profeta residente pelos senhores da propriedade de Brahan, perto de Dingwall, no continente escocês.

Cerca de seis milhas a leste de Inverness é Drumrossie Moor, local da famosa Batalha de Culloden de 1746, onde o exército jacobita de Carlos Stuart foi dizimado pelas forças do governo sob o duque de Cumberland.

Leia mais sobre: ​​História Britânica

Bonnie Prince Charlie: Príncipe rebelde

Em 1630, dizia-se que Kenneth Mackenzie estava caminhando por Drumrossie Moor quando de repente entrou em um fervor, gritando: ‘Oh! Drumrossie, tua charneca sombria, antes que muitas gerações passem, será manchada com o melhor sangue das Terras Altas. Que bom que não vou ver esse dia! As cabeças serão decepadas pela pontuação, e nenhuma misericórdia será mostrada. '

Mais de um século depois, Cumberland ganhou o apelido de "Açougueiro" por mostrar "sem misericórdia".

6. Jacques Cazotte - Madame Guillotine e a Revolução Francesa

Jacques Cazotte (1719-1792) foi um autor francês, ocultista e convidado frequente daquela grande instituição da França do século 18: o salão. Em um desses jantares em Paris em 1788, ele chocou os convidados ao prever que o rei Luís XVI seria executado na revolução que se aproximava, assim como muitos aristocratas, incluindo alguns presentes lá naquela mesma noite.

Em maio de 1789, a Revolução Francesa começou e muitos nobres perderam a cabeça, como Cazotte havia previsto. Poucos anos depois, em janeiro de 1793, sua profecia mais sombria se concretizou - quando o rei Luís XIV foi guilhotinado em frente a uma enorme multidão no centro de Paris.

Leia mais sobre: ​​Batalhas

Napoleão: herói imperfeito ou tirano louco por poder?

Cazotte também teve um encontro com ‘Madame Guillotine’. Se ele previu sua própria morte ou não, não se sabe, mas em setembro de 1792 ele foi condenado como monarquista pelas autoridades revolucionárias e decapitado.

7. Emanuel Swedenborg - Sua própria morte

Enigmático polímata sueco Emanuel Swedenborg (1688-1772) passou sua vida adulta viajando e estudando pela Europa.

Swedenborg afirmou ter suportado uma noite em seus cinquenta anos uma revelação angustiante de Jesus Cristo, que informou Swedenborg de sua nova linha direta com o mundo espiritual.

Swedenborg fez muitas revelações psíquicas, incluindo "ver" o desastroso incêndio de Estocolmo de 1759 acontecendo durante um jantar em Gotemburgo, a 400 quilômetros de distância.

Sua maior profecia, no entanto, dizia respeito à sua própria morte.

Em 1772 ele escreveu a John Wesley (1703-1791), o fundador da Igreja Metodista, e pediu para se encontrar com ele. Quando Wesley se ofereceu para encontrá-lo várias semanas após essa data, Swedenborg respondeu que se juntaria ao "mundo dos espíritos" em 29 de março. De fato, Swedenborg morreu naquela data, enquanto em Londres, onde foi enterrado por quase 150 anos antes de ser transferido para a Suécia.

8. Wolf Messing - A desastrosa campanha russa de Hitler

Nascido em Varsóvia, o mágico da mente Wolf Messing (1899-1974) viajou pelo mundo na adolescência fazendo apresentações públicas de seus poderes psíquicos.

Leia mais sobre: ​​História Medieval

A caça ao tesouro sagrado nazista, do Martelo de Thor ao Santo Graal

Famoso por sua lendária façanha, em que encontrou seu caminho para o quarto privado de Stalin sem ser contestado, a profecia mais assustadora de Messing ocorreu antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial. Em um teatro lotado de Varsóvia, ele disse ao público ansioso que: “Se Hitler for para a guerra contra o Oriente, sua morte o aguarda.” Ele também tinha a reputação de ter previsto quando a guerra começaria, estando fora por apenas um mês, e até aparentemente disse a Stalin, nos primeiros anos da guerra, que tivera uma visão de tanques soviéticos entrando em Berlim.

Messing era um médium talentoso ou simplesmente um adivinhador de sorte com um bom domínio de história e relações internacionais?

9. Jeane Dixon - A morte de JFK

A astróloga americana Jeane Dixon (1904-1997) afirmou que, quando jovem, uma cartomante em uma carroça coberta lhe disse que ela se tornaria uma vidente famosa.

Um preditor prolífico, Dixon foi apelidado de "o vidente nacional" pela imprensa.

Já em 1952, ela previu que um "democrata de olhos azuis" estaria na Casa Branca em 1960 e seria "assassinado ou morreria no cargo". Isso descreve com precisão o icônico presidente dos EUA, John F. Kennedy (1917-1963) - além de seus olhos, que eram "cinza-esverdeados".


Hister


Hister (genitivo Histri) é o nome latino para o Danúbio (especialmente seu curso inferior) ou para as pessoas que vivem ao longo de suas margens.

Também aparece como Ister, equivalente ao grego antigo Ἴστρος, que também significava o Danúbio ou a região ao redor de sua foz. A antiga colônia grega de Histria na Romênia de hoje foi nomeada usando esta forma do nome do rio.

O termo pode estar relacionado ao nome da região de Ístria no que hoje é o noroeste da Croácia, onde uma tribo chamada Histri viveu nos tempos antigos. Alguns pensaram que os riachos locais de água doce em Istria derivavam de um ramo sul (inexistente) do Danúbio.

Em inglês moderno, o termo é mais comumente encontrado em seu uso por Nostradamus, especialmente em uma frase na quadra II.24 comumente traduzida como "a maior parte da batalha (ou exércitos) será contra Hister":

Bestes farouches de faim fluves tranner: Além disso, part du camp encontre Hister sera, En caige de fer le grand fera treisner, Quand Rin enfant Germain observera. [Nostradamus, Les Propheties, primeira impressão 1555] e # 911 e # 93

Bestas selvagens com fome cruzarão os rios: A maior parte da luta será perto do Hister [Danúbio], Isso resultará no grande ser arrastado em uma gaiola de ferro, Enquanto o alemão estará cuidando do Reno infantil.

Isso é frequentemente interpretado como uma previsão da guerra contra o estado nazista de Adolf Hitler no século XX. No entanto, nenhuma das fontes confiáveis ​​listadas apóia essa visão. Na verdade, todos eles apontam que o nome 'Hister' (como o próprio Nostradamus explica em seu Almanaque para 1554 & # 912 & # 93) na verdade se refere em seus escritos ao Danúbio, sendo mencionado (como em outro lugar & # 913 & # 93) ao lado do 'R [h] in' (Reno) - dois rios que formavam a fronteira nordeste do antigo Império Romano. Un bien sçavant homme dans ce dernier quart se pourmenant le long de la riviere Hister dite Danube, ele escreve no Prose Presage 222, la terre se parfondant, dans ladite riviere se perdra ('Um homem muito erudito durante este último trimestre, enquanto caminhava ao longo do rio Hister conhecido como Danúbio, o solo afundando, no referido rio será perdido'). Isso é evidentemente baseado em um histórico incidente descrito pelo próprio Nostradamus em seu Traité des fardemens (Proem, p. & # 16019, 1552), envolvendo um Gaspar Ursinus Vellius consellier à Vienne en Austriche, qui un soir soy pourmenant le long du Dannube la terre se fendit, & amp tumba & amp se nya ('um conselheiro em Viena, na Áustria, que certa noite caminhava ao longo do Danúbio, o solo se partiu e ele caiu e se afogou'). No entanto, também foi reconhecido que Hitler se referiu ao Danúbio como "o rio do futuro" & # 914 & # 93 e procurou usá-lo para afirmar o controle do "coração da Europa". & # 915 & # 93 O governo nazista também sentiu que os minerais brutos na área do Danúbio eram vitais para seus objetivos de conquistar "espaço vital" suficiente na União Soviética. & # 916 e # 93


A morte de Henry II

"O jovem leão vencerá o mais velho,

No campo de combate em uma única batalha

Ele vai furar seus olhos através de uma gaiola de ouro,

Duas feridas feitas uma, então ele morre uma morte cruel. "

O que aconteceu:

O rei Henrique II da França alinhou-se com a justa Gabriel, conde de Montgomery, seigneur de Lorges, um nobre seis anos mais novo, no verão de 1559.

Em sua passagem final, a lança de Montgomery se inclinou e se estilhaçou em dois estilhaços. Um passou pela viseira do rei e atingiu seu olho, e o outro alojou-se em sua têmpora. Henry sofreu por 10 dias antes de morrer em sua cama.

Alguns relatórios dizem que seus escudos exibiam emblemas de leão, embora existam divergências. Os céticos também afirmam que o "campo de batalha" na quadra provavelmente não deveria se aplicar à justa amistosa que matou Henrique II.


Previsões do Século Pré-XX

Embora veremos algumas das previsões que ainda virão um pouco mais tarde, algumas das previsões de eventos que já ocorreram também valem a pena ser analisadas. Nem que seja para entender o lugar que Nostradamus e suas previsões ainda ocupam na consciência coletiva moderna.

Essas previsões, contidas na obra Les Propheties, são divididos em quadras - poemas de quatro linhas. Cada um deles lida com o que foi interpretado como eventos futuros de guerra, desastres naturais e eventos e encontros que abalaram o mundo.

Devemos talvez também notar que existe um corpo considerável de pessoas que suspeitam que a obra aparente seja escrita sequestrada, na melhor das hipóteses, talvez até mesmo falsificações completas, com o objetivo de usá-los para ganhos políticos e, na época, religiosos no cenário europeu. . Muitos, por exemplo, giram em torno de um aparente “fim dos tempos” e a vinda de um “anticristo”.

Vamos examinar várias das mais intrigantes dessas previsões em um momento. Primeiro, porém, vamos olhar para a previsão que firmemente arraigou Nostradamus nas mentes dos franceses e, no que diz respeito à elite da época, os europeus como o mais notável "vidente" de sua época.

A morte do rei Henrique II da França, 1559 - talvez a chave para todos eles?

Então, o que Nostradamus previu? Talvez uma das mais intrigantes de suas supostas previsões foi a morte do rei Henrique II em 1559. De acordo com o versículo:

O jovem leão vencerá o mais velho,

No campo de combate em uma única batalha.

Ele vai furar o olho através da gaiola dourada,

Duas feridas feitas uma, então ele morre uma morte cruel.

Quando examinamos a morte repentina do rei Henrique II, é fácil ver por que uma conexão seria feita com o versículo de Nostradamus.

Em 30 de junho de 1559, no palácio real em Paris, durante um torneio de justas contra Gabriel Montgomery, o rei Henrique II foi gravemente ferido quando uma farpa da justa de Montgomery o atingiu em seus olhos e têmpora. Ele ficou acamado pelos próximos dez dias, enquanto o tratamento médico era administrado para salvar sua vida. No entanto, no dia 10 de julho, ele morreu em grande agonia com a ferida e a sepse que assolou seu corpo.

Foi essa previsão que catapultou Nostradamus para se tornar uma celebridade de sua época. E é também essa previsão que pode ser a mais valiosa de todas as feitas por Nostradamus.

O que este versículo em particular também nos permite fazer é explorar brevemente algumas das afirmações de que o próprio Nostradamus, nas palavras de Manly P Hall, "pertencia à Ordem da Busca" - essencialmente, ele era um maçom sem dúvida antes do termo existir, mas dentro das sociedades que os geraram. Ele continuaria dizendo que o místico tinha acesso a “alguma fonte interna de conhecimento além do alcance dos mortais comuns”.

Uma observação lateral muito interessante

Essa previsão da morte do rei Henrique II - ela mesma quase idêntica à morte do rei merovíngio Dagoberto II - tinha mais conhecimento de sua morte simbólica e planejada?

Esta noção foi discutida longamente no livro O Templo e a Loja por Michael Baigent e Richard Leigh. E embora suas teorias sejam rejeitadas por alguns, elas são um grande exemplo de como eventos aparentemente desconexos são tudo menos isso.

Representação da justa fatal do rei Henrique II e # 8217

Sua afirmação essencial não era apenas que Nostradamus previra com precisão a morte do rei Henrique II, mas ele próprio trabalhava como "um agente" para as famílias das sociedades secretas que haviam sido representadas no passado pelos altos escalões dos Cavaleiros Templários , e acabaria, como mencionado acima, se transformando no que o mundo mais amplo conhece como Maçonaria.

A previsão não era apenas “conhecimento interno”, no entanto, era uma mensagem codificada para o suposto assassino, Gabriel de Montgomery, para realizar o assassinato. Um, como mencionamos, quase idêntico ao do Rei Dagobert II em 679 - visto como a morte que matou a dinastia Merovíngia, que agora, se transformou em famílias como os Lorraines e os Montgomerys, estavam procurando preencher a lacuna percebida pela morte de Henrique II havia partido.

Se a acusação acima for verdadeira, o que devemos fazer com a infinidade de previsões que vieram depois disso? Talvez ainda mais interessante, especialmente se aceitarmos a precisão das previsões de Nostradamus, é a garantia de Manly de que ele "escreveu a história do mundo por vir".

Um profeta? Ou um agente secreto da Elite dos anos 1500?

Com este último ponto em mente, as seguintes duas previsões de Nostradamus também são de interesse, já que há muito se diz que foram circunstâncias mais planejadas do que acidentais. E o que é mais, pelo menos de acordo com alguns, envolve as mesmas famílias das sociedades secretas envolvidas na morte do rei Henrique II.

Claro, o que isso significaria é que as conspirações de uma “elite secreta” que controlou os eventos do planeta por centenas, senão milhares de anos, são possivelmente mais precisas do que poderíamos ousar imaginar. Com isso em mente, as previsões de Nostradamus, como afirma Manly P Hall, seriam o resultado de “uma fonte interna de conhecimento” a que a maioria não tem acesso? Ele estava apenas declarando eventos planejados com centenas de anos de antecedência?

Em caso afirmativo, qual foi o propósito disso? Foi este último ato de escrever Les Propheties apenas uma maneira de Nostradamus aliviar a culpa de sua (aparente) parte na morte do rei Henrique II? Or might the predictions still act as some kind of “hidden-in-plain-sight” code, even hundreds of years later, to those in the know to access and activate at the correct time?

Out of the following disasters – each predicted by Nostradamus – came very interesting developments. Each that perhaps adds credence to the notion subscribed to by many apparent secret societies that out of chaos, comes order. First, though, check out the video below.

The Great Fire Of London

In the early hours of 2 nd September 1666, at least according to the official story, a fire in a baker’s oven on Pudding Lane would quickly engulf the entire city, lasting three days and literally burning London to the ground. Known as The Great Fire of London, the incident indirectly led to the creation of the modern London we see today.

Of the incident, Nostradamus would apparently write:

The blood of the just will be lacking in London,

Burnt up in the fire of ‘66

The ancient Lady will topple from her high place,

Many of the same sect will be killed!

What is also interesting to note is that the plague (otherwise referred to as The Black Death) was wiped out following the fire. Many point to the line “the blood of the just” as being in reference to this. Furthermore, as we mentioned above, the modern metropolis that is the London we know today was built out of the ashes of the fire.

The Great Fire of London, 1666

It is perhaps worth mentioning here some of David Icke’s research from his book The Biggest Secret. Whatever people might think of some of Icke’s reptilian theories, his connecting of dots throughout history is, at times, remarkable. Here he is demonstrating how things do sometimes have an “organized and predetermined” feel to them “under the supervision of the inner core which operates outside of the public arena”.

A Coincidental Collection Of Coincidences?

Icke draws our attention to the fact that in 1665, the British and the Dutch were at war with each other. Meanwhile, at the same time, the plague is thought to have wiped out almost 70,000 people in the English capital, with many more fleeing the city to escape the certain death the disease would bring.

Then, following the Great Fire, which leveled the center of the city to the ground, destroying hundreds of homes and buildings, plans were being made to establish William of Orange from Holland to become the King of England. This, according to Icke, is how such secret societies move and install their authority from one country to the next. Ele escreve:

When he (William of Orange) arrived from Holland to take the throne, many branches of the Brotherhood bloodlines united in London, or New Troy, to create their operational headquarters. London, thanks to the fire, had created a blank sheet of land…And who was the main architect of new London? A high initiate of the Brotherhood network called Sir Christopher Wren!

Indeed, Icke would later elaborate on how one of the main surveyors following the Great Fire of London, Robert Hooke, was part of the same Brotherhood. According to Icke, not only was the foundation (literally) put in place that projected the British Empire which controlled substantial parts of the planet for centuries, but it was built on a former place of worship to the ancient goddess, Diana, as well as being built “to a Masonic street plan”.

Speculative as those theories may be, it does pull us, albeit slightly, towards the notion of some slowly unfolding plan in place across the centuries.

The French Revolution

One of the bloodiest moments in history was the French Revolution which saw many members of the nobility, some guilty of no wrongdoing other than being born into a wealthy family, were brutally rounded up with some even falling victim to somewhat cowardly beheadings. While the rights and wrongs of such moments in history might be debated, the fact is the revolution itself was the result of constant stoking of emotions by a hidden element of society that wished change in the country but for their own agenda.

Indeed, some researchers have even suggested that the revolution was a demonstration to the British royal family of resisting the control of such secret societies (although this is pure speculation). Of the events, Nostradamus would write:

Songs, chants, and demand will come from the enslaved

Held captive by the nobility in their prisons.

At a later date, brainless idiots

Will take these as divine utterances.

The height of the French Revolution, indeed the tipping point in favor of the “peasants” was the storming and taking of the Bastille in Paris – a fortress used mostly as the city prison. Whatever the true source and motivation of the French Revolution, the events themselves and the consequences were very real. Of course, whether the above verse is making reference to such an incident is open to question.

Once more, however, if the accusation of secret society involvement in the events is true, then it vindicates the notion just a little bit more than the apparent mystic of the 1500s was, in fact, privy to secret knowledge of a world hundred years ahead of his time.

Napoleon Bonaparte And Louis Pasteur

Perhaps one of the greatest leaders in French history is Napoleon Bonaparte. According to many researchers, he was long predicted by Nostradamus, something not at all lost on Napoleon himself. Nostradamus’ writings state:

Pau, Nay, Loron, more fire than blood,

Swimming in praise, the great man hurries to the confluence.

He will refuse entry to the magpies

Pampon and Durrance will confine them.

The opening words are three towns in Paris, which according to some interpretations if the letters of which are rearranged spells “Napaulon Roy” which is said to mean Napoleon The King. That Napoleon would win power via a coup is what is referenced next, meaning that his blood is not royal. The magpies are thought to refer to his imprisonment of Popes Pius VI and VII.

As well as Napoleon and his military conquests, Nostradamus also seemingly predicted the achievements of Louis Pasteur, and in particular “pasteurization” – the process of removing bacteria which, in turn, would lead to vaccines for many diseases. Nostradamus would write:

The lost thing is discovered, hidden for many centuries,

Pasteur will be celebrated almost as a God-like figure.

This is when the Moon complete her great cycle,

But by other rumors he shall be dishonored.

There is no doubt that the pasteurization process (which is named in his honor) is the achievement which the mystic is referring to, it is perhaps interesting that he also makes reference to this being something that is “the lost thing is discovered, hidden for many centuries”. Is this a reference to advanced medical knowledge at a time in antiquity?

And it is also likely that the dishonoring is in connection with a discovery in 1995 showing that Pasteur had, in fact, used uncredited work of another scientist to make his theory work.


Nostradamus Predicts Hitler? - HISTÓRIA

What Nostradamus Said About Adolf Hister. that's right, Hister

There is a world of difference between Bible prophecy and the inspired prophets who made them and psychics such as Nostradamus and their works. The prophets of the Bible were inspired by God. The Scriptures point this out many times. For example, we read, "But know this first of all, that no prophecy of Scripture is a matter of one's own interpretation, for no prophecy was ever made by an act of human will, but men moved by the Holy Spirit spoke from God." (2 Peter 1:20,21).

Bible prophecy is completely accurate. None of the predictive prophecies of Jesus nor anyone else can be successfully attacked and dismissed. Attacks have been made, but fail because the attacker must wrestle a prophecy from its Biblical context to make any kind of negative case at all. For example, some will say Jesus' promise to establish His kingdom in the first century fail, but that is because they fail to see that Jesus plainly said that His kingdom was "not of this world." His rule was established, and He is king, and He reigns from His throne at God's right hand in the hearts of His disciples.

"But there have been other prophets than those who predicted amazing things. For example, Nostradamus predicted the rise of Adolph Hitler." The point is that the Bible is not so special if we can find similar predictive feats elsewhere. But we can't, and that includes the esteemed Nostradamus.

But what about the Hitler prophecy? Simply put, it is vague, and when read we find it does not refer to Hitler at all. Nostradamus talks about conflict, division, strife and war. He also specifically mentions the area in and around Germany. But of course this has been the site of countless battles and conflicts throughout history. Nostradamus said, "Most of the army will be against the lower Danube [Hister sera]. The great one shall be dragged in an iron cage when the child brother [de Germain] will observe nothing."

This is where Hitler is supposed to have been named by name. But it says "Hister sera" and not "Hitler." Besides that, "Hister sera" does not refer to a person at all, but to a place. It is amazing that people get all worked up over things like this, and never check them out to see if there is really any validity to them.

On the other hand, the Bible's predictions have been abundantly investigated. Isaiah, for example, really did what Nostradamus is thought to have done. Isaiah named by name a future world leader before he was born, and told what he would do, very precisely. He called Cyrus by name, and told of Cyrus' edict to have Jerusalem rebuilt (Isaiah 44:28). It is all very precise.

There simply is no comparison between modern day psychics and genuine Biblical prophets. By all means, investigate Nostradamus and the others if you must, but also investigate the Bible and see the difference!

By Jon W. Quinn
The Final Page
From Expository Files 8.9 September 2001