Notícia

24 de abril de 1942

24 de abril de 1942

24 de abril de 1941

Abril de 1942

1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

China

Tropas japonesas capturam Taunggyi, mas perdem-no no dia seguinte



Os ataques de Baedeker: o dia em que Hitler tentou varrer Norwich

A paz foi rompida em 27 de abril de 1942, quando os alemães usaram o guia de viagem Baedeker para decidir onde lançar suas bombas. Norfolk se preparou.

Danos por bomba em Heigham House, West Parade, perto de Earlham Road. 30 de abril de 1942 Foto: Biblioteca Archant - Crédito: Archant

Era um famoso livro de viagens e, na década de 1930, representantes do Baedeker's Guide to Britain visitaram nossos lugares mais bonitos. sendo um deles a Fine City de Norwich.

Alguns anos depois, quando este país estava em guerra com a Alemanha, a Luftwaffe deu uma olhada no livro e, durante duas noites em abril de 1942, decidiu destruir o máximo possível de Norwich.

O castelo, as catedrais, St Peter Mancroft, a nova prefeitura e a antiga sede do poder, a Guildhall, sobreviveram enquanto muitas das bombas lançadas em ruas residenciais. causando mortes terríveis e destruição em uma escala aterrorizante.

Enquanto você lê isto, imagine 27 de abril de 1942 como uma das semanas mais sombrias da longa história de Norwich em uma noite pacífica e iluminada pela lua.

St Stephens em direção a Red Lion Street, abril de 1942 Foto: Archant Library - Crédito: Archant


Divisões da Comunidade

Duas formações do Império Britânico (ou Commonwealth) participaram da campanha de Tunsian. Ambos faziam parte do Exército 8 e avançaram para a Tunísia vindos da Líbia. Estes foram:

2 Divisão da Nova Zelândia,
4 Divisão de Infantaria Indiana.

DOCUMENTOS PARA BAIXAR (pdfs)

A 2 Divisão da Nova Zelândia havia se concentrado no Egito no final de 1940, mas foi então enviado para a Grécia. Após a evacuação da Grécia, a maioria da divisão foi enviada para Creta. Em Creta, opôs-se à invasão aerotransportada alemã da ilha. A divisão foi reconstituída no Egito após a evacuação de Creta e, em seguida, lutou com o 8º Exército na Operação ‘Cruzado’ e nas batalhas de El Alamein. Continuou a servir com o 8 Exército durante o avanço pela Líbia e na Tunísia.

A 4 Divisão de Infantaria Indiana serviu no Oriente Médio desde a eclosão da Segunda Guerra Mundial. Assumiu um papel fundamental no início da Operação ‘Compass’ em dezembro de 1940 e foi então transferido para o Sudão, onde participou na invasão da Eritreia. Em seguida, voltou ao Egito e à Líbia, lutando na Operação ‘Battleaxe’ e na Operação ‘Cruzado’. A 11 Brigada de Infantaria Indiana foi capturada em Tobruk. A 4ª Divisão Indiana foi dispersada após a Batalha de El Alamein, mas foi concentrada e avançou para a Linha Mareth em março de 1943. Nessa época, a divisão tinha apenas duas brigadas sob comando, pois a 11ª Brigada não havia sido substituída na Ordem de batalha divisionária por esta altura. Recebeu a ordem de forçar a passagem de Hallouf. Durante a noite, em 24/25 de março de 1943, a Brigada 5 lançou seu ataque. O passe foi aberto contra forte oposição. As forças do Eixo recuaram para Wadi Akarit. Em 1 ° de abril, as duas brigadas da 4ª Divisão Indiana concentraram-se na área de Gabes. Em 5 de abril, a divisão avançou contra forte oposição nas colinas, e passou a atacar Djebel Garci em 18 de abril de 1943. A montanha foi mantida com grande força e o ataque foi paralisado. Na noite de 22/23 de abril, a Brigada de Infantaria 153 substituiu a Brigada 5, que foi retirada para a função de detenção. Em 30 de abril, a divisão foi transferida para o Primeiro Exército e IX Corpo de exército. Em 5 de maio, o ataque começou na lacuna de Medjez-el-Bab. 5 A Brigada atacou Bou Huaker. A linha se quebrou com o peso do avanço aliado. A divisão foi então envolvida em cercar as forças do Eixo, com o 1 Royal Sussex capturando o comandante das tropas do Eixo, General Von Arnim.

12 de maio de 1943 foi a cortina final para as Forças do Eixo quando elas se renderam e toda resistência cessou. O Fim na África.

História Militar Britânica é o recurso online que cobre o Exército Britânico, o Exército da Índia Britânica e os Aliados da Grã-Bretanha.

TELEFONE
+44 (0)1271 371187

MORADA
História Militar Britânica
68, Lower Cross Road
Bickington
BARNSTAPLE
Devon EX31 2PJ
Reino Unido


Horóscopo Diário

Nas primeiras horas do amanhecer, a lua de Escorpião forma quadratura com Saturno em Aquário, um trânsito de isolamento. Como muitos de nós ainda estaremos adormecidos quando esse aspecto se aperfeiçoar, podemos nos ver mergulhando em sonhos nos quais a solidão ou a separação dos entes queridos são os temas principais. Podemos estar preocupados com a morte e morrer agora, não em um sentido mórbido, mas porque estamos cientes da natureza passageira do tempo e do fato de que todas as coisas que nascem devem passar por sua vez. Esse trânsito pode não girar em torno de mortes físicas, mas emocionais - a morte de um relacionamento, de uma carreira ou mesmo de um senso de identidade. Pergunte se você se permitiu o espaço necessário para lamentar a perda ou se tem preenchido seus dias com distrações para evitar esse processo.

Às 03:02: a lua está oposta a Urano

Seguindo este aspecto, a lua se opõe a Urano. Podemos acordar de repente e ter dificuldade em voltar a dormir. Esse trânsito cria uma desconexão entre nossa intuição e instintos, sugerindo que evitamos agir por impulso. A oposição lua-Urano serve para desbloquear memórias enterradas na psique. Podemos nos lembrar de eventos da infância que foram profundamente suprimidos e, uma vez exumados, devemos fazer o possível para dar sentido a eles no contexto atual de nossas vidas. Agora é necessário que questionemos quem acreditamos ser. Cuidado para não criar conflito com um ente querido para desviar a atenção desse trabalho de sombra.


24 de abril de 1942 - História


A propaganda era fundamental para a Alemanha nacional-socialista. Esta página é uma coleção de traduções em inglês da propaganda nazista para o período de 1933 a 1945, parte de um site maior de propaganda alemã. O objetivo é ajudar as pessoas a compreender os grandes sistemas totalitários do século XX, dando-lhes acesso ao material primário. O arquivo é substancial. Se você estiver procurando por algo específico, experimente o função de busca. Para mais informações sobre o Arquivo de Propaganda Alemão, consulte o FAQ.

Meu livro Dobrando Espinhos: As Propagandas da Alemanha Nazista e da República Democrática Alemã(Michigan State University Press, 2004) fornece uma análise de grande parte do material do Arquivo de Propaganda Alemão. A edição de capa dura está esgotada, mas o brochura edição permanece disponível. Meu livro mais recente é Discursos de referência do nacional-socialismo (Texas A & ampM University Press). Ele está disponível nas edições de capa dura e brochura.


Declaração do presidente Joe Biden sobre o Dia da Memória da Armênia

A cada ano, neste dia, lembramos a vida de todos aqueles que morreram no genocídio armênio da era otomana e nos comprometemos a evitar que tal atrocidade ocorra novamente. A partir de 24 de abril de 1915, com a prisão de intelectuais armênios e líderes comunitários em Constantinopla pelas autoridades otomanas, um milhão e meio de armênios foram deportados, massacrados ou marcharam para a morte em uma campanha de extermínio. Honramos as vítimas do Meds Yeghern para que os horrores do que aconteceu nunca se percam na história. E nos lembramos para que permaneçamos sempre vigilantes contra a influência corrosiva do ódio em todas as suas formas.

Dos que sobreviveram, a maioria foi forçada a encontrar novas casas e novas vidas em todo o mundo, inclusive nos Estados Unidos. Com força e resiliência, o povo armênio sobreviveu e reconstruiu sua comunidade. Ao longo das décadas, os imigrantes armênios enriqueceram os Estados Unidos de inúmeras maneiras, mas nunca se esqueceram da história trágica que trouxe tantos de seus ancestrais às nossas terras. Honramos sua história. Nós vemos essa dor. Afirmamos a história. Fazemos isso não para culpar, mas para garantir que o que aconteceu nunca se repita.

Hoje, enquanto lamentamos o que foi perdido, vamos também voltar nossos olhos para o futuro - para o mundo que desejamos construir para nossos filhos. Um mundo imaculado pelos males diários do fanatismo e da intolerância, onde os direitos humanos são respeitados e onde todas as pessoas podem viver com dignidade e segurança. Vamos renovar nossa resolução comum para evitar que atrocidades futuras ocorram em qualquer parte do mundo. E vamos buscar a cura e a reconciliação para todas as pessoas do mundo.

O povo americano homenageia todos os armênios que morreram no genocídio que começou há 106 anos hoje.


Obituários recentes

Pelo sétimo ano consecutivo, Morgan & amp Nay Funeral Center mereceu Busca da excelência distinção para 2020 da National Funeral Directors Association (NFDA). Para obter esse reconhecimento, uma casa funerária deve atender aos mais altos padrões profissionais, éticos e operacionais, bem como atender seus clientes e a comunidade de maneira atenciosa, solidária e inovadora. A NFDA homenageará o presidente / proprietário da Morgan & amp Nay, Rodney L. Nay, em sua convenção nacional em Nashville em 2021. Este marco certamente alegra nossos corações e nos motiva a fazer ainda mais pela profissão funerária, pelas famílias que servimos e pela comunidade que chamamos de lar .

Capela Morgan e Nay Hanover
Vizinho Orgulhoso

do SW Jefferson County

Em nossa busca para fornecer aos clientes e vizinhos nos distritos de Hanover e Saluda um serviço mais próximo de casa e caro a seus corações, o Morgan & amp Nay Funeral Center abriu sua Capela de Hanover em 2017. Recebeu sete prêmios consecutivos Busca da excelência distinções da National Funeral Directors Association (2014-2020), Morgan & amp Nay mantém a mesma missão para a Capela de Hanover que distinguiu a localização de Madison por 23 anos, Superando as expectativas, refletindo desejos. Certamente conhecemos o valor do local com seus atributos de laços familiares, tradições comunitárias e rostos familiares.

2014
Diretor Funeral
do Ano

Um ícone no campo da publicação mortuária por 140 anos, a revista American Funeral Director em novembro de 2014 homenageou Rodney Nay, presidente / proprietário do Morgan & amp Nay Funeral Center, com sua mais alta distinção & ndash & ldquoFuneral Director of the Year. "Não, que já esteve em a profissão funerária por 34 anos, estampou a capa da revista & rsquos edição de dezembro de 2014, além de manchete a história principal dentro. Uma divisão da Kates-Boylston Publications, American Funeral Director reconheceu Nay em uma cerimônia formal em St. Petersburg, FL, quando foi revelado a capa da edição de dezembro. Os juízes selecionaram Nay com base no envolvimento da comunidade, modelo para a profissão de serviço funerário, abordagem inovadora para serviços funerários, atendimento ao cliente, programas de extensão e excelente perspicácia empresarial em vendas e marketing. A publicação anuncia o nacional destinatário todo mês de novembro.

Em memória
do George D. Morgan

Membro da profissão mortuária de Madison por 53 anos, George D. Morgan ajudou a estabelecer o Morgan & amp Nay Funeral Center em 1996 junto com seus colegas de trabalho Keith Webster e os irmãos Rodney e Roger Nay. Com carinho, lembramos e saudamos o comportamento compassivo de George, seus modos amigáveis, amor pelas crianças, palavras engraçadas, fascinação por trens e seu grande e firme aperto de mão que selou negócios e confirmou amizades para toda a vida. E todos os dias no lado comercial de nossa operação, continuamos a implementar os altos padrões - em políticas, procedimentos e atendimento ao cliente - que George estabeleceu há 21 anos. George, que morreu em 20 de junho de 2013, exemplificou verdadeiramente o impulso de nossa declaração de missão, Um vizinho de confiança - superando as expectativas, refletindo desejos.

Morgan & amp Nay Funeral Center
325 Demaree Drive - Madison, IN 47250


Livros de receitas e manuais de serviços de alimentação do Exército dos EUA

Sanderson, capitão James M. Camp Fires and Camp Cooking. Washington: GPO, 1862.

Departamento de subsistência, notas sobre produtos enlatados. Washington: GPO, 21 de dezembro de 1867. 52 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Relatório do Comissário-Geral de Subsistência. Washington: GPO, 10 de outubro de 1878. 10 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual para cozinheiros do exército. Washington: GPO, 1879.

Carpenter, W.L. Descrição e instruções de uso dos fornos de campo portáteis. Washington: GPO, 1880. 14 pp.

Bell, George. Notas sobre panificação, fornos permanentes e de campo e assadeiras. Washington: GPO, 1882. 143 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual para cozinheiros do exército. Washington: GPO, 1883. Reimpresso pela Times Rover Press, 1995.

Comissário Geral de Subsistência. Manual para cozinheiros do exército. Washington: GPO, 1892.

Comissário Geral de Subsistência. Manual de lojas de subsistência. War Dept. Doc. 19. Washington: GPO, 1896. 199 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual para cozinheiros do exército. War Dept. Doc. 18. Washington: GPO, 1896. 306 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual para o Exército dos Estados Unidos do Departamento de Subsistência. Washington: GPO, 1896.

Gabinete do Ajudante Geral. Subsistência e confusão nos exércitos europeus. Washington: GPO, 1897.

Comissário Geral de Subsistência. Ração do Exército: Tabelas de Emissão e Conversão. Washington: GPO, 1898. 10 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual de lojas de subsistência. War Dept. Doc. 21. Washington: GPO, 1898. 57 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual de lojas de subsistência. War Dept. Doc. 128. Washington: GPO, 1900. 223 pp.

Tribunal de Inquérito. Alimentos Fornecidos pelo Departamento de Subsistência às Tropas no Campo. 3 vols. Washington: GPO, 1900. 119 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Como alimentar um exército. Washington: GPO, 1901. 171 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual para o Exército dos Estados Unidos do Departamento de Subsistência. Washington: GPO, 1902.

Receitas usadas nas escolas de culinária do Exército dos EUA. Washington: GPO, 1906. 34 pp.

Comissário Geral de Subsistência. Manual para o Exército dos Estados Unidos do Departamento de Subsistência. Washington: GPO, 1908.

Escritório do Comissário Geral. Manual para o Exército dos Estados Unidos do Departamento de Subsistência. War Dept. Doc. 369. Washington: GPO, 1910. 194 pp.

Escritório do Comissário Geral. Manual para cozinheiros do exército. War Dept. Doc. 379. Washington: GPO, 19 de outubro de 1910. 185 pp.

Bach, Capt. CA. Suplemento nº 1, Manual para Cozinheiros do Exército. Washington: GPO, 1912. 110 pp. & quotPreparado para o uso de alunos da School for Bakers and Cooks & quot em Fort Riley, Kas.

Escritório do Intendente Geral. Manual para padeiros do exército. War Dept. Doc. 563. Washington: GPO, 1916. 123pp.

Escritório do Intendente Geral. Manual para cozinheiros do exército. War Dept. Doc. 564. Washington: GPO, 21 de novembro de 1916. 270 pp. Reimpresso pela Military Publishing Co., New York, c. 1916. Substituído por TM 2100-152 de 2 de abril de 1928.

Escritório do Intendente Geral. Extratos do Manual para Cozinheiros do Exército. War Dept. Doc. 564A. Washington: GPO, 6 de julho de 1917. 116 pp. Substituído por TM 2100-152 de 2 de abril de 1928.

Pedidos de refeições e recibos de suprimentos para tropas nos trens. War Dept. Cir. 8. Washington: GPO, 9 de outubro de 1918. 1p.

Lavagem de Pratos e Equipamentos de Refeição. War Dept. Cir. 21. Washington: GPO, c1920. 1p.

Meyer, capitão Jack L. Notas sobre bagunça e inspeção de bagunça no campo: Para uso da Guarda Nacional. War Dept. Militia Bureau Doc. No. 916. Washington: GPO, 1926. 24 pp. De acordo com o prefácio do Major Gen. C.C. Howard, Extracts from Manual for Army Cooks (War Dept. Doc. 564A, 1917) ainda estava sendo usado por messes do Exército.

Escritório do Intendente Geral. O Padeiro do Exército. War Dept. Doc. 6a. Washington: GPO, 1926. 76 pp.

O cozinheiro do exército. TM 2100-152. Washington: GPO, 2 de abril de 1928. 168pp. Substitui a edição de 1916 do Manual para cozinheiros do exército e os trechos de 1917 do Manual para cozinheiros do exército. Substituído pela edição de 31 de dezembro de 1935.

Escritório do Intendente Geral. O cozinheiro do exército. TM 2100-152. Washington: GPO, 31 de dezembro de 1935. 196 pp. Substitui a edição de 2 de abril de 1928. Substituído por TM 10-405 de 9 de junho de 1941.

Escritório do Intendente Geral. Farinha e Outros Produtos Cereais. Sub. Boletim No. 15. Washington: GPO, 1937. 232 pp.

Army Baker. TM 2100-151. Washington: GPO, 20 de novembro de 1939. 109pp. Substituído por TM 10-410 de 26 de março de 1941.

Gerenciamento de bagunça. TM 10-205. Washington: GPO, 1 ° de abril de 1940. 30 pp. Substituído pela edição de 6 de julho de 1942.

Operação comissário. TM 10-215. Washington: GPO, 12 de setembro de 1940. 184 pp.

Inspeção de Suprimentos de Subsistência. TM 10-210. Washington: GPO, 23 de setembro de 1940. 139 pp.

Escritório do Intendente Geral. Aves e ovos. Sub. Boletim No. 16. Washington: GPO, 1940. 94 pp.

Escritório do Intendente Geral. Army Baker. TM 10-410. Washington: GPO, 26 de março de 1941. 147 pp. Substitui TM 2100-151 de 20 de novembro de 1939. Substituído pela edição de 1 de julho de 1942.

O cozinheiro do exército. TM 10-405. Washington: GPO, 9 de junho de 1941. 257 pp. Substitui TM 2100-152 de 31 de dezembro de 1935. Substituído pela edição de 24 de abril de 1942.

O cozinheiro do exército. TM 10-405. Washington: GPO, 24 de abril de 1942. 259 pp. Substitui a edição de 9 de junho de 1941. Próxima edição, 28 de agosto de 1946.

O Padeiro do Exército. TM 10-410. Washington: GPO, 1 ° de julho de 1942. 160 pp. Substitui a edição de 26 de março de 1941.

Gerenciamento e treinamento da bagunça. TM 10-205. Washington: GPO, 6 de julho de 1942. 48 pp. Substitui a edição de 1º de abril de 1940. Substituído pela edição de 3 de outubro de 1944.

Escritório de Relações Públicas. O soldado e sua comida. Panfleto. Washington: GPO, 1942. 27 pp.

Manual do Quartermaster: Bakery Company. TM 10-415. Washington: GPO, março de 1943. 119 pp. Substituído por FM 10-14 de 11 de outubro de 1950.

Corte de carne. TM 10-407. Washington: GPO, 1 ° de julho de 1943. 69 pp. Substituído por TM 10-418 de fevereiro de 1952.

Cortar e preparar cordeiro. TM 10-408. Washington: GPO, 1 ° de julho de 1943. 28 pp. Substituído por TM 10-418 de fevereiro de 1952.

Manual de panificação para o cozinheiro do exército. TM 10-411. Washington: GPO, 5 de outubro de 1943. 112 pp. Primeira edição deste manual. Substituído por TM 10-405 de 28 de agosto de 1946.

Empresa de Refrigeração Móvel. TM 10-615. Washington: GPO, 15 de novembro de 1943. 90 pp. Substituído por FM 10-24 de 13 de março de 1952.

Cozinhando Alimentos Desidratados. TM 10-406. Washington: GPO, 22 de novembro de 1943. 73 pp. Primeira edição do manual. Substituído por TM 10-405 de 28 de agosto de 1946.

TB 10-405-1. Washington: GPO, 2 de março de 1944. Substituído por TM 10-405 de 28 de agosto de 1946.

TB 10-406-1. Washington: GPO, 6 de março de 1944. Substituído por TM 10-405 de 28 de agosto de 1946.

TB QM 10. Washington: GPO, 28 de abril de 1944. Substituído por TM 10-405 de 28 de agosto de 1946.

Perguntas e respostas sobre carne. TB 10-405-2. Washington: GPO, 29 de abril de 1944. 54pp. Substituído por TM 10-405 de 28 de agosto de 1946.

Railhead Company. TM 10-379. Washington: GPO, 1 ° de julho de 1944. 112 pp. Substituído por FM 10-19 de 9 de abril de 1951.

Receitas do Exército. TM 10-412. Washington: GPO, 15 de agosto de 1944. 268 pp. Primeira edição do manual. Antes da publicação deste manual técnico, as receitas foram encontradas em The Army Cook (TM 10-405). Próxima edição, 27 de agosto de 1946.

Carne Fumada e Curada. TB QM 25. Washington: GPO, 10 de agosto de 1944. Substituído por TM 10-418 de 26 de maio de 1964.

SB 10-122. Washington: GPO, 8 de setembro de 1944. Substituído por TM 10-405 de 28 de agosto de 1946.

Gerenciamento e treinamento de bagunça. TM 10-205. Washington: GPO, 3 de outubro de 1944. 84 pp. Substitui a edição de 6 de julho de 1942. Substituído por TM 10-402 de 21 de março de 1951.

TB QM 28. Washington: GPO, 20 de outubro de 1944. Substituído por TM 10-418 de 26 de maio de 1964.

Escritório do Intendente, Zona de Comunicações da Sede, Teatro Europeu de Operações. Brincando no ETO. Washington: GPO, outubro de 1944. Edição revisada. 167pp.

Peixes e produtos pesqueiros. TB QM 33. Washington: GPO, 1944. 53 pp.

Operações da Panificação Garrison. TB QM 30. Washington: GPO, 1944. 76 pp.

Sistema bancário de rações. SB 10-140. Washington: GPO, 1944. 10 pp.

Thatcher, Harold W. O Desenvolvimento de Rações Especiais para o Exército. QMC Historical Study No. 6. Washington: GPO, 1944. 132 pp.

Alimentos Desidratados. TB QM 45. Washington: GPO, 14 de abril de 1945. 87pp.

Carros, suprimentos, equipamentos e rações de cozinha. TM 10-206. Washington: GPO, 16 de junho de 1945. 50 pp. Substituído pela edição de 6 de março de 1961.

Forças do Exército dos EUA no Teatro Europeu. Oficial do Theatre Chief Quartermaster. Operações de Panificação e Torrefação de Café. Operation Study No. 17. Washington: GPO, 1 de novembro de 1945. 22 pp.

O Padeiro do Exército. TM 10-410. Washington: GPO, 1945. 60 pp.

O Padeiro do Exército. TM 10-410. Washington: GPO, abril de 1946.

Operação Central de Pastelaria. TM 10-414. Washington: GPO, maio de 1946. Primeira edição do manual. 21pp.

Receitas TM 10-412. Washington: GPO, 27 de agosto de 1946. 497 pp. Substitui a edição de 15 de agosto de 1944. Próxima edição, 14 de novembro de 1950.

O cozinheiro do exército. TM 10-405. Washington: GPO, 28 de agosto de 1946. 199pp. Substitui a edição de 24 de abril de 1942 e estes manuais: TM 10-406 de 22 de novembro de 1943, TM 10-411 de 5 de outubro de 1943, TB QM 10 de 28 de abril de 1944, TB 10-405-1 de 2 de março, 1944, TB 10-405-2 de 29 de abril de 1944, TB 10-406 de 6 de março de 1944 e SB 10-122 de 8 de setembro de 1944. Próxima edição em 25 de setembro de 1957.

TM 10-409. Washington: GPO, 1º de setembro de 1947.

TB QM 50. Substituído por TM 10-405 de 25 de setembro de 1957. Substituído por TM 10-418 de fevereiro de 1952.

TB QM 51-1. Washington: GPO, 28 de abril de 1947. Substituído por TM 10-418 de 26 de maio de 1964.

TB QM 50-2. Washington: GPO, 6 de outubro de 1947. Substituído por TM 10-405 de 25 de setembro de 1957.

Operações de cozimento da guarnição. TM 10-417. Washington: GPO, 19 de janeiro de 1946.

Food Service Drive: Melhores cafés da manhã. TB QM 50-7. Washington: GPO, 13 de abril de 1948. 11 pp.

Unidade de Food Service: Especiarias e Ervas. TB QM 50-8. Washington: GPO, 23 de abril de 1948. 9 pp.

TB QM 53. Washington: GPO, 23 de março de 1948. Substituído por TM 10-405 de 25 de setembro de 1957.

Supervisão de Food Service. TM 10-401. Washington: GPO, 14 de abril de 1948. 61 pp. Primeira edição deste manual. Próxima edição, 8 de março de 1957.

TB QM 50-12. Washington: GPO, 2 de setembro de 1948. Substituído por TM 10-405 de 25 de setembro de 1957.

Escritório do Intendente Geral. Estudo de Custo da Ração do Exército. Washington: GPO, fevereiro de 1949.

Reconstituição e Congelamento da Mistura para Sorvetes Secos ou em Pasta. TB QM 54. Washington: GPO, 14 de março de 1949. 16 pp.

Quartermaster Bakery Company, Mobile. FM 10-14. Washington: GPO, 11 de outubro de 1950. 139 pp. Substitui TM 10-415 de 24 de julho de 1943.

Receitas TM 10-412. Washington: GPO, 14 de novembro de 1950. 497 pp. Publicação Joint Air Force-Army. Substitui a edição de 27 de agosto de 1946. Próximas edições (TM 10-412-1 a 10-412-7) datadas de 1957 a 1966.

Gerenciamento de bagunça. TM 10-402. Washington: GPO, 21 de março de 1951. 80 pp. Substitui TM 10-205 de 3 de outubro de 1944. Substituído por TM 10-405 de 25 de setembro de 1957.

Quartermaster Subsistence Supply Company. FM 10-19. Washington: GPO, 9 de abril de 1951. 112 pp. Substitui TM 10-379 de 1º de julho de 1944.

Livro de exercícios do cozinheiro do exército. TM 10-405A. Washington: GPO, maio de 1951.

Fornecimento de Subsistência em Teatro de Operações. FM 10-60. Washington: GPO, julho de 1951.

TB QM 58. Washington: GPO, 25 de outubro de 1951. Substituído por TM 10-405 de 25 de setembro de 1957.

Apostila de gerenciamento de mensagens. TM 10-402A. Washington: GPO, 20 de novembro de 1951. 39 pp. Primeira edição do manual.

Quartermaster Refrigeration Company, Mobile. FM 10-24. Washington: GPO, 13 de março de 1952. 138 pp. Substitui TM 10-615 de 15 de novembro de 1943.

Problema de ração para processamento de carne. TM 10-418. Washington: GPO, 21 de fevereiro de 1952. 174pp. Substitui TM 10-407 de 1º de julho de 1943, TM 10-408 de 1º de julho de 1943 e TM 10-409 de 1º de setembro de 1947. Esta é a primeira edição deste manual. Substituído pela edição de 26 de maio de 1964. Publicação Joint Air Force-Army.

Serviço de Saúde Pública dos EUA. Guia do Instrutor - Serviço de Alimentação Sanitária. Washington: GPO, novembro de 1952. Publicação conjunta do PHS, U.S. Air Force, U.S. Army and U.S. Navy.

O Conselheiro Alimentar do Exército. TM 10-401. Washington: GPO, 8 de março de 1957. 32 pp. Substitui a edição de 14 de abril de 1948.

Receitas do Exército (Carne, Aves, Peixe, Molhos, Molhos e Molhos). TM 10-412-1. Washington: GPO, 4 de abril de 1957. 152 pp. Substitui as seções VIII, XII e XVII do TM 10-412 de 14 de novembro de 1950. Substituído pelo Serviço de Receita das Forças Armadas de fevereiro de 1969.

Receitas do Exército (Ovos, Queijo e Sanduíches). TM 10-412-2. Washington: GPO, 11 de junho de 1957. 39 pp. Substitui as partes apropriadas das seções VII, XI e XVI do TM 10-412 de 14 de novembro de 1950. Substituído pelo Serviço de Receita das Forças Armadas de fevereiro de 1969.

Operações de confusão do exército. TM 10-405. Washington: GPO, 25 de setembro de 1957. 118 pp. Substitui a edição de 28 de agosto de 1946 e estes manuais: TM 10-402 de 21 de março de 1951, TB QM 50 de 1 de julho de 1947, TB QM 50-2 de 6 de outubro de 1947, TB QM 50-12 de 2 de setembro, 1948 e TB QM 58 de 25 de outubro de 1951.

Escritório do Intendente Geral. Preservação de Radiação de Alimentos. Washington: GPO, 1957.

(Título desconhecido.) TB QM 50-4. Washington: GPO, 21 de fevereiro de 1958. Substituído por TM 10-419 de 4 de março de 1966.

Kochler, Franz A. Café nas Forças Armadas: Desenvolvimento Militar e Conversão em Fornecimento para a Indústria. No. 5 em QMC Historical Studies. Série II. Washington: GPO, 1958. 134 pp.

Receitas do Exército (Legumes e Legumes). TM 10-412-3. Washington: GPO, 7 de janeiro de 1959. 93pp. Substitui a seção XIX do TM 10-412 de 14 de novembro de 1950. Substituído pelo Serviço de Receita das Forças Armadas de fevereiro de 1969.

(Título desconhecido.) TB QM 61. Washington: GPO, 1 de outubro de 1959. Substituído por TM 10-419 de 4 de março de 1966.

Fornecimento de Subsistência em Teatro de Operações. TM 10-60. Washington: GPO, novembro de 1960.

(Título desconhecido.) TB QM 50-8. Washington: GPO, 24 de fevereiro de 1961. Substituído por TM 10-419 de 4 de março de 1966.

Receitas do Exército (Saladas e Molhos para Salada). TM 10-412-4. Washington: GPO, 19 de maio de 1961. 138 pp. Nenhuma anotação quanto a qual edição do TM 10-412 isso substitui. Substituído pelo Serviço de Receita das Forças Armadas de fevereiro de 1969.

Operações de vagões de cozinha ferroviária. TM 10-206. Washington: GPO, 6 de março de 1961. 60 pp. Substitui a edição de 16 de junho de 1945. Substituído por TM 10-405 de 23 de agosto de 1967.

(Título desconhecido.) TB QM 33. Washington: GPO, 2 de junho de 1961. Substituído por TM 10-419 de 4 de março de 1966.

(Título desconhecido.) TB QM 39. Washington: GPO, 5 de março de 1962. Substituído por TM 10-405 de 23 de agosto de 1967.

Receitas do Exército (Aperitivos, Bebidas e Sopas). TM 10-412-7. Washington: GPO, 5 de setembro de 1962. 173 pp. A alteração 1 é datada de 18 de setembro de 1963. Nenhuma anotação sobre qual edição do TM 10-412 ela substitui. Substituído pelo Serviço de Receita das Forças Armadas de fevereiro de 1969.

Pastelaria Assada. TM 10-411. Washington: GPO, 8 de agosto de 1962. 203 pp. Substitui porções de TM 10-412 de 14 de novembro de 1950. Publicação da Força Aérea Conjunta-Exército.

Operações de confusão do exército. TM 10-405. Washington: GPO, 27 de setembro de 1962. 142 pp. Substitui a edição de 25 de setembro de 1957. Substituída pela edição de 23 de agosto de 1967.

(Título desconhecido.) TB QM 53. Washington: GPO, 9 de maio de 1963. Substituído por TM 10-419 de 4 de março de 1966.

Pão Assado. TM 10-410. Washington: GPO, 2 de dezembro de 1963. Substituído pela edição de 29 de maio de 1969. Publicação da Força Aérea Conjunta-Exército.

Receitas do Exército (Pães (Massas), Cereais e Produtos em Pasta). TM 10-412-5. Washington: GPO, 15 de maio de 1965. 161 pp. Nenhuma anotação quanto a qual edição do TM 10-412 isso substitui. Substituído pelo Serviço de Receita das Forças Armadas de fevereiro de 1969.

Problema de ração para processamento de carne. TM 10-418. Washington: GPO, 26 de maio de 1964. 196 pp. Substitui a edição de 21 de fevereiro de 1952 e TB QM 25 de 10 de agosto de 1944 TB QM 28 de 20 de outubro de 1944 e TB QM 51-1 de 28 de abril de 1947. Publicação Joint Air Force-Army.

O Conselheiro Alimentar do Exército. TM 10-401. Washington: GPO, 17 de junho de 1964. 34 pp. Substituído pela edição de 14 de junho de 1967.

(Título desconhecido.) TC 10-7. Washington: GPO, 28 de julho de 1964. Substituído por TM 10-405 de 23 de agosto de 1967.

Preparação e Serviço de Alimentos na Garrison Mess. TM 10-419. Washington: GPO, 4 de março de 1966. Substitui TB QM 33 de 2 de junho de 1961, TB QM 50-4 de 21 de fevereiro de 1958, TB QM 50-8 de 24 de fevereiro de 1961, TM QM 53 de 9 de maio de 1963 e TB QM 61 de 1º de outubro de 1959.

Receitas do exército (sobremesas). TM 10-412-6. Washington: GPO, 31 de outubro de 1966. 435 pp. Nenhuma anotação quanto a qual edição do TM 10-412 isso substitui. Substituído pelo Serviço de Receita das Forças Armadas de fevereiro de 1969.

Pastelaria Assada. TM 10-411. Washington: GPO, 11 de outubro de 1966. 159 pp. Substituído pelo FM 10-22 de 13 de fevereiro de 1985.

Operações de ponto de desagregação de ração. TM 10-404. Washington: GPO, maio de 1967. 48 pp.

O Conselheiro Alimentar do Exército. TM 10-401. Washington: GPO, 14 de junho de 1967. 34 pp. Supera a edição de 17 de junho de 1964.

Operações de confusão do exército. TM 10-405. 23 de agosto de 1967. Washington: GPO, 150 pp. Substitui a edição de 27 de setembro de 1962 e TM 10-206 de 6 de março de 1961, TC 10-7 de 28 de julho de 1964 e QM TB 39 de 5 de março de 1962. Substituído por FM 10-23 de 15 de outubro de 1974.

Ração padrão & quotB & quot para as Forças Armadas. SB 10-495. Washington: GPO, 5 de janeiro de 1968. Próxima edição, 19 de maio de 1971. Publicação Joint Air Force-Army-Marine-Navy.

Comitê de Serviço de Receita das Forças Armadas. Serviço de Receita das Forças Armadas e Índice de Receitas. TM 10-412. Washington: GPO, fevereiro de 1969. Carga 1: 1º de março de 1971, alteração 2: 29 de setembro de 1972, alteração 3: 2 de outubro de 1974 e alteração 4: 1º de setembro de 1976. Força Aérea Conjunta-Exército-Corpo de Fuzileiros Navais-Marinha publicação. Substitui TM 10-412-1 a TN 10-412-7, datado entre 1957 e 1966. Substituído pela edição de 1º de maio de 1980.

Pão Assado. TM 10-410. Washington: GPO, 29 de maio de 1969. 160 pp. Substitui a edição de 2 de dezembro de 1963. Substituído pelo FM 10-22 de 13 de fevereiro de 1985.

Dept. of Health, Education and Welfare, U.S. Public Health Service. Serviço de Alimentação Sanitária: Guia do Instrutor. TM 8-525. Washington: GPO, 1969. Também conhecido como Public Health Service Publication No. 90.

Ração padrão & quotB & quot para as Forças Armadas. SB 10-495. Washington: GPO, 19 de maio de 1971. 67 pp. Substitui a edição de 5 de janeiro de 1968. Próxima edição, 29 de novembro de 1984. Publicação Conjunta Força Aérea-Exército-Fuzileiro Naval-Marinha.

O Conselheiro Alimentar do Exército. TM 10-401. Washington: GPO, 12 de outubro de 1971. 34 pp. Substituído pela edição de 31 de outubro de 1977.

Preparação e serviço de comida no refeitório da guarnição. TM 10-419. Washington: GPO, 15 de junho de 1973. 107pp. Substituído por FM 10-25 de 15 de abril de 1976.

Refeições de caixa, menus de alimentação de voo e comboio motorizado. SB 10-540. Washington: GPO, 29 de maio de 1974.

Operações de cozimento. FM 10-22. Washington: GPO, 20 de junho de 1974. Substituído pela edição de 3 de junho de 1977.

Operações de alimentação de tropas do exército. FM 10-23. Washington: GPO, 15 de outubro de 1974. Substitui TM 10-405 de 23 de agosto de 1967. Substituído pela edição de 29 de setembro de 1978.

Guia do Comandante para Operações de Jantar. TC 10-16. Washington: GPO, fevereiro de 1976. 87pp. Substituído pelo FM 10-23-1 de 30 de março de 1981.

Padrões do menu das Forças Armadas. SB 10-262. Washington: GPO, 30 de abril de 1976. 6 pp. Publicação Conjunta Força Aérea-Exército-Fuzileiros Navais-Marinha. Substituído pela edição de 8 de setembro de 1989.

Preparação e serviço de comida na sala de jantar da guarnição. FM 10-25. Washington: GPO, 15 de abril de 1976. Substitui TM 10-419 de 15 de junho de 1973.

Operações de cozimento. FM 10-22. Washington: GPO, 3 de junho de 1977. Substitui a edição de 20 de junho de 1974, TM 10-410 de 29 de maio de 1969 e TM 10-411 de 11 de outubro de 1966. Substituído pela edição de 13 de fevereiro de 1985.

O Conselheiro Alimentar do Exército. FM 10-26. Washington: GPO, 31 de outubro de 1977. 34 pp. Substitui a edição de 12 de outubro de 1971. Substituída pela edição de 9 de agosto de 1985.

Operações de Distribuição de Ração. FM 10-24. Washington: GPO, 31 de outubro de 1977. Substituído pela edição de 31 de maio de 1983.

Operações do Serviço de Alimentação do Exército. FM 10-23. Washington: GPO, 29 de setembro de 1978. Substitui a edição de 29 de setembro de 1978. Substituída pela edição de 23 de maio de 1986.

Comitê de Receita das Forças Armadas. Serviço de Receita das Forças Armadas e Índice de Receitas. TM 10-412. Washington: GPO, May 1, 1980. Change 1: March 1984, change 2: March 1986, change 3: May 1987, and change 4: September 1989. Joint Air Force-Army-Marine Corps-Navy publication. Superseded by edition of 1992.

Commander's Guide to Food Service Operations. FM 10-23-1. Washington: GPO, March 30, 1981. 93pp.

14-Day US Army Reserve Component and Field Training Menu. SB 10-263. Supersedes edition of February 28, 1979. Washington: GPO, January 22, 1982. 50pp.

Box Lunches, Flight Feeding and Motor Convoy Menus. SB 10-540. Supersedes edition of May 29, 1974. Washington: GPO, June 15, 1982. 22pp.

Preparation and Serving of Food in the Garrison Dining Facility. FM 10-25. Washington: GPO, May 31, 1983.

Ration Distribution Operations. FM 10-24. Washington: GPO, May 31, 1983. Supercedes edition of October 31, 1977. Portions of this manual superceded by FM 10-23 of December 12, 1991 and FM 10-23-2 of September 30, 1993.

Standard "B" Ration for the Armed Forces. SB 10-495. Washington: GPO, November 29, 1984. Supersedes edition of May 19, 1971. Joint Army-Marine-Navy publication.

Baking Operations. FM 10-22. Washington: GPO, February 3, 1985. Supersedes edition of June 3, 1977. Portions of this manual superceded by FM 10-23 of December 12, 1991.

Nutrient Values of Master Menu Recipes and Food Items. SB 10-264. Washington: GPO, February 28, 1985.

The Army Food Advisor. FM 10-26. Washington: GPO, August 9, 1985. Supersedes edition of October 31, 1977. Portions of this manual superceded by FM 10-23 of December 12, 1991. Superseded by FM 10-23 dated September 30, 1993.

Army Food Service Operations. FM 10-23. Washington: GPO, May 23, 1986. Supersedes edition of September 29, 1978. Superceded by edition of December 12, 1991.

Combat Field Feeding (CFFS) Operations. FC 21-150. Washington: GPO, July 1986. Expired July 1989.

14-Day US Army Reserve Component and Field Training Menu. SB 10-263. Washington: GPO, October 22, 1988. 184pp. Supersedes edition of January 22, 1982.

Armed Forces Menu Standards. SB 10-262. Washington: GPO, September 8, 1989. 6pp. Joint Air Force-Army-Marine Corps-Navy publication. Supercedes edition of April 30, 1976.

Basic Doctrine for Army Field Feeding. FM 10-23. Washington: GPO, December 12, 1991. Supersedes edition of May 23, 1986. Superceded by edition of April 18, 1996.

Armed Forces Recipe Service Committee. Armed Forces Recipe Service and Index of Recipes. TM 10-412. Washington: GPO, September 1, 1992. Change 1: July 1997 and change 2: April 1999. Joint Air Force-Army-Marine Corps-Navy publication.

Tactics, Techniques, and Procedures for Garrison Food Preparation and Class I Operations Management. TM 10-23-2. Washington: GPO, September 30, 1993. Supersedes FM 10-22, FM 10-24, FM 10-25, FM 10-26 and TM 10-415.

Basic Doctrine for Army Field Feeding and Class I Operations Management. FM 10-23. Washington: GPO, April 18, 1996. Supersedes edition of December 21, 1991.

Master Menu for July 1996. SB 10-260. Washington: GPO, April 20, 1996. Representative sample the master menu is published monthly.

Recapitulation of Master Menu Issues for July 1996. SB 10-260-1. Washington: GPO, April 20, 1996. Representative sample the master menu recapitulation is published monthly.


Tennessee Historical Quarterly

Established in 1942, the Tennessee Historical Quarterly (THQ) appears four times a year. The illustrated articles cover all aspects of Tennessee history, from first European contact to the late 20th century, and all regions of the state, while books reviews cover the latest publications on Tennessee history and related topics. The journal also often includes edited primary documents. Articles are reviewed by scholarly experts before publication, ensuring that the finest articles on Tennessee appear in the THQ.

The "moving wall" represents the time period between the last issue available in JSTOR and the most recently published issue of a journal. Moving walls are generally represented in years. In rare instances, a publisher has elected to have a "zero" moving wall, so their current issues are available in JSTOR shortly after publication.
Note: In calculating the moving wall, the current year is not counted.
For example, if the current year is 2008 and a journal has a 5 year moving wall, articles from the year 2002 are available.

Terms Related to the Moving Wall Fixed walls: Journals with no new volumes being added to the archive. Absorbed: Journals that are combined with another title. Complete: Journals that are no longer published or that have been combined with another title.


An Overdue Pacific War Perspective

For decades the European dimension has utterly dominated the national narrative of America's role in history's greatest war. This is the war of HBO's miniseries Band of Brothers — Hitler, D-Day, and the Holocaust. The average American memory of the Asian-Pacific war seldom ventures beyond Pearl Harbor, Iwo Jima, and Hiroshima — if that far. Potentially the single-most important and enduring achievement of the new HBO miniseries O Pacífico will be to inspire a long-overdue reawakening to the strategic importance, sheer scale, and unsurpassed savagery of the wars unleashed by Japan. It should also afford a portal through which later generations will recover an understanding of the American people's consciousness of their World War II enemies.

Japan, having seized Manchuria in 1931, continued to subjugate swaths of China until July 1937, when full-scale war between the two countries erupted. To Japan's shocked surprise, despite a huge loss of territory and the death of millions, the Chinese people refused to yield to foreign conquest as they had for more than a century. Instead, China grimly continued to resist. The struggle generated appalling visual imagery and horrifying accounts from missionaries that trumped both the vast racial divide and American isolationism in setting the United States on a collision course with Japan. It culminated in the Pearl Harbor attack quickly followed by Germany's declaration of war on the United States.

These momentous twin strokes fused together what had been two separate wars, in Europe and in Asia, and also thrust a united and impassioned America into the war. It's impossible to overstate the importance of this sequence of events to the outcome of the whole global struggle. If the Chinese had quit the war before 1941, Japan may have joined Germany in overwhelming the Soviet Union. Further, there would be no clear route to a resolute American entry into the war.

The Asian-Pacific aspect of the conflict also rendered one other signal contribution to the war's course. In the early months of 1942, German commanders urged a coordinated Axis strategy of a German advance down through the Middle East to link up with a Japanese naval thrust across the Indian Ocean. This would sever the last connection between China and its allies, ending its participation in the war and freeing up large Japanese ground forces for the Pacific — or for use against the Soviet Union. It would likewise collapse Great Britain's position in India and the Middle East, a devastating blow almost certain to bring down Prime Minister Winston Churchill's government, and eliminate the Allies' supply route through the Persian Gulf, along which the United States shipped the majority of Lend-Lease armaments destined for the Soviets. The American victories at Midway and then Guadalcanal, however, foreclosed what loomed as the Axis powers' last realistic chance to win the war.

The date of the Pearl Harbor attack additionally affords a benchmark for gauging the European and Asian-Pacific conflicts. Adolf Hitler's Germany needed roughly 28 months to conquer an expanse of the globe spanning four time zones and encompassing about 225 million people. In just six months from December 1941, imperial Japan burst from her stalemate in China to master territories from the borders of India in the east across Southeast Asia, China, and Korea northeast to the Aleutian Islands and southward to New Guinea and the Solomon Islands. The empire blanketed seven time zones and included about 400 million people.

If this portrait of the scale of the Asian-Pacific war constitutes a revelation to contemporary Americans, full grasp of the savagery of that conflict likewise provokes surprise. There are no certain figures for the overall death toll in World War II. Published totals now customarily range from 50 million to 65 million — the fact that even today there is no agreement on deaths to within 10 million to 15 million is stunning. The toll in the Asian-Pacific theaters is generally placed between 17 million and 27 million. Thus, at least a third and possibly closer to half the conflict's worldwide deaths occurred in the Asian and Pacific areas.

Further proof of the Far Eastern conflict's savagery is the starling contrast between the ratio of noncombatant deaths to military deaths in the European and the Asian-Pacific wars. Because Nazi Germany has, for good reason, become a symbol of evil, most Americans assume the proportion of civilian deaths was much higher in Europe. The reality is that the ratio in Europe is somewhere between 1 to 1.3 noncombatant deaths for every military death. In the Asian-Pacific theaters, however, 3 to perhaps as many as 5 noncombatants died for each combatant who was killed. Moreover, approximately 90 percent of those noncombatant deaths were not Japanese. The number of civilians killed in all the bombings of Japan, including the atomic blasts, only runs between 2 and 4 percent of all noncombatant deaths in the Asian-Pacific theaters.

Without a doubt, the clash between Germany and the Soviet Union featured mass barbarities and the widespread killing of prisoners of war. In the Pacific, however, imperial Japan adopted a bastardized version of the ancient Bushido warrior code between the 1920s and 1941 that inculcated the norm for every Japanese serviceman that surrender was an act of unbearable shame. For each Japanese soldier, airman, and sailor, battle could only end in victory or extinction. Between 1937 and 1945, there was no organized surrender of any Japanese unit in any skirmish, battle, or campaign. That's a record utterly without historical parallel for a nation-state. Thus, the elemental force propelling the Pacific war into the unsurpassed depths of savagery was not race, but culture.

There is yet another startling disconnect between American memory and actual history. While the American public during World War II grasped the importance of stopping Hitler's grand design of world conquest and they knew generally of the ruthlessness of Nazi Germany, only a minuscule number of Americans prior to April 1945 comprehended the reality of what is now referred to as the Holocaust. As late as November 1944, a Gallup poll showed that while three out of four Americans acknowledged Jews as Hitler's special target, only 3 percent believed that the Nazi regime had killed even as a many as one million Jews. The overwhelming majority of Americans placed the figure at far less, and only an infinitesimal number credited the scattered accounts of mass, industrialized-scale murder. It was only in April 1945, as British and U.S. forces overran concentration camps in Germany, that the reality of what Nazi Germany had perpetrated hit the vast majority of the American people.

In stark contrast to contemporary U.S. attitudes about Hitler's Germany stands American knowledge about Japan. From 1937 to 1941, the American public was showered with graphic imagery from China of Japanese savagery some images depicted bestiality so extreme that they were not published. By contrast, Germany made sure no such damning visual evidence escaped its orbit. Thus, prior to Pearl Harbor, the American people had no reason to judge Hitler's Germany as inherently more evil than Japan if anything, the reverse was true. This perception reflected an important reality. When Hitler attacked Poland in September 1939, his regime had at most killed tens of thousands. As of that date, Japan had slaughtered literally millions of Chinese and Soviet leader Joseph Stalin's death toll likewise was in seven figures, at least. Hitler's slaughters only moved into the millions range in the second half of 1941.

Millions of viewers will approach O Pacífico with one urgent question: How does it compare — indeed can it compare — with Band of Brothers ? At one level the parallels seem obvious. Both view the war through the eyes of men in one unit. Band of Brothers followed the paratroopers of E Company, 506th Parachute Infantry Regiment, 101st Airborne Division. O Pacífico follows three main figures each serving in a separate infantry regiment of the 1st Marine Division: Robert Leckie (1st Marine Regiment), Eugene Sledge (5th Marines), and John Basilone (7th Marines).

What is counterintuitive about this chasm between a company and a division as the "unit" is that the average viewer will more swiftly bond with the Marines in O Pacífico. Even fervent admirers of Band of Brothers confess that it takes multiple viewings to sort out all the individuals from part one to part ten. O Pacífico immediately introduces the three central Marines and locates the key secondary characters as satellites to each main character. The viewer quickly recognizes "Runner," "Hoosier," and "Chuckler" with Leckie J. P. Morgan and "Manny" Rodriguez with Basilone and R. V. Burgin, Bill Leyden, and Merriel "Snafu" Shelton with Sledge. The key exception to this pattern is Sid Phillips, who links Leckie (Sid's one of his buddies) and Sledge (Sid's childhood friend from Mobile, Alabama). The structure translates directly into rapid and intense emotional investment with the characters. Added to that is the high tension the series produces by demonstrating early that there's no guarantee any particular Marine will survive.

O Pacífico displays the same meticulous attention to technical detail and special-effects wizardry that characterized Band of Brothers. As with the earlier miniseries, fanatics will find the rare misstep along the way, but uniforms and equipment, language and weapons' effects overwhelmingly meet the extraordinary detailed standards set by Band of Brothers. The action sequences are, in my opinion, even more riveting for two reasons. The first is that action in the jungles or Pacific islands compelled combat at extremely close range. The second is that, unlike the Germans, the Japanese chose to fight predominantely at night. While their predilection for nocturnal combat rested on tactical considerations, psychologically it also recruited man's most primitive fears. The depiction of the struggles in darkness presents a far tougher cinematic challenge that the production brilliantly surmounts.

O Pacífico also excels in another key dimension. Few would suggest that the Japanese were a more menacing battlefield foe than the Germans or that fighting in Europe lacked daunting physical challenges. But virtually all World War II veterans agreed that the physical rigors of fighting in dense, damp, and terrifying jungles in the Pacific and the absence of any trappings of civilization set apart combat against the Japanese. Thus, one of the triumphs of O Pacífico is the graphic re-creation of that incredibly alien and depressing environment.

Viewers of O Pacífico will note that it's even more relentless than Band of Brothers in maintaining the perspective of front-line infantry. This does, however, produce some regrettable but inevitable consequences. Absent is much context of the larger picture, like strategy, the campaigns fought by the U.S. Army and Australians, or even air and sea battles fought in conjunction with the Marines' struggles ashore. Moreover, some will argue that the Japanese appear stripped of all humanity. It's true that there's no extended treatment of any individual Japanese — nor could there be under the terms of the fighting dictated by Japan. But even within those limits, the sophisticated script harbors a telling collective picture more nuanced than simply a collage of targets or tormentors. And the wrenching sequences on Okinawa, where large numbers of civilians are horrifically caught in the middle of the battle, refute any argument that only the Marines earn sympathy.

O Pacífico will be a cultural event on the level with Band of Brothers. It can and should provoke thought and controversy. But even as a committed admirer of Band of Brothers, my ultimate verdict must be that O Pacífico is grimmer and greater.


Assista o vídeo: Efemérides 24 de abril (Janeiro 2022).