Notícia

5 de março de 1941

5 de março de 1941

5 de março de 1941

Março de 1941

1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
> Abril

Império francês

Weygand anuncia que o norte da África francês será defendido contra qualquer ataque



Fonte 5

Referência

Destacamos as partes do documento que aparecem na transcrição abaixo.

Transcrição Simplificada

Mensagem do Ministro da Defesa

A Batalha do Atlântico começou claramente. Nos próximos meses, devemos derrotar o esforço dos alemães para nos estrangular e nos isolar dos EUA. Para atingir este objetivo:
1 Ataque U-boats e aeronaves alemães sempre que pudermos.
2 Coloque catapultas em navios que possam lançar aviões especialmente adaptados.
3 Concentre nossas aeronaves do Comando Costeiro nas abordagens noroeste da Grã-Bretanha.
4 Temos alguns destróieres americanos antigos e eles precisam ser modernizados nas docas, mas talvez devêssemos esperar para fazer isso porque estamos com falta de navios para nos proteger contra os submarinos.
5 Faremos experiências deixando navios mais rápidos viajarem sem comboios para ver se isso os torna mais seguros de submarinos.
6 A Marinha é a primeira a reclamar todas as armas antiaéreas e similares em produção no momento. Fizemos pedidos.

Transcrição Original

ESTE DOCUMENTO É PROPRIEDADE DO GOVERNO DE SUA MAJESTADE DE BRITÂNICA

A BATALHA DO ATLÂNTICO

DIRETIVA DO MINISTRO DA DEFESA

Em vista de várias declarações alemãs, devemos presumir que a Batalha do Atlântico começou.
Os próximos quatro meses devem nos permitir derrotar a tentativa de estrangular nossos suprimentos de alimentos e nossas conexões com os Estados Unidos. Para este propósito-

1. Devemos tomar a ofensiva contra o U-boat e o Fokke Wulf sempre que pudermos e sempre que pudermos. O U-boat no mar deve ser caçado, o U-boat no estaleiro ou no cais deve ser bombardeado. O Fokke Wulf e outros bombardeiros empregados contra nossa navegação devem ser atacados no ar e em seus ninhos.
2. Prioridade extrema será dada ao equipamento de navios para catapultar ou, de outra forma, lançar aviões de combate contra bombardeiros que ataquem nossos navios. As propostas devem ser feitas dentro de uma semana.
3. Todas as medidas aprovadas e agora em andamento para a concentração da força principal do Comando Costeiro nas Abordagens Noroeste, e sua assistência na costa leste pelos Comandos de Caças e Bombardeiros, serão levadas adiante. Pode-se esperar que, com a crescente luz do dia e as novas rotas a serem seguidas, a ameaça do submarino logo será reduzida. O mais importante é que o Fokke Wulf, e, se vier, o Ju.88, sejam combatidos com eficácia.
4. Em vista da grande necessidade de um número maior de contratorpedeiros de escolta, é preciso considerar se os contratorpedeiros americanos agora em serviço deveriam entrar no cais para sua segunda escala de melhorias até que o período crítico dessa nova batalha tenha passado.
5. O Almirantado irá reexaminar, em conjunto com o Ministério da Marinha, a questão da liberação de navios de comboio entre 13 e 12 nós, e também se isso pode não ser tentado experimentalmente por enquanto.
6. O Almirantado terá a primeira reivindicação sobre todas as armas A.A de curto alcance, U.P. armas e P.A.Cs. que eles podem montar em navios mercantes adequados que operam na zona de perigo. Já 200 Bofors ou seus equivalentes foram encomendados para serem disponibilizados pela A.D.G.B. e as fábricas. Mas estes deveriam ser

seguido por um fluxo constante de armas, juntamente com tripulações, ou equipes de núcleo, como e quando eles podem ser assumidos pelo Almirantado. Deve ser feito um programa de três meses.

Qual é essa fonte?

Uma diretriz [instrução oficial] do Primeiro-Ministro (que também ocupou o cargo de Ministro da Defesa)] - dando ordens, neste caso, sobre a Batalha do Atlântico.

Antecedentes desta fonte

Entre janeiro e março de 1941, os navios de guerra alemães ‘Scharnhorst’ e ‘Gneisenau’ tentaram atacar comboios no Atlântico. Pesadas perdas foram causadas por submarinos na chamada "época feliz" contra comboios mal defendidos. As preocupações do governo com as perdas estavam aumentando.

Nesse estágio relativamente inicial da guerra, o governo britânico carecia de equipamento. Muito equipamento pesado foi deixado pelo exército em Dunquerque. O material de reposição foi enviado dos Estados Unidos e Canadá, mas é claro que era alvo de U-boats. Nesta fase, os EUA não haviam entrado na guerra, e o presidente Roosevelt aprovou a Lei de Lend-Lease para permitir que os EUA ajudassem a Grã-Bretanha na guerra contra a Alemanha, fornecendo equipamento militar e de defesa. Os Estados Unidos também deram à Grã-Bretanha cinquenta destróieres em troca de bases navais em várias partes do mundo.

Como podemos usar essa fonte na investigação?

Lembre-se, esperamos que esta fonte possa ser útil para investigarmos por que Churchill estava tão preocupado com a Batalha do Atlântico. As fontes geralmente ajudam os historiadores de duas maneiras:

Nível de superfície

  1. O que Churchill ordena que seja feito para combater os submarinos?
  2. O que foi o Fokke Wulf e o que foi o Ju.88?
  3. Faça uma lista de todas as medidas que Churchill exige que sejam tomadas contra as ações alemãs no Atlântico.
  4. Qual é o dilema que os britânicos enfrentam em relação aos destróieres americanos?

Nível mais profundo

Qual das inferências abaixo pode ser feita a partir dessa fonte?

Em uma escala de 1 a 5, até que ponto você concorda que essa fonte apóia essa inferência? Quais trechos da fonte apóiam seu argumento?
Churchill está realmente preocupado com as perdas para os submarinos.
Churchill está confiante de que as perdas podem ser interrompidas.
Churchill coloca mais ênfase neste plano de ação em permitir que navios mais rápidos viajem sem comboios.
Essas medidas nos permitiram "derrotar a tentativa de estrangular nossos suprimentos de alimentos e nossas conexões com os Estados Unidos".

Precisa de ajuda para interpretar a fonte?

  • Churchill era primeiro-ministro nessa época, mas também adotou o título de ministro da defesa.
  • Fokke Wulf e Ju.88 eram tipos de aeronaves alemãs. Você tem a impressão de que o ministro (Churchill) estava mais preocupado com estes ou com os submarinos?
  • ‘ADGB’ significa ‘Defesa Aérea da Grã-Bretanha’. Essencialmente, a Marinha estava usando armas antiaéreas para proteger os navios.
  • As abordagens do noroeste se referem à parte do Atlântico ao noroeste da Grã-Bretanha e da Irlanda. Essa era a principal rota de envio da América do Norte para a Grã-Bretanha.
  • A questão dos destróieres americanos apresenta uma questão interessante para os historiadores. Esta é uma forte evidência sobre a gravidade da ameaça do submarino?


Arquivo do escritório do Provost Marshal General, 1941-

Estabelecido: No Departamento de Guerra, sob o comando do Chefe do Estado-Maior, pelo memorando do Departamento de Guerra, 3 de julho de 1941.

Transferências: Ao Chefe dos Serviços Administrativos, Serviços de Abastecimento (SOS), a partir de 9 de março de 1942, pela Circular 59 do Departamento de Guerra, 2 de março de 1942, como parte de uma reorganização do exército sob EO 9082, de 28 de fevereiro de 1942 para as Forças de Serviço do Exército ( ASF, anteriormente SOS), pela Ordem Geral 14, Departamento de Guerra, 12 de março de 1943 para Subchefe de Estado-Maior para Comandos de Serviço, ASF, pela Circular 118, ASF, 12 de novembro de 1943 para Chefe de Gabinete, ASF, pela Circular 238, ASF, 25 de junho de 1945 ao Escritório do Diretor de Pessoal e Administração, Estado-Maior do Departamento de Guerra (WDGS), como equipe administrativa e serviço, após a abolição da ASF, a partir de 11 de junho de 1946, pela Circular 138, Departamento de Guerra, de maio 14 de 1946, na reorganização do Departamento de Guerra de acordo com EO 9722, 13 de maio de 1946 com WDGS para o Departamento do Exército (anteriormente o Departamento de Guerra) no recém-estabelecido National Military Establishment (NME) pelo National Security Act de 1947 ( 61 Stat. 495), 26 de julho de 1947 para o Estado-Maior do Exército dos EUA (anteriormente WDGS) pela Circular 1, Departamento do Exército, 18 de setembro de 1947 com o Departamento do Exército para o Departamento de Defesa (anteriormente NME) pelas Emendas da Lei de Segurança Nacional de 1949 (63 Stat. 579), 10 de agosto de 1949 para o Gabinete do Chefe Adjunto do Estado-Maior, G-1, Pessoal (anteriormente Gabinete do Diretor de Pessoal e Administração), a partir de 1 de março de 1950, pela Circular 12, Departamento do Exército, 28 de fevereiro , 1950, conforme confirmado pelo Regulamento Especial 10-5-1, Departamento do Exército, 11 de abril de 1950 com o G-1 e outras unidades gerais, especiais, administrativas e técnicas para o Estado-Maior do Exército, nova designação coletiva para todas as organizações responsáveis ao Chefe do Estado-Maior do Exército dos EUA, pelo Ato de Organização do Exército de 1950 (64 Stat. 263), 28 de junho de 1950, conforme confirmado pela Ordem Geral 97, de 13 de novembro de 1951, ao recém-criado Escritório do Vice-Chefe do Estado-Maior para Pessoal, em vigor em 3 de janeiro de 1956, pela Ordem Geral 70, Departamento do Exército, 27 de dezembro de 1955, conforme confirmado pela Alteração 13 do Regulamento Especial 10-5-1 (11 de abril de 1950), Departamento do Exército, 27 de dezembro , 1955 com outros estados-maiores administrativos para status de estado-maior especial pelo Regulamento do Exército 10-5, Departamento do Exército, 2 de janeiro de 1963.

Funções: Administrou programas para todo o exército relacionados a serviços de proteção, aplicação da lei, controle de tráfego e prisioneiros de guerra. Dirigiu a Polícia Militar. Segurança mantida em instalações industriais privadas importantes para a defesa nacional.

Abolido: Em vigor em 20 de maio de 1974, pela Ordem Geral 10, Departamento do Exército, 8 de maio de 1974.

Agências sucessoras: Vice-Chefe de Gabinete do Pessoal.

Encontrar ajudas: Registros do Gabinete do Provost Marshal General em Helene L. Bowen, Mary Joe Head, Olive Liebman e Jessie T. Midkiff, comps., "Inventário Preliminar dos Registros do Estado-Maior do Exército, 1939-", NM 3 (1962 ), pp. 38-42 suplemento na edição microficha dos Arquivos Nacionais de inventários preliminares.

Registros classificados de segurança: Este grupo de registro pode incluir material classificado como seguro.

389,2 Registros Gerais
1941-63

389.2.1 Registros da Divisão Administrativa

Registros textuais: Correspondência decimal central com classificação de segurança e anteriormente com classificação de segurança, 1941-62 (136 pés), com índices. Correspondência decimal central não classificada, 1941-62 (211 pés), com índices. Requisitos de pessoal e relatórios de carga de trabalho, 1943-52. Arquivo histórico, 1941-58. Teses do curso de formação da Polícia Militar, 1958-63. Records of the Provost Marshal's School, Fort Gordon, GA, 1951-62.

389.2.2 Registros do Escritório Jurídico

Registros textuais: Correspondência relativa ao cuidado e tratamento de prisioneiros de guerra americanos e inimigos, 1943-45. Correspondência relativa à manutenção da segurança interna, 1942-45. Registros relativos à participação do Provost Marshal General na preparação das Convenções de Genebra, 1946-1949.

389.2.3 Registros do Gabinete de Informação Técnica

Registros textuais: Roteiros de rádio, comunicados à imprensa e recortes de jornais relacionados a atividades publicitárias, 1942-45.

389.2.4 Registros do Orçamento e Ramo Fiscal

Registros textuais: Estimativas e justificativas orçamentárias, 1944-46.

389.2.5 Registros da Seção Orçamentária e Estatística

Registros textuais: Registros relacionados ao sistema de justiça militar, 1945-58. Relatórios estatísticos de prisioneiros em geral, 1945-58. Relatórios mensais de reincidência, 1949-55. Relatórios de violações da liberdade condicional, 1947-58.

389.2.6 Registros do Ramo de Informação

Registros textuais: Registros do Alien Enemy Information Bureau, consistindo em registros relacionados a japoneses, alemães, italianos e outros estrangeiros internados durante a Segunda Guerra Mundial, 1941-46.

389.3 Registros da Divisão do Governo Militar
1942-48

Registros textuais: Correspondência decimal geral, 1942-46. Registros do Ramo de Treinamento relacionados ao treinamento de pessoal em administração civil em universidades selecionadas, 1942-48. Correspondência da Escola de Governo Militar, Charlottesville, VA, e de sua sucessora, a Escola de Governo das Áreas Ocupadas, Carlisle Barracks, PA, 1942-46. Cópia em microfilme de livros didáticos de língua alemã para escolas na Alemanha, 1944 (24 rolos). Publicações e documentos de base relacionados a assuntos civis e governo militar em áreas ocupadas, 1942-46, incluindo History of Military Government Training, 5 vols., 1945, e uma história manuscrita não publicada, "American Military Government of Occupied Germany, 1918-20, "com um índice de cartão de biblioteca em microfilme, nd (1 rolo).

389,4 Registros da Divisão de Prisioneiros de Guerra
1941-75

389.4.1 Registros da Filial de Operações

Registros textuais: Correspondência geral com classificação de segurança e anteriormente com classificação de segurança, 1942-57, com um índice. Mensagens, 1942-47. Cópia em microfilme das listas da Cruz Vermelha Internacional (3 rolos) e cabos relativos a americanos capturados ou internados pela Alemanha e Japão, 1943-45.

389.4.2 Registros da Filial Legal

Registros textuais: Correspondência relativa ao internamento, cuidado e trabalho de prisioneiros de guerra, 1942-46.

389.4.3 Registros do Departamento de Trabalho e Ligação

Registros textuais: Listas de detenção e correspondência, 1942-46.

389.4.4 Registros da Filial de Projetos Especiais

Registros textuais: Registros de treinamento escolar de prisioneiros de guerra alemães, 1943-46. Arquivo de projetos especiais, 1943-46, com índice.

389.4.5 Registros das unidades de serviço italianas

Registros textuais: Correspondência e listas, 1944-45.

389.4.6 Registros do Gabinete de Informações sobre Prisioneiros de Guerra

Registros textuais: Arquivos de políticas e assuntos relativos à supervisão de campos de prisioneiros de guerra, 1942-45. Correspondência geral, 1942-1957. Registros diversos, 1941-57.

389.4.7 Registros do Gabinete de Informações do Prisioneiro de Guerra Inimigo

Registros textuais: Correspondência geral, 1942-46. Ordens gerais, 1953-57. Arquivos de informações gerais sobre prisioneiros de guerra / civis internos inimigos, arquivos de queixa e investigação de 1952-53, arquivos de relatórios de força de 1951-53, 1950-53 e arquivos de lista, 1951-53. A força retorna aos prisioneiros de guerra alemães, 1945-46. Listas de alemães e outros cidadãos estrangeiros sob custódia dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, 1956-57. Lista de prisioneiros de guerra japoneses e italianos falecidos, 1952. Registros relacionados a prisioneiros de guerra japoneses, alemães, italianos e inimigos durante a Segunda Guerra Mundial, 1942-52.

Imagens em movimento (1 rolo): Prisioneiros de guerra Ko je-do, um filme do campo de prisioneiros de guerra da Guerra da Coréia, 1952.

389.4.8 Registros do Departamento Americano de Informações sobre Prisioneiros de Guerra

Registros textuais: Arquivos de casos internos de estrangeiros civis, 1941-45. Lista de prisioneiros de guerra, 1949-57. Correspondência geral, 1942-1949. Certificados de crédito e registros relativos a propriedade apreendida e perdida, 1947-1955. Arquivo de fichas de americanos internados pela Alemanha e pelo Japão durante a Segunda Guerra Mundial, 1942-46. Arquivos do assunto do Quartel-General e do Destacamento do Quartel-General, 22d Centro de Informações de Prisioneiros de Guerra / Internos do Exército dos EUA (Fort George G. Meade, MD), 1949-74. Registros dos Assuntos do Gabinete de Prisioneiros de Guerra / Desaparecidos em Ação do Exército dos EUA (POW / MIA), consistindo em documentos divulgados pelo Projeto de Documentação da Força-Tarefa 250 POW / MIA, 1991-92.

389,5 Registros da Divisão de Polícia Militar
1942-65

Registros textuais: Correspondência geral relativa às escolas da polícia militar e do Provost Marshal General, 1942-50. Arquivo da Seção de Organização referente ao Corpo de Polícia Militar, 1942-48. Correspondência decimal do ramo de treinamento, 1942-46. Correspondência e relatórios do Departamento de Doutrina e Equipamentos, 1942-47. Correspondências e relatórios do Conselho da Polícia Militar, 1942-54, e arquivos do projeto, 1952-62. Registros das Escolas da Polícia Militar em Camp Williams, Lehi, UT, 1942 Carlisle Barracks, PA, 1947-48 e Fort Gordon, GA, 1963-65. Arquivo da Escola de Polícia Militar, 1947-48.

389.6 Registros da Divisão de Reitor
1942-54

Registros textuais: Registros relacionados a investigações criminais no exército, 1945-51. Relatórios estatísticos de investigações criminais, 1944-54. Listas e outros registros relacionados a residentes de centros de realocação, 1942-46. Listas de repatriação, 1942-46. Arquivos de casos investigativos das joias da coroa de Hesse, 1944-52. Arquivos investigativos do Tokyo Rose, 1947-49.

389,7 Registros da Divisão de Segurança Interna
1937-50

Registros textuais: Relatórios de motins raciais e greves, 1942-45. Correspondência relativa à polícia militar auxiliar, 1942-45. Correspondência do Departamento de Segurança, 1942-45. Correspondence of the Fire Prevention Branch, 1942-46. Correspondência do Ramo de Confinamento, 1947-50. Registros da Filial de Coordenação, incluindo correspondência geral, correspondência do programa de segurança interna de 1941-46, arquivos de coordenação interagências de segurança interna de 1941-46, relatórios de inspeções de segurança de empresas comerciais de 1942-45, 1941-44 e uma coleção de biblioteca, 1937-46 ( bulk 1941-46).

389,8 Registros da Divisão de Correção
1920-63

Registros textuais: Arquivo de histórico, incluindo registros da Divisão de Correção, Gabinete do Ajudante Geral, 1920-63.

389,9 Registros Legíveis por Máquina (Geral)
1942-46
13 conjuntos de dados

Cartões perfurados de prisioneiros de guerra (POW) da Segunda Guerra Mundial convertidos, incluindo registros de prisioneiros de guerra dos EUA retornados vivos dos teatros da Europa e do Pacífico, prisioneiros de guerra civis dos EUA internados por japoneses, prisioneiros de guerra dos EUA falecidos internados por alemães e japoneses, prisioneiros de guerra dos EUA internados por os japoneses que morreram em naufrágios de navios (1944), militares dos EUA internados em um país neutro, militares dos EUA desaparecidos em ação e devolvidos ao controle militar, civis internos não americanos e internos japoneses civis não oficiais, 1942-46, com apoio documentação.

Nota bibliográfica: Versão web baseada no Guia de Registros Federais dos Arquivos Nacionais dos Estados Unidos. Compilado por Robert B. Matchette et al. Washington, DC: National Archives and Records Administration, 1995.
3 volumes, 2.428 páginas.

Esta versão da Web é atualizada de tempos em tempos para incluir registros processados ​​desde 1995.


5 de março de 1941 - História

Bem a tempo para o início da primavera, o quarto inverno a atingir a Filadélfia neste mês ameaça cair mais de trinta centímetros de neve na Filadélfia e na região circundante, antes que a tempestade diminua na quarta-feira à noite.

De acordo com a última previsão do Serviço Meteorológico Nacional, a tempestade "ameaça grandes acúmulos de granizo e neve impulsionados pelo vento, que podem causar quedas de energia generalizadas." Até 18 polegadas podem cair na Filadélfia e apontar para o norte Depois de aumentar repetidamente os totais projetados de queda de neve, meteorologistas do Serviço Meteorológico Nacional disseram a meu colega Tony Wood que a mudança de modelos de computador criou "um pesadelo absoluto" para os meteorologistas.

Se a Filadélfia acabar com mais de trinta centímetros de neve, esta última tempestade (que o Weather Channel apelidou de "Toby") iria parar nos livros de história, substituindo a temida nevasca de 1993 (a chamada "Tempestade do Century ") como a maior nevasca de março da história da cidade.

Seriam necessários 16,8 centímetros de neve para que esta última tempestade aparecesse na lista das 10 maiores tempestades de neve da história da Filadélfia, o que seria um feito impressionante, considerando o quão tarde na temporada nos encontramos.

Aqui está uma lista das cinco maiores tempestades de neve que cobriram a Filadélfia durante o mês de março. Todas as medições após 1940 foram feitas no aeroporto.


5 de março de 1941 - História

A 5. Divisão Leichte foi formada em torno de um quadro da 3. Divisão Panzer com mão de obra adicional de Sperrverband Libyen em janeiro de 1941 e logo foi transferida para a África com as primeiras tropas chegando a Trípoli em 14 de fevereiro. Tinha 25 Panzer Ib, 45 Panzer II, 75 Panzer III e 20 Panzer IV quando chegou ao solo africano.

Foi formado em 21. Panzer-Division em 1 de agosto de 1941 com alguns elementos sendo transferidos para 15. Panzer-Division.

Comandantes

General der Panzertruppen Hans Freiherr von Funck (1 de janeiro de 1941 - 7 de fevereiro de 1941)
Generalleutnant Johannes Streich (7 de fevereiro de 1941 - 16 de maio de 1941)
Generalleutnant Karl Böttcher (16 de maio de 1941 - 1 de agosto de 1941)

Oficiais de operações (Ia)

Major Wolf-Rüdiger Hauser (18 de fevereiro de 1941 - 1 de agosto de 1941)

Área de operações

Alemanha (janeiro de 1941 - fevereiro de 1941)
África do Norte (fevereiro de 1941 - agosto de 1941)

Detentores de grandes prêmios

Detentores do Honor Roll. Grampo do Heer (1)
- Schunck, Walther, 09.09.1941, Major, Pi.Btl. zbV 200
Portadores da Cruz de Cavaleiro (12)

Ordem de batalha

Facada
Stab zbv 200
Panzer-Regiment 5
1. / Panzerjäger-Abteilung (mot) 33
Panzerjäger-Abteilung (mot) 36
Machinengewehr-Bataillon (mot) 2
Machinengewehr-Bataillon (mot) 8
I. / Artillerei-Regiment (mot) 75
Flak-Abteilung (mot) 605
Flak-Abteilung (mot) 606
Aufklärungsstab 2 / 14. Panzer-Division
Aufklärungsstab (mot) 3
Feldsprech-Kompanie / Nachrichten-Abteilung Libyen
Kompanie / Pioneier-Bataillon (mot) 39
Nachschubstab zbV (mot) 668
Nachschub-Bataillon (mot) 532
Nachschub-Bataillon (mot) 533
3. / Nachschub-Bataillon (mot) 39
Nachschub-Bataillon (mot)
Wasserkolonne (mot) 797
Wasserkolonne (mot) 801
Wasserkolonne (mot) 803
Wasserkolonne (mot) 822
Wasserkolonne (mot)
Filterkolonne (mot) 800
Filterkolonne (mot) 804
Grosse Wasserkolonne (mot) 641
Grosse Wasserkolonne (mot) 645
Reifenstaffel (mot) 13
Reifenstaffel (mot) 210
Kraftwagenwerkstatt-Kompanie (mot) 122
Kraftwagenwerkstatt-Kompanie (mot) 129
1. / Sanitäts-Kompanie (mot) 83
4. / Kriegslazarett (mot) 572
Krankenkraftwagen-Zug (mot) 631
Krankenkraftwagen-Zug (mot) 633
Bäckerei-Kompanie (mot) 531
Feldgendarmerie-Trupp (mot) 309
Feldpostamt zbV (mot) 735

Panzer III do Panzer-Regiment 5 em Tripoli, ainda exibe as marcações da 3. Panzer-Division

(Cortesia de John)

Panzer III de 5. Leichte-Division (ainda exibindo as marcas da 3. Panzer-Division) passando pelo Arco dei Fileni (Marble Arch)

(Cortesia de Bundesarchiv / Wikimedia, licenciado sob Creative Commons Atribuição ShareAlike 3.0 Alemanha)

Fontes usadas

Pier Paolo Battistelli - Afrika Korps de Rommel: Tobruk para El Alamein
François de Lannoy & Josef Charita - Panzertruppen: tropas blindadas alemãs 1935-1945
Chris Ellis - 21ª Divisão Panzer: Africa Korps Spearhead de Rommel
George F. Nafziger - The Afrika Korps: Uma história organizacional 1941-1943
Georg Tessin - Verbände und Truppen der deutschen Wehrmacht 1933-1945


5 de março de 1941 - História

Cronologia Militar de Eisenhower

Eisenhower deixa sua cidade natal, Abilene, Kansas, para ingressar na Academia Militar dos Estados Unidos em West Point, Nova York.

A Primeira Guerra Mundial estoura na Europa.

Eisenhower se formou na Academia Militar dos EUA em West Point, 61º em uma classe de 164. Em meados de setembro, ele se reporta ao 19º Regimento de Infantaria em Fort Sam Houston, Texas.

Em 6 de abril, os Estados Unidos declaram guerra à Alemanha. Eisenhower é promovido a capitão e, em setembro, é enviado a Fort Oglethorpe, na Geórgia, para treinar candidatos a oficial. Em dezembro, ele é enviado para Fort Leavenworth, Kansas, para servir como instrutor.

Eisenhower é nomeado para seu primeiro comando independente em Camp Colt, um centro de treinamento do Corpo de Tanques do Exército em Gettysburg, Pensilvânia. Ele recebe uma promoção temporária para major e depois para lt. coronel em 14 de outubro. A Primeira Guerra Mundial termina em 11 de novembro.

Eisenhower foi designado para Camp Meade, Maryland. Ele é voluntário em um comboio do Exército que passa o verão viajando pelos EUA ao longo da Lincoln Highway (US Highway 30) para estudar o tempo que leva para transportar equipamentos militares de costa a costa.

Eisenhower é devolvido ao posto permanente de capitão em uma redução no posto do pós-guerra. Em agosto é promovido a major.

Eisenhower se formou na Escola de Tanques de Infantaria e foi designado para o comando do 301º Batalhão de Tanques.

Eisenhower se junta à 20ª Brigada de Infantaria em Camp Gaillard, Panamá, sob o comando do General Fox Connor. Ele recebe a Medalha de Serviço Distinto por seu trabalho na Primeira Guerra Mundial

Eisenhower retorna a Camp Meade, Maryland, para treinar futebol. Ele está temporariamente designado para Ft. Logan, Colorado como recrutador.

Eisenhower estuda na Escola de Comando e Estado-Maior, Fort Leavenworth, Kansas, graduando-se em primeiro lugar em uma turma de 275.

Eisenhower atua como oficial executivo, 24th Infantry, Fort Benning, Georgia e é treinador de futebol. Em dezembro, ele se reporta a Washington, D.C. para trabalhar para a Comissão dos Monumentos de Batalha sob o comando do General Pershing.

Eisenhower escreve um guia de campo de batalha sobre o envolvimento americano na Primeira Guerra Mundial. Em setembro, Eisenhower entra no Army War College, Fort McNair, Washington, D.C.

Eisenhower se formou no War College em junho. Em agosto, ele viaja para Paris, França, como membro da Battle Monuments Commission para revisar o guia do campo de batalha e obter familiaridade em primeira mão com os campos de batalha da Primeira Guerra Mundial

Em novembro, Eisenhower é designado para o Gabinete do Secretário Adjunto de Guerra para preparar planos para a mobilização da indústria e mão de obra americanas em caso de uma guerra futura.

Eisenhower se torna assistente pessoal do general MacArthur em fevereiro.

Eisenhower é enviado às Filipinas com MacArthur para preparar o exército filipino para a independência.

Eisenhower é promovido a tenente-coronel com o resto de sua classe em West Point.

A Alemanha invade a Polônia em 1º de setembro, começando a Segunda Guerra Mundial. Eisenhower deixa as Filipinas e vai para São Francisco em dezembro.

Eisenhower se torna Chefe do Estado-Maior da Terceira Divisão em Fort Lewis, Washington e conduz manobras de campo.

Eisenhower é transferido para Fort Sam Houston, Texas, como Chefe do Estado-Maior do Terceiro Exército. Ele participa das Manobras de Louisiana em agosto e recebe uma promoção temporária a general de brigada. Os japoneses atacam Pearl Harbor em 7 de dezembro e os Estados Unidos entram na Segunda Guerra Mundial. O General Marshall chama Eisenhower a Washington, D.C. para revisar a situação nas Filipinas e trabalhar no Departamento de Guerra.

Eisenhower é nomeado chefe adjunto do Estado-Maior encarregado dos planos de guerra. Ele recebe uma promoção temporária a major-general em março e é nomeado chefe adjunto do Estado-Maior da Divisão de Novas Operações. Eisenhower chega a Londres em maio para estudar defesa conjunta e é nomeado comandante do Teatro Europeu de Operações em 15 de junho. Ele recebe uma promoção temporária a tenente-general em julho. Em 8 de novembro, Eisenhower comanda a invasão aliada do Norte da África.

Eisenhower é promovido a um posto temporário de general completo em fevereiro. Ele completa a invasão do Norte da África em maio e dirige a invasão da Sicília em julho e agosto. Eisenhower recebe promoção permanente a general de brigada e major-general em 30 de agosto. Eisenhower comanda a invasão da Itália em setembro e comparece à Conferência do Cairo em novembro. Em dezembro, Eisenhower é nomeado Comandante Supremo das Forças Expedicionárias Aliadas para comandar a Operação Overlord, a invasão da Europa.

Eisenhower chega a Londres em janeiro para estabelecer a Sede Suprema. Ele dirige a invasão da Normandia em 6 de junho, dia D. Em 20 de dezembro, Eisenhower é promovido a General do Exército e recebe sua quinta estrela.

Eisenhower aceita a rendição incondicional da Alemanha em 7 de maio e é nomeado comandante da zona de ocupação dos Estados Unidos na Alemanha. Em novembro, Eisenhower retorna aos Estados Unidos para se tornar Chefe do Estado-Maior do Exército dos Estados Unidos.

Eisenhower se aposenta do serviço ativo em fevereiro e escreve Cruzada na europa. Enquanto servia como presidente da Universidade de Columbia, em dezembro, Eisenhower começou três meses de serviço como consultor militar do primeiro secretário de Defesa, James Forrestal.

Em uma posição informal, Eisenhower atua como presidente da Junta de Chefes de Estado-Maior do recém-criado Departamento de Defesa.

A Guerra da Coréia começa em 25 de junho. Em 18 de dezembro, a pedido do Presidente Truman e das 12 nações da OTAN, Eisenhower aceita o cargo de Comandante Supremo da Organização do Tratado do Atlântico Norte.

Em janeiro, Eisenhower parte para a sede da OTAN em Paris.

Eisenhower renunciou ao cargo de Comandante Supremo em junho para retornar aos Estados Unidos para fazer campanha pela presidência. Após a eleição, Eisenhower visita a Coréia. Ele renuncia ao cargo de general do Exército para assumir a presidência.

Ao completar seu segundo mandato, o Congresso restabelece sua posição de cinco estrelas.

Eisenhower morre em 28 de março e é enterrado com todas as honras militares em Abilene, Kansas.


5 de março de 1941 - História

Índice do site ABH

Linha do tempo - década de 1940

O mundo estava em guerra no início da década, tudo dentro dos limites de uma grande depressão que afetava a vida de todos os americanos, mas quando Pearl Harbor foi atacada, os Estados Unidos não puderam mais ficar à margem. Através da coragem e dedicação dos soldados que lutaram nos teatros europeus ou do Pacífico Sul, eles passaram grande parte desta década em uma batalha por um modo de vida que o país e as potências ocidentais passaram dois séculos construindo. No final da década, essa guerra estaria vencida e a construção voltaria ao primeiro plano.

Mais 1900

Presidente Franklin D. Roosevelt, por volta de 1940.


Guerra de Manzanar Campo de realocação de prisioneiros japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Foto: Departamento do Interior, julho de 1942.

Tropas dos Estados Unidos e de outras nações aliadas pousam na praia da Normandia, França, em 1944, dando início à invasão da Europa Ocidental que levaria à derrota da Alemanha nazista.

Linha do tempo dos EUA - década de 1940

Patrocine esta página por $ 100 por ano. Seu banner ou anúncio de texto pode preencher o espaço acima.
Clique aqui para patrocinar a página e como reservar seu anúncio.

Detalhe de 1941

11 de março de 1941 - O Museu George Washington Carver é inaugurado no Instituto Tuskegee com a participação de luminares como Henry Ford. O museu agora faz parte do Tuskegee Institute National Historic Site.

Até a data do vigésimo quinto aniversário do Fundação do Instituto Tuskegee em 1881, a escola tinha cento e cinquenta e seis professores, incluindo um professor, George Washington Carver, cujo legado, que começou em Tuskegee em 1896, continuaria por décadas nos campos da educação, ciência e invenção.

George Washington Carver tinha trinta e dois anos quando começou a lecionar no Instituto. Nascido na escravidão e sequestrado por invasores ainda criança, Carver foi criado, após ganhar a liberdade após o Guerra civil, pela família de Missouri, que já era sua proprietária, e foi incentivada a estudar. Ele se formou no Iowa State College em 1894 com um diploma em Agricultura, permanecendo como um membro do corpo docente enquanto continuava seus estudos, e dois anos depois recebeu um mestrado, o primeiro afro-americano a obter um mestrado em Ciências Agrícolas. Em 8 de outubro de 1896, Carver se juntou à equipe do Instituto Tuskegee como Chefe de Agricultura, recrutado por Booker T. Washington.

Durante seus anos em Tuskegee, Carver foi um professor, botânico, pesquisador e artista inspirado, um homem de interesses diversificados. Carver ganhou um prêmio por sua pintura no Feira Mundial de Chicago de 1893. Seu objetivo como educador era instruir os filhos de ex-escravos e também os camponeses pobres da região em uma terra onde o algodão havia esgotado o solo. Ele planejaria o Jesup Wagon com T.M. Campbell em 24 de maio de 1906, um ônibus escolar móvel, para viajar às regiões pobres do estado para ministrar aulas sobre agricultura com os agricultores. Carver incentivou o agricultor local a diversificar suas safras para culturas ricas em proteínas, como amendoim e soja.

Sua pesquisa levou ao estabelecimento de trezentos produtos de amendoim, incluindo manteiga de amendoim, amendoim salgado e farinha de amendoim. Carver inventou cem produtos de outras safras do sul, incluindo batata-doce. George Washington Carver também era um ambientalista, desenvolvendo técnicas de reposição de solos que pudessem auxiliar na lucratividade da lavoura.

Em 1938, sua vida foi imortalizada no filme de 1938, "Life of George Washington Carver", da Pete Smith Specialty Company.

O Museu é Inaugurado

O Museu George Washington Carver seria inaugurado em 11 de março de 1941. Dignitários de todo o país, incluindo Henry Ford, Sr., que havia financiado parte do museu, compareceram para homenagear Carver e suas realizações. O museu continha pinturas, experimentos e colheitas que contavam a história do educador, agricultor e cientista.

O museu foi instalado em um prédio reformado que foi construído em 1915.

Reportagem de jornal de 1º de junho de 1941, The Journal Herald, Ohio, por Irving A. Williamson

George Washington Carver elogiado como cientista mais importante por Irving A. Williamson

No final do mês passado, em Atlantic City, 1.100 pessoas testemunharam a entrega do prêmio Humanitário de 1940 pelos Variety Clubs of America ao Dr. George Washington Carver, nascido de pais escravos e que já foi negociado por um cavalo e que hoje é elogiado por muitos como o mais importante do mundo cientista.

O modesto Dr. Carver ouviu muitos falar mal de seus feitos e posição no mundo da ciência. Henry Ford, em resposta a uma pergunta recente sobre quem ele pensava ser o maior cientista vivo, disse: "George Washington Carver, de Tuskegee. Ele supera todos os homens que conheço." Christy Borth, em "Pioneers of Plenty", escreve: "George Washington Carver, o primeiro e maior químico".

O cientista nasceu escravo em Diamond Grove, Missouri, onde, quando criança, ele e sua mãe foram roubados e levados para o Arkansas. Ele foi resgatado de seus captores com um cavalo avaliado em $ 300. Nunca mais se ouviu falar de sua mãe.

Como um garoto magrelo, determinado a melhorar sua sorte, ele trabalhou em escolas públicas, recebeu o diploma de bacharel em ciências da agricultura pela faculdade do estado de Iowa em 1894 e obteve seu diploma de mestrado na faculdade em 1896. Ele era membro da the Iowa faculty a short while before going to Tuskegee Institute at Tuskegee, Ala., founded by the famed Booker T, Washington. At Tuskegee he is director of research and experiment and as such during, more than 40 years of research has given the south a new meaning of chemistry, agriculture a new outlook and industry a new alliance.

In 1896 Dr. Carver laid down his plan of attack on the farmers' problems of the south by five approaches to solution of them: Soil conservation, diversification of crops, live-at-home, finding new uses for farm crops and the utilization of native plants and farm crops.

Through his creative research Dr. Carver has found numerous uses that can be made of southern products and waste materials. From the clays of Alabama he has developed face powder, pigments, paints, stains, and has also demonstrated their value in ceramic work.

He has made the peanut yield over 300 products, including milk, cream, buttermilk, cheese, condiments, coffee, plastics, paper, stains and insulating boards.

The sweet potato has been productive of 118 products among which are starch, tapioca, mock cocanut, syrup, breakfast food and satins.

He has made paving blocks, insulating boards, cordage, paper and rugs from cotton. From plants generally regarded as weeds, many products have been created, as well as hundreds of dyes. Over 5,000 letters seeking information or expressing gratitude have been received by Dr. Carver In connection with his peanut oil treatment for the aftereffects of infantile paralysis.

Although Dr. Carver has a world-wide reputation as a scientist, he has received much recognition for his paintings. One of his paintings, "Three Peaches," was hung in the Luxembury gallery in Europe. He used pigments which he got from the clays of Alabama.

Many honors have come to Dr. Carver, including the Spingarn medal in 1923 for distinguished achievement, the unveiling of a bust of him at Tuskegee in 1937, but the greatest is probably the creation of the George Washington Carver foundation to carry on extensive research begun by Dr, Carver on the use of native southern plants, waste materials and the formulating of solutions of agriculture problems. Dr. Carver himself gave his life savings of $33,000 to the foundation for research and many others are expected to swell the endowment.

Visiting Tuskegee Institute National Historic Site and the George Washington Carver Museum Today

For those that wish to visit, the Tuskegee Institute National Historic Site is located at 1212 West Montgomery Road, Tuskegee Institute, AL 36088. It is free to visit. Besides the beautiful red brick building that houses the George Washington Carver Museum with the bust of Carver between its doors, the Tuskegee NHS includes Booker T. Washington's home, the Oaks, with ranger tours, as well as other buildings on campus that were built by original Tuskegee students and more.

The campus, a historic district in itself, holds Emery Halls, Millbank Hall (site of the original Carver agricultural experiments), the Food Science Building, Margaret Murray Washington Hall, Dorothy Hall, Tantum Hall, the Carver Research Foundation, among others. A stroll past these historic buildings provides great context to just how important the establishment of the university was in the progress of the United States and the education of minority students after the Civil War. And yes, its founding was established by those with good motives and imperfect pasts.

Several miles from campus, a National Historic Site dedicated to the Tuskegee Airman is located at Moton Field.

For another site devoted to the life of George Washington Carver, this in his home state of Missouri, is the George Washington Carver National Monument, located in Diamond, Missouri. It was founded in 1943 by President Franklin Delano Roosevelt, the first monument established to an African American and to a person that had not been a president.


On this day, In 1941 Ben Hogan & Gene Sarazen team up during the final round to win the Miami Four Ball Tournament

In the third round Hogan and Sarazen defeated Craig Wood and Billy Burke, the defending champions, 2 and 1. In the other semifinal match Guldahl and Snead defeated Smith and Runyan 1-up.

The final match pitted Hogan and Sarazen vs. Snead and Guldahl. Sarazen’s philosophy was for him to play steady par golf while Hogan would take the chances, “I’m par. Hogan is the flag man. I’ll be steady and Ben will be going for the birdies. And if Hogan’s putts start dropping we’ll be around there in 59.” That is exactly what happened. It was on the third nine that Ben birdied every odd hole to give his team from a one up lead to four up and insure the victory on the final nine. Hogan birdied the first hole, but Snead tied him. Ben birdied the third hole with a 40-foot putt, the fifth with a 15-footer, the seventh with a seven footer and the ninth with a second shot that spun back to the cup, three feet away. Snead gave his team some hope by winning the 10th hole but that was the end of their comeback. Hogan played some of his best iron shots on the 13th and 14th holes. He had a good drive on the 445-yard 13th and stuck a seven-iron less than a foot from the pin, but was matched by Guldahl’s 18-foot birdie putt. On the 145-yard 14th hole, Ben hit his seven-iron three feet past the hole. Hogan and Sarazen were dormie-four on the 15th hole. Snead and Hogan were on the green some 15 feet from the pin in three, and Sarazen was over the green in back. With over 3,000 people watching Sarazen confidently stepped up, said to the caddy who was tending the pin, “Well, take it out, boy”, hit it crisply just far enough to land on the green and curled the balled down the slope into the hole to win the match.

It was 13 years previous that at age 26, Gene Sarazen teamed with Johnny Farrell to win this event. At that time Johnny Farrell was a young up-and-comer. In 1941 Ben was just 28 years old and at the threshold of his most extraordinary golfing career. Comparing the two victories, Gene said, “There’s no comparison. It’s far tougher to win now. The competition is much stiffer all the way through and scoring is much lower, so it is bound to be much harder to win holes.


Document Category

After two months of hearings and debate, the House of Representatives passed this bill, H.R. 1776, “An Act to Promote the Defense of the United States,” which became known as the Lend–Lease Act.

Embroiled in war with Nazi Germany, Great Britain sustained heavy military and financial losses during the early years of World War II. The United States furnished Great Britain and other allies with military supplies and equipment through a “cash and carry” system permitted by the Neutrality Act of 1939. This arrangement required the purchasers to pay in cash and transport the goods themselves, allowing the United States to maintain the appearance of neutrality in the conflict. Concerned that his country would soon be unable to pay for supplies, Prime Minister Winston Churchill appealed to the United States for additional assistance for Great Britain. President Franklin Roosevelt proposed a lend–lease system that distributed military aid to “the government of any country whose defense the President deems vital to the defense of the United States.” The President also determined the appropriate repayment. This plan allowed the United States to continue to support the war against the Axis powers without involving American troops in a foreign war.

Roosevelt reasoned that, “We cannot, and we will not, tell them that they must surrender, merely because of present inability to pay for the weapons which we know they must have.” Congressional isolationists, who opposed intervention in the war, asserted that a lend–lease policy disregarded American neutrality and gave the President “practically unlimited” authority. After much debate, the House and the Senate passed the act, and President Roosevelt quickly signed it into law on March 11, 1941.


James Stewart Goes to War

US #4197 – Stewart was the 13th honoree in the Legends of Hollywood Series. Click image to order.

On March 22, 1941, James Stewart was inducted into the US Army, making him the first major US movie star to don a military uniform during World War II.

James Stewart developed an early interest in flying and got his pilot’s license in 1938. Around that same time, he worked with other celebrities to establish Thunderbird Field, a pilot training school in Arizona.

Although he was a big Hollywood star, Stewart felt an obligation to join the war effort. In October 1940, he first tried to enlist in the US Army but was rejected because he was five pounds underweight. He then enlisted the help of a trainer to gain the weight and tried again, this time with the Air Corps. Though he failed his first attempt, he convinced the enlistment officer to try again, and he managed to pass the weigh-in. Stewart was then inducted into the Army on March 22, 1941, several months before the US officially entered the war.

US #4197 - Capa Fleetwood para o primeiro dia. Click image to order.

After undergoing service pilot training, Stewart’s first assignment was an appearance at a March of Dimes rally. He would also participate in several radio broadcasts promoting the war effort and the Winning Your Wings recruitment video, which helped bring in 150,000 new recruits. Stewart didn’t want to spend the war as a recruiter or trainer, he wanted to go to Europe and fight.

Item #M12217 honors stars who went to war. The top right stamp honors Stewart. Click image to order.

Eventually, Stewart appealed to his commander to recommend he be entered into combat. He succeeded, and Stewart was assigned to the 703rd Bombardment Squadron. Within three weeks, he was promoted to its commander. Stewart finally went on his first combat mission on December 13, 1943, a bombing run over U-boat facilities in Kiel, Germany. Stewart led two more missions in December and January before being promoted to major. Then in February, he earned the Distinguished Flying Cross.

US #C49 was issued to honor the 50th anniversary of the United States Air Force as a part of our National Defense System. Click image to order.

Exactly three years after his induction into the Army, Stewart flew his 12th combat mission in an attack on Berlin. He was then made group operations officer of the 453rd Bombardment Group, leading missions into Nazi-occupied Europe. He went on to earn another Distinguished Flying Cross, the French Croix de Guerre, and the Air Medal with three oak leaf clusters. He was promoted to full colonel in March 1945, making him one of just a few Americans to rise from private to colonel in just four years during the war.

US #3167 was issued for the 50th anniversary of the Department of the Air Force. Click image to order.

After the war, Stewart remained in service of the Army Air Forces and later the US Air Force Reserve. He served as an Air Force Reserve commander at Dobbins Air Force Base in Georgia and flew as a non-duty observer on an Arc Light bombing mission during the Vietnam War. Stewart retired from the Air Force on May 31, 1968, having served for 27 years. He received a number of awards as well as the Air Force Distinguished Service Medal and Presidential Medal of Freedom.


Assista o vídeo: Destaque do dia - 5 de Março de 1940 - Especial Massacre de Katyn (Janeiro 2022).