Notícia

Os humanos estavam caçando o maior pássaro do mundo em Madagascar, há 10.500 anos

Os humanos estavam caçando o maior pássaro do mundo em Madagascar, há 10.500 anos

A análise dos ossos do pássaro elefante, que já foi o maior pássaro do mundo, revelou que os humanos chegaram à ilha tropical de Madagascar mais de 6.000 anos antes do que se pensava. Eles aparentemente viveram ao lado dos pássaros gigantes por milhares de anos, caçando e massacrando-os para obter comida conforme surgia a necessidade. Além de adiar a data da migração humana para Madagascar, o estudo também lança uma nova luz sobre o papel humano na extinção da megafauna da ilha.

Uma equipe de cientistas liderada pela instituição de caridade internacional ZSL (Zoological Society of London) descobriu que os ossos antigos dos extintos pássaros elefante de Madagascar (Aepyornis e Mullerornis) mostram marcas de corte e fraturas de depressão consistentes com caça e carnificina por humanos pré-históricos. Os pássaros elefantes pesavam pelo menos meia tonelada, não tinham menos de 3 metros (9,84 pés) de altura e colocavam ovos enormes.

Usando técnicas de datação por radiocarbono, a equipe foi capaz de determinar quando esses pássaros gigantes foram mortos, reavaliando quando os humanos chegaram a Madagascar. Eles publicaram suas descobertas no jornal Avanços da Ciência .

  • O tecido mais raro do mundo é feito da seda de um milhão de aranhas
  • Por que as primeiras sociedades humanas praticavam o sacrifício humano violento?
  • 9 árvores mais antigas da África, algumas com mais de 2.000 anos, agora mortas

Pesquisas anteriores sobre ossos de lêmures e artefatos arqueológicos sugeriram que os humanos chegaram a Madagascar 2.400-4.000 anos atrás. No entanto, o novo estudo fornece evidências da presença humana em Madagascar já há 10.500 anos - tornando esses ossos de pássaros elefantes modificados as primeiras evidências conhecidas de humanos na ilha.

Marcas de desarticulação na base do tarsometatarso. Essas marcas de corte foram feitas ao remover os dedos do pé. ( ZSL)

O autor principal, Dr. James Hansford, do Instituto de Zoologia do ZSL, disse: "Já sabemos que a megafauna de Madagascar - pássaros elefantes, hipopótamos, tartarugas gigantes e lêmures gigantes - foi extinta há menos de 1.000 anos. Existem várias teorias sobre o motivo isso ocorreu, mas a extensão do envolvimento humano não foi clara. ” Ele continuou:

"Nossa pesquisa fornece evidências da atividade humana em Madagascar mais de 6.000 anos antes do que se suspeitava - o que demonstra que uma teoria de extinção radicalmente diferente é necessária para entender a enorme perda de biodiversidade que ocorreu na ilha. Os humanos parecem ter coexistido com elefantes pássaros e outras espécies extintas há mais de 9.000 anos, aparentemente com impacto negativo limitado sobre a biodiversidade durante a maior parte deste período, o que oferece novos insights para a conservação hoje. "

(UMA) Fratura por depressão na fáscia anterior da extremidade proximal de A. maximus tibiotarsus do rio Christmas. ( B) Fratura por depressão na face lateral da fáscia posterior. ( C) Aspecto distal do tibiotarso, mostrando duas marcas de corte (TajT-3 e TT-4). ( D) Close-up e perfil da marca de corte TT-3 no côndilo medial do processo articular distal (a seção digital fina mostra a parede e o fundo do corte da marca). ( V. R. Pérez, Universidade de Massachusetts Amherst )

A co-autora, Professora Patricia Wright, da Stony Brook University, disse:

"Esta nova descoberta vira nossa ideia das primeiras chegadas humanas de ponta-cabeça. Sabemos que no final de a idade do gelo , quando os humanos usavam apenas ferramentas de pedra, um grupo de humanos chegou a Madagascar. Não sabemos a origem dessas pessoas e não saberemos até encontrarmos mais evidências arqueológicas, mas sabemos que não há evidências de seus genes nas populações modernas. A questão permanece - quem eram essas pessoas? E quando e por que eles desapareceram? "

  • Epidemia de peste em Madagascar pode se espalhar pelo ritual de dança com os mortos
  • A barra de prata de 50 kg encontrada em Madagascar pode ser o tesouro do famoso capitão pirata Kidd
  • Os cientistas descobriram provas para o continente perdido da Lemúria?

Os ossos dos pássaros elefantes estudados por este projeto foram encontrados originalmente em 2009 em Christmas River, no centro-sul de Madagascar - um 'leito ósseo' fóssil contendo uma rica concentração de restos de animais antigos. Este local do pântano pode ter sido um grande local de matança, mas mais pesquisas são necessárias para confirmar.

Local de escavação do Rio Christmas em Madagascar. ( ZSL)


O mistério do pássaro elefante foi resolvido? A descoberta pode explicar a morte das maiores aves do mundo

Uma nova descoberta do "pássaro elefante" pode explicar como os maiores pássaros do mundo foram mortos.

A análise de ossos de pássaros elefantes agora extintos pode lançar uma nova luz sobre o destino das aves gigantes.

Uma equipe de cientistas liderada pela Zoological Society of London (ZSL) estudou esqueletos de enormes pássaros que foram descobertos na ilha de Madagascar, no Oceano Índico. A espécie de pássaros de 3 metros de altura (conhecidos como Aepyornis e Mullerornis) pesava até 1.100 libras.

Os ossos foram encontrados em 2009 no local do rio Christmas de Madagascar. Marcas de cortes e fraturas nos ossos provavelmente foram feitas por caçadores pré-históricos, de acordo com os especialistas. Usando datação por radiocarbono, os cientistas descobriram que as aves foram mortas há cerca de 10.500 anos.

O estudo é significativo porque pesquisas anteriores com ossos de lêmures e outros artefatos indicaram que os humanos chegaram a Madagascar entre 2.400 a 4.000 anos atrás. Os ossos massacrados, portanto, sugerem que os humanos chegaram à ilha muito mais cedo do que se pensava.

Ilustração do pássaro elefante (crédito: Alain_Rasolo).

Os cientistas publicaram suas descobertas na revista Science Advances.

A nova pesquisa também reacende o debate sobre se os humanos causaram a extinção do pássaro gigante, de acordo com a Science. “Já sabemos que a megafauna de Madagascar - pássaros elefantes, hipopótamos, tartarugas gigantes e lêmures gigantes - foi extinta há menos de 1.000 anos”, disse o autor principal, Dr. James Hansford, do Instituto de Zoologia do ZSL, em um comunicado. “Existem várias teorias sobre por que isso ocorreu, mas a extensão do envolvimento humano não está clara.”

Na verdade, o último estudo sugere que os humanos podem ter coexistido com pássaros elefantes por milênios. “Nossa pesquisa fornece evidências da atividade humana em Madagascar mais de 6.000 anos antes do que se suspeitava anteriormente - o que demonstra que uma teoria de extinção radicalmente diferente é necessária para entender a enorme perda de biodiversidade que ocorreu na ilha”, disse Hansford. “Os humanos parecem ter coexistido com pássaros elefantes e outras espécies extintas por mais de 9.000 anos, aparentemente com impacto negativo limitado sobre a biodiversidade durante a maior parte deste período, o que oferece novos insights para a conservação hoje.”

Marcas de corte nos ossos do pássaro elefante (ZSL)

No entanto, ainda há perguntas a serem respondidas sobre os primeiros humanos de Madagascar. “Nós sabemos que no final da Idade do Gelo, quando os humanos estavam apenas usando ferramentas de pedra, um grupo de humanos chegou a Madagascar”, disse a coautora do estudo, Professora Patricia Wright, da Stony Brook University, em um comunicado. “Não sabemos a origem dessas pessoas e não saberemos até encontrarmos mais evidências arqueológicas, mas sabemos que não há evidências de seus genes nas populações modernas. A questão permanece - quem eram essas pessoas? E quando e por que eles desapareceram? ”

O pântano onde os ossos foram encontrados continha um grande número de restos de animais antigos. Especialistas especulam que o local pode ter sido um grande "local de matança", onde humanos pré-históricos massacraram suas presas, mas dizem que mais pesquisas são necessárias antes que isso possa ser confirmado.

No início deste ano, o Buffalo Museum of Science em Buffalo, N.Y., revelou que um ovo raro de pássaro elefante em sua coleção foi rotulado incorretamente por décadas. O ovo foi erroneamente rotulado como modelo.

O local de escavação do Rio Christmas em Madagascar (Crédito: ZSL)

Arqueólogos na Áustria descobriram recentemente um "local de matança" horrível, onde pessoas da Idade da Pedra massacraram mamutes. O local, descoberto durante a construção de um novo desvio em Drasenhofen, na fronteira tcheca, contém presas e ossos de mamute. Os restos mortais foram datados entre 18.000 e 28.000 anos atrás.


Ossos de pássaros antigos reduzem a atividade humana em Madagascar em 6.000 anos

A análise dos ossos, do que já foi a maior ave do mundo, revelou que os humanos chegaram à ilha tropical de Madagascar mais de 6.000 anos antes do que se pensava - de acordo com um estudo publicado hoje, 12 de setembro de 2018, no jornal Avanços da Ciência.

Uma equipe de cientistas liderada pela instituição de caridade internacional ZSL (Zoological Society of London) descobriu que os ossos antigos dos extintos pássaros elefante de Madagascar (Aepyornis e Mullerornis) mostram marcas de corte e fraturas de depressão consistentes com caça e carnificina por humanos pré-históricos. Usando técnicas de datação por radiocarbono, a equipe foi capaz de determinar quando esses pássaros gigantes foram mortos, reavaliando quando os humanos chegaram a Madagascar.

Pesquisas anteriores sobre ossos de lêmures e artefatos arqueológicos sugeriram que os humanos chegaram a Madagascar 2.400-4.000 anos atrás. No entanto, o novo estudo fornece evidências da presença humana em Madagascar já há 10.500 anos - tornando esses ossos de pássaros elefantes modificados as primeiras evidências conhecidas de humanos na ilha.

O autor principal, Dr. James Hansford, do Instituto de Zoologia do ZSL, disse: "Já sabemos que a megafauna de Madagascar - pássaros elefantes, hipopótamos, tartarugas gigantes e lêmures gigantes - foi extinta há menos de 1.000 anos. Existem várias teorias sobre por que isso ocorreu, mas a extensão do envolvimento humano não está clara.

"Nossa pesquisa fornece evidências da atividade humana em Madagascar mais de 6.000 anos antes do que se suspeitava - o que demonstra que uma teoria de extinção radicalmente diferente é necessária para entender a enorme perda de biodiversidade que ocorreu na ilha. Os humanos parecem ter coexistido com pássaros elefantes e outras espécies extintas há mais de 9.000 anos, aparentemente com impacto negativo limitado sobre a biodiversidade durante a maior parte deste período, o que oferece novos insights para a conservação hoje. "

A co-autora, Professora Patricia Wright, da Stony Brook University, disse: "Esta nova descoberta muda nossa ideia das primeiras chegadas humanas. Sabemos que no final da Idade do Gelo, quando os humanos estavam apenas usando ferramentas de pedra, havia um grupo de humanos que chegou a Madagascar. Não sabemos a origem dessas pessoas e não saberemos até encontrarmos mais evidências arqueológicas, mas sabemos que não há evidências de seus genes nas populações modernas. A questão permanece: quem eram essas pessoas ? E quando e por que eles desapareceram? "

Os ossos dos pássaros elefantes estudados por este projeto foram encontrados originalmente em 2009 no Christmas River, no centro-sul de Madagascar - um 'leito ósseo' fóssil contendo uma rica concentração de restos de animais antigos. Este local do pântano pode ter sido um grande local de matança, mas mais pesquisas são necessárias para confirmar.

Para obter mais informações sobre o trabalho que a ZSL está fazendo para conservar a vida selvagem de Madagascar, visite http: // www. zsl. org

J. Hansford, P. C. Wright, A. Rasoamiaramanana, V. R. P & # 233rez, L. R. Godfrey, D. Errickson, T. Thompson, S. T. Turvey, Presença humana do Holoceno Inferior em Madagascar evidenciada pela exploração da megafauna aviária. Avanços da Ciência. 4, eaat6925 (2018). http: // avanços. sciencemag. org / content / 4/9 / eaat6925

Notas para editores

Contato de mídia

Emma Ackerley, [email protected] / +44 (0) 20 7449 6288

Pássaros elefante de Madagascar (Aepyornis e Mullerornis)

Os pássaros elefantes extintos eram pássaros megafaunais que não voavam e que já foram comuns em Madagascar. Eles pesavam pelo menos 500kg e mediam cerca de 3m de altura. Pensa-se que um de seus ovos gigantes poderia ter alimentado uma família inteira.

Os ossos de pássaros elefantes de Christmas River foram datados usando datação por radiocarbono AMS (datação por espectrometria de massa acelerada por radiocarbono). Eles agora são realizados na Instituição Smithsonian em Washington, DC.

ZSL (Zoological Society of London) é uma instituição de caridade internacional que trabalha para criar um mundo onde a vida selvagem prospere. Desde a investigação das ameaças à saúde que os animais enfrentam até a ajuda às pessoas e à vida selvagem a viverem lado a lado, a ZSL está empenhada em trazer a vida selvagem de volta à beira da extinção. Nosso trabalho é realizado por meio de nossa ciência inovadora, nossa conservação de campo em todo o mundo e envolvendo milhões de pessoas por meio de nossos dois zoológicos, ZSL London Zoo e ZSL Whipsnade Zoo. Para obter mais informações, visite http: // www. zsl. org.

Stony Brook University

A Stony Brook University, amplamente considerada como o carro-chefe da SUNY, é o lar de um corpo discente excepcionalmente diversificado de mais de 25.700 alunos de alto desempenho. Stony Brook oferece mais de 200 programas de graduação, mais de 100 programas de mestrado e mais de 40 programas de doutorado. Os programas inovadores incluem um programa combinado de MBA acelerado e o premiado programa de Pesquisa de Graduação e Atividades Criativas (URECA), que envolve alunos de graduação em pesquisa em quase todas as disciplinas e produziu bolsistas Fulbright, Beckman, Goldwater, Marshall e Truman. Para obter mais informações, visite https: // www. stonybrook. edu /

Uso de imagens e vídeos ZSL

Fotografias, vídeos ou gráficos distribuídos pela ZSL (Zoological Society of London) para apoiar este comunicado à mídia só podem ser usados ​​para fins de reportagem editorial para a ilustração contemporânea de eventos, coisas ou pessoas na imagem ou fatos mencionados no comunicado à mídia ou imagem rubrica. A reutilização da foto ou vídeo requer permissão adicional da assessoria de imprensa da ZSL.

Regulamento geral de proteção de dados (GDPR)

Você está atualmente no banco de dados da Zoological Society London (ZSL) como um contato de imprensa. Classificamos os contatos com a imprensa como os jornalistas, assessores de imprensa e aqueles que trabalham nas comunicações científicas que ajudaram a garantir que o ZSL possa continuar sua missão de garantir que o público tenha acesso às melhores evidências científicas e perícia por meio da mídia de notícias quando a ciência chegar às manchetes. Devido ao novo Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR), informamos que mantemos e processamos seus dados por interesse legítimo. A qualquer momento, você pode se opor à retenção ou ao processamento de seus dados e nós o removeremos de nosso banco de dados. Mais informações sobre o que mantemos, por que o mantemos e para que o usamos estão disponíveis em nossa declaração de privacidade.

Se você tiver mais dúvidas, entre em contato.

Isenção de responsabilidade: AAAS e EurekAlert! não são responsáveis ​​pela precisão dos comunicados à imprensa postados no EurekAlert! por instituições contribuintes ou para o uso de qualquer informação por meio do sistema EurekAlert.


Mistério de longa data da chegada humana em Madagascar resolvido com ossos de animais extintos

Os humanos modernos se estabeleceram na ilha africana de Madagascar, no canto sudoeste do Oceano Índico, milhares de anos depois do que comumente se pensa, de acordo com um estudo publicado na revista PLOS ONE.

Compreender a história da colonização da ilha é fundamental para traçar a dispersão humana pré-histórica no Oceano Índico, devido à sua localização a 310 milhas a leste da África e a cerca de 3.700 milhas de distância do sudeste da Ásia.

"Madagascar é a maior das ilhas remotas do Oceano Índico e os malgaxes combinam populações do sudeste asiático e da África Oriental", disse Atholl Anderson, principal autor do estudo da Universidade Nacional da Austrália. Newsweek. "Quando foi colonizado é, portanto, um índice da capacidade marítima humana e da migração de longa distância e do comércio através do oceano."

Apesar da importância de sua colonização, os pesquisadores há muito não conseguem chegar a um consenso sobre quando o povoamento da ilha começou. Algumas evidências, como a descoberta de ferramentas de pedra e carvão, indicam ocupação humana por volta de 1.500 anos atrás. Por outro lado, pesquisas baseadas em marcas de cortes de ossos de animais sugerem que os primeiros colonos podem ter chegado há mais de 4.000 ou até 10.000 anos atrás.

"Quase todas as descobertas recentes em arqueologia, linguística histórica, mudança paleoecológica e genética humana indicam colonização tardia de Madagascar, após cerca de 600 d.C.", disse Anderson. "O principal obstáculo para a aceitação dessa idade são as afirmações repetidas de que alguns ossos da megafauna datados de até 10.000 anos atrás exibem marcas de carnificina."

Para iluminar as discrepâncias nas evidências disponíveis, Anderson e seus colegas examinaram ossos datados de 1.900 a 1.100 anos atrás pertencentes a uma megafauna extinta na ilha, como hipopótamos, crocodilos, tartarugas gigantes, lêmures gigantes e pássaros elefantes.

"Realizamos o maior estudo já feito de danos ósseos em material malgaxe, incluindo cerca de 3.000 espécimes & mdashof dos quais cerca de 2.000 eram da megafauna extinta & mdasht que escavamos de três locais sob condições controladas", disse Anderson.

O exame dos restos mortais mostrou que possíveis marcas de corte em ossos datados de antes de 1.200 anos atrás eram na verdade marcas de mordidas ou mordidas de animais, ou marcas de cortes da escavação, indicando que a atividade humana só apareceu depois dessa época.

"A análise dos danos nessas amostras, incluindo microscopia eletrônica de varredura, quase não mostrou marcas que pudessem ser atribuídas à carnificina, e as poucas que eram convincentemente antropogênicas vieram exclusivamente de material datado de mais de 600 d.C.", disse Anderson.

Os pesquisadores também chegaram às mesmas conclusões quando reexaminaram danos ósseos, considerados marcas de cortes feitos pelo homem, em amostras de coleções antigas. Os resultados confirmaram evidências anteriores de que a megafauna na ilha começou a ser extinta há cerca de 1.200 anos.

"Concluímos que os argumentos para a colonização humana precoce de Madagascar com base em danos ósseos da megafauna são mal apoiados pelas evidências", disse ele.

O estudo sugere que a colonização pré-histórica de Madagascar começou entre cerca de 1.350 e 1.100 anos atrás, e que a caça acabou levando à morte dos animais maiores da ilha.

Os resultados têm implicações significativas para a compreensão da história da migração humana na região, de acordo com Anderson, levantando questões sobre por que as viagens transoceânicas começaram tão tarde no Oceano Índico, considerando que a navegação costeira organizada havia começado lá mais cedo do que no Atlântico ou Pacífico.

"Sugerimos que isso pode refletir uma adaptação precoce no Oceano Índico às viagens das monções, em vez do uso dos ventos alísios", disse ele.

Michael Parker Pearson, um arqueólogo com interesse em Madagascar da University College London, que não esteve envolvido na última pesquisa, apóia os resultados apresentados no novo artigo.

"Isso coincide muito com os resultados de nossa pesquisa em anos anteriores & mdashthere agora parece ser um bom motivo para suspeitar de datas anteriores a 1.500 ou mais anos atrás", disse ele Newsweek.

Nem todos concordam com as conclusões, no entanto. James Hansford, da Zoological Society of London, que também não esteve envolvido na PLOS ONE estudo, publicou recentemente um artigo sugerindo que os primeiros humanos chegaram a Madagascar há mais de 10.000 anos.

"Infelizmente, devido ao momento deste estudo, [os pesquisadores] não puderam incluir os resultados de nossa pesquisa, que foram publicados no jornal Avanços da Ciência em setembro de 2018 ", disse ele Newsweek.

"As marcas de açougue que encontramos nos ossos do que já foi o maior pássaro do mundo mostram que os humanos chegaram a Madagascar há 10.500 anos, mais de 6.000 anos antes do que se pensava, resultados que foram corroborados por vários especialistas na área e estão de acordo com a verificação critérios propostos neste novo artigo. "

Este artigo foi atualizado para incluir comentários adicionais de James Hansford e Michael Parker Pearson & # 8203.


Pesquisadores antecipam a chegada de humanos em Madagascar em 6.000 anos

13 de setembro (UPI) - Com base em uma análise de ossos de pássaros elefantes, os cientistas agora acreditam que os humanos chegaram à ilha tropical de Madagascar, na costa da África, mais de 6.000 anos antes do que se pensava.

Cientistas liderados pela Sociedade Zoológica de Londres usaram técnicas de datação por radiocarbono para determinar a idade dos pássaros elefante de Madagascar extintos, que mostram marcas de corte e fraturas de depressão consistentes com caça e carnificina por humanos pré-históricos. Suas descobertas foram publicadas quarta-feira na revista Science Advances.

As espécies Aepyornis e Mullerornis tinham cerca de 3 metros de altura e pesavam de 770 a 1.100 libras - uma das maiores aves que já habitaram a Terra.

"Esta nova descoberta vira nossa ideia das primeiras chegadas humanas de ponta-cabeça", disse a coautora Dra. Patricia Wright, antropóloga da Stony Brook University, em um comunicado à imprensa. “Sabemos que no final da Idade do Gelo, quando os humanos usavam apenas ferramentas de pedra, um grupo de humanos chegou a Madagascar. Não sabemos a origem dessas pessoas e não saberemos até encontrarmos mais evidências arqueológicas , mas sabemos que não há evidências de seus genes nas populações modernas. "

Então ela pergunta: "Quem eram essas pessoas? E quando e por que desapareceram?"

Em pesquisas anteriores, acreditava-se que os humanos chegaram a Madagascar há 2.400 a 4.000 anos. de acordo com uma análise de ossos de lêmures e artefatos arqueológicos.

Os cientistas da Zoological Society of London agora calculam o tempo em 10.500 anos atrás.

"Já sabemos que a megafauna de Madagascar - pássaros elefantes, hipopótamos, tartarugas gigantes e lêmures gigantes - foi extinta há menos de 1.000 anos", disse o autor principal, Dr. James Hansford, do Instituto de Zoologia do ZSL, em um comunicado à imprensa. "Existem várias teorias sobre por que isso ocorreu, mas a extensão do envolvimento humano não está clara."

Hansford disse que "uma teoria de extinção radicalmente diferente é necessária" para descobrir as extinções na ilha.

"Os humanos parecem ter coexistido com pássaros elefantes e outras espécies extintas por mais de 9.000 anos, aparentemente com impacto negativo limitado sobre a biodiversidade durante a maior parte deste período, o que oferece novos insights para a conservação hoje", disse ele.

Os ossos foram encontrados originalmente em 2009 no Christmas River, no centro-sul de Madagascar.

Um "leito ósseo" fóssil contendo muitos restos de animais antigos foi possivelmente um dos principais locais de matança, disseram os pesquisadores.


Caro leitor,

A Business Standard sempre se esforçou para fornecer informações e comentários atualizados sobre os acontecimentos que são de seu interesse e têm implicações políticas e econômicas mais amplas para o país e o mundo. Seu incentivo e feedback constante sobre como melhorar nossa oferta apenas fortaleceram nossa determinação e compromisso com esses ideais. Mesmo durante esses tempos difíceis decorrentes da Covid-19, continuamos com o compromisso de mantê-lo informado e atualizado com notícias confiáveis, opiniões confiáveis ​​e comentários incisivos sobre questões atuais de relevância.

Nós, no entanto, temos um pedido.

Enquanto lutamos contra o impacto econômico da pandemia, precisamos ainda mais do seu apoio, para que possamos continuar a oferecer a você mais conteúdo de qualidade. Nosso modelo de assinatura obteve uma resposta encorajadora de muitos de vocês, que assinaram nosso conteúdo online. Mais assinatura do nosso conteúdo online só pode nos ajudar a atingir os objetivos de oferecer a você um conteúdo ainda melhor e mais relevante. Acreditamos no jornalismo livre, justo e confiável. Seu apoio por meio de mais assinaturas pode nos ajudar a praticar o jornalismo com o qual estamos comprometidos.


Pesquisadores e colegas da UMass Amherst encontram atividade humana em Madagascar 6.000 anos antes do que se pensava anteriormente

AMHERST, Mass. - A análise dos ossos do que já foi o maior pássaro do mundo revelou que os humanos chegaram à ilha tropical de Madagascar mais de 6.000 anos antes do que se pensava, de acordo com um estudo publicado hoje no jornal Avanços da Ciência.

Uma equipe de pesquisadores, incluindo Laurie Godfrey, professora emérita de antropologia da Universidade de Massachusetts Amherst, e liderada pela Sociedade Zoológica de Londres, descobriu que ossos antigos dos extintos pássaros elefantes de Madagascar Aepyornis e Mullerornis mostram marcas de corte e fraturas de depressão consistentes com caça e carnificina por humanos pré-históricos. A análise da marca de corte e da marca de ferramenta foi realizada por Ventura Pérez, professor associado de arqueologia biológica da UMass Amherst no Laboratório de Violência e Conflito da UMass Amherst usando um microscópio Keyence VHX5000 de última geração com software de visualização embutido.

Usando técnicas de datação por radiocarbono, a equipe foi capaz de determinar quando esses pássaros gigantes foram mortos, reavaliando quando os humanos chegaram a Madagascar.

Pesquisas anteriores sobre ossos de lêmures e artefatos arqueológicos sugeriram que os humanos chegaram a Madagascar 2.400-4.000 anos atrás. No entanto, o novo estudo fornece evidências da presença humana em Madagascar já há 10.500 anos - tornando esses ossos de pássaros elefantes modificados as primeiras evidências conhecidas de humanos na ilha.

“Os cientistas há muito pensam que as populações de pássaros elefantes gigantes de Madagascar e outras‘ megafauna ’(os grandes animais) diminuíram logo depois que as pessoas se estabeleceram em Madagascar. Agora sabemos que isso não é verdade ”, diz Godfrey. “As pessoas chegaram há mais de 10.000 anos e caçaram alguns dos grandes animais selvagens de Madagascar, mas as populações desses grandes animais não diminuíram até muitos milhares de anos depois. Houve chegadas subsequentes de humanos - ondas deles, e uma importante rede de comércio através do Oceano Índico foi estabelecida entre 1.500-1.000 anos atrás. Ainda não sabemos se as primeiras pessoas a chegar a Madagascar foram extintas. Se isso aconteceu, não sabemos quando. Temos ossos abatidos de pássaros elefantes com 6.000 anos de idade e outras evidências da presença humana há vários milhares de anos, então a presença humana prolongada é plausível.

“O resultado final é este”, ela conclui, “está cada vez mais claro que os humanos e a megafauna coexistiram por milhares de anos com perda limitada de biodiversidade.”

Os pássaros elefantes extintos eram pássaros megafaunais que não voavam e que já foram comuns em Madagascar. Eles pesavam pelo menos 500kg e mediam cerca de 3m de altura. Pensa-se que um de seus ovos gigantes poderia ter alimentado uma família inteira.

Os ossos dos pássaros elefantes estudados por este projeto foram encontrados originalmente em 2009 no Christmas River, no centro-sul de Madagascar - um “leito ósseo” fóssil contendo uma rica concentração de restos de animais antigos. Este pântano poderia ter sido um grande local de matança, dizem os cientistas, mas mais pesquisas serão necessárias para confirmar a possibilidade.

O relatório completo, “Presença humana do Holoceno Inferior em Madagascar evidenciada pela exploração da megafauna aviária”, está disponível aqui.


Maiores pássaros

1. AVESTRUZ

O maior pássaro vivo do mundo que não pode voar, mas pode correr muito rápido e correr a uma velocidade média de 43 milhas por hora. O avestruz pode facilmente cobrir 30-35 milhas em uma hora. Ele pesa 220-300 libras e mede 8-9 pés de altura. Sua vida útil média é de 30 a 40 anos. A dieta dos onívoros é a ingestão de uma avestruz. A avestruz tem pernas fortes que às vezes usam como arma. Um forte chute da perna de um avestruz tem o poder de matar um predador humano ou potencial como o Leão. Eles têm um pé de dois dedos com garras afiadas. As penas de avestruz são soltas, lisas e macias. Avestruz vive no grupo que os ajuda na defesa em tempos de perigo. É um dos estranhos animais encontrados apenas na África.

Avestruz ou Struthio camelus é o único membro vivo do gênero Struthio e os maiores pássaros vivos que não voam. Esses são os nativos da África. Um avestruz adulto pesa até 156 kg e pode ter até 6,3 pés de altura. Eles compartilham uma semelhança com o pássaro extinto Moa e com os outros membros da família Struthioniformes como kiwi, ema e casuares. Os fósseis mais antigos encontrados os ligam aos táxons do Paleoceno da Europa.

Sua aparência distinta é devido ao seu pescoço invulgarmente longo e pernas longas. Dizem que seus olhos são os maiores, com um diâmetro de 50 mm, o que os ajuda a ver o predador mesmo de longe. No entanto, suas contas são muito pequenas em comparação com seu tamanho - 4-5,6 polegadas. A cor da pele varia nas subespécies de marrom-acinzentado escuro ou mesmo vermelho carmesim. As pernas não têm penas e mostram a pele nua, enquanto a parte superior da perna, ou seja, o tarso mostra escamas vermelhas no homem e falta na mulher. Outra característica distintiva são dois dedos em cada pé (a maioria das aves tem quatro). O dedo externo não tem unhas. Sua envergadura é de até 2 metros. As asas são lisas e macias e servem como isolantes. As asas também servem como estabilizadores para dar-lhes capacidade de manobra durante a corrida.

Sua dieta consiste em sementes, arbustos, gramíneas, frutas e flores. Como não têm dentes, engolem seixos que atuam como gastrólitos. A moela pode conter até 45% de pedrinhas. Os avestruzes tornam-se sexualmente ativos com 1 ano de idade e podem se reproduzir várias vezes ao longo da vida. O macho pode acasalar com várias galinhas, mas forma o vínculo de emparelhamento com apenas uma fêmea principal. Estas são as aves mais rápidas em terra e podem correr a uma velocidade média de 62,5 m h. Avestruz é a maior espécie viva e bota o maior ovo (vivo). Eles também são conhecidos por seus ataques agressivos e chutes cortantes. Também é listado como um dos animais incrivelmente adaptáveis ​​do deserto do Saara

2. CASSOWARY DO SUL

Uma grande ave que não voa, encontrada apenas em regiões da Austrália e ilhas da Nova Guiné. O pássaro está relacionado com outras aves como avestruz e emu, pois é proctite. É a segunda ave mais pesada, com peso médio de 129 libras (58,5 kg), e a terceira ave mais alta, com altura média de 1,5-1,8 metros. Mesmo alguns pássaros mais altos atingem uma altura de dois metros. Ao contrário da avestruz, eles têm um pé de três dedos com garras afiadas. Os casuares são frugívoros, ou seja, sua dieta inclui flores, caracóis, peixes, sapos, insetos e pássaros. Eles usam suas pernas fortes para se defenderem chutando. O pássaro também é conhecido como casuar de polpa dupla devido ao formato de seu corpo.

É o segundo pássaro vivo mais pesado da Terra, depois da avestruz. É um que não voa e um dos animais mais agressivos do mundo. Estes se enquadram no grupo que consiste em emu, avestruz e kiwi. Sua ancestralidade pode ser rastreada até moa e o pássaro elefante gigante. Os casuares são muito tímidos por natureza e residem em florestas profundas. Eles estão restritos à Nova Guiné, nordeste da Austrália e ilhas próximas. Entre estes, o casuar do sul é o maior, ou seja, 6 pés e 3 polegadas e o menor é o casuar anão. Muito pouco se sabe sobre esta espécie.

A fêmea é maior e mais alta do que os casuares machos. Os casuares têm asas pequenas, sem penas na cauda e penas de queratina. Os casuares têm três pés e garras afiadas. Eles têm uma garra no segundo pé. Seu corpo em forma de cunha permite que eles corram mais rápido. Os casuares são nadadores muito bons. Embora tímidos por natureza, quando encontrados encurralados ou ameaçados, eles desencadeiam um ataque massivo com suas garras que podem ser muito perigosas. Além disso, eles também usam cabeçada e chute. Casuares são ótimos saltadores.

The most distinguishable feature is their keratinous casque. It is a secondary sexual character and is spanned by fibres. This casque also protects the skull during attacks. These are one of the lowest frequency call birds. The cassowaries are complete fruitarians and live up to 40- 50 years. The male carries the incubation process. This is a strange phenomenon seen only in Casuariiormes. During the incubation period, the male never once leaves the eggs. It doesn’t eat, drink or defecate. It only stands to turn the egg.

3. EMU

A bird found in Australia only. It is the second largest living bird if we consider height as a parameter. Two subspecies of emu-Tasmanian emu and King Island emu became extinct in 1788. It is a bird which is brown in colour and is soft-feathered. Its height reaches up to 1.9 meters and average weight lie between32-40 kg. Emus can travel long distances and they can even sprint at 50 km/h. They survive by eating plant and insects. They can live for many days without any food. Breeding takes place in the month of May and June.

Emu is the third largest land bird. They are flightless and also listed as wonderful Australian animals. Emu is the only living species of the genus Dromaius. These are soft feathered, flightless and can grow up to 5.2 ft. The birds are good sprinters and can travel 50kmhr. The wingspan is up to 8 inches this stabilises their moment while running. They are usually stout bodies, long-legged and both sexes are greyish brown in colour. Like cassowary, these are three-toed with claws. Their legs lack feathers. The unique feature of emu’s feather is the double rachis emerging from the same shaft. Emu weighs up to 70 kg. There diurnal and mostly eat plants and fruits.

Emu mate for life the male incubates the eggs for around 60 days. Their mating season in December – January. A unique feature is the emu egg. It is elongated and dark green in colour. It is usually 13 cm long. Strangely similar to cassowaries, during the incubation period the male never once leaves the eggs. It doesn’t eat, drink or defecate. It only stands to turn the egg.

4. Emperor Penguin

One of the world’s most amazing animals and the largest birds found on our planet. This Emperor penguin is the tallest and heaviest amongst the family of penguin. Both males and females have black coloured back and a white stomach. They are found in the coldest continent of Antarctica. Penguin breeds and lives in the place of harshest weather. They come under the category of carnivores. They have an average lifespan of 15 to 20 years. Penguin weighs up to 88 lbs. They travel approximately 50 miles to reach an ocean where they get their food i.e. they feed on fish and krill in the ocean.

These are the third heaviest bird and can grow up to 122 cm. Penguin is found exclusively in the polar regions. Their character feature is the snow-white belly, pale yellow breast and dark yellow ear patches. The wings are flattened and stiffened into flippers allowing an easy moment in the waters. Their body is streamlined. These can withstand extremely cold temperatures, can dive in water 535mt up to 18 minutes. They have a very unusually haemoglobin structure which functions even in less oxygen supply. The tongue is barbed preventing the escape of the prey. The penguin nest in colonies, hunt together and are active both during day and night. They are mighty predators both in land and water.

Penguin is able to breed only at the age of three. A peculiar behaviour of the emperor penguin is during the mating season the male searches for a certain special and suitable pebble for the female whom he finds good for mating. A single egg is laid at a time. The male carries incubation and is the only penguin species that breeds in winters. The hatchlings are covered with silver grey fur. Their diet only consists of fish and crustaceans. An emperor penguin can live up to 35 years.

5. Greater Rhea

One of the largest birds which are found in eastern South America. It is a flightless bird with a lifespan of 15 years. It has a weight of 50 lbs. They have an omnivores diet. The greater Rhea is one of the largest birds which is found in South America and is comparable to Ostrich and emus. They like ostrich use their long and powerful legs in times of trouble and danger. Though their long and large wings which are useless for flight, help these birds to maintain balance and change direction while running. Female rheas lay seven to ten eggs according to one egg per day.

6. Kori Bustard

A largest flying bird found in the region of Africa. The Kori’s body has brownish grey and white colouration and has a fine patterned on its body with black and white colouring. Kori Bustard lives throughout eastern and sub-Saharan Africa. They usually live near water sources and in areas where there are trees available where they can take shelter. In Africa, Kori Bustards are the heaviest flying birds. Kori breed in the months from April to June. The sexual maturity in this bird reaches after 3 years of age.

Mainly found in dry grasslands of the steppe, bustards can grow up to 150 cm. These are one of the heaviest flying birds. The male weighs 30% more than the female. This is one of the few species showing SEXUAL DIMORPHISM. They are predominantly omnivores. They are generally husky brown in colour. These have a broad wingspan with fingered wing tips. They show a peculiar mating display such as inflating throat sac. The female lay 3-5 eggs and incubates them alone. Bustards are endangered species and are hunted for their feathers and meat.

7. DALMATIAN PELICAN

A world’s third-largest biggest bird and largest species from pelican family. This bird comes under the category of the biggest birds which can fly. Its average weight is 11.5 kg and a stands 5 to 6 feet tall. They have a long wingspan of about 300 to 350 cm long. Dalmatian Pelican has two geographical regions depending on its two breed – first breed in eastern Europe and winters in the eastern Mediterranean region while the second breed in Russian and central Asia and winters in Iran, Iraq and Indian Subcontinent. The bird’s breeding season comes in March and April.

These are heaviest and largest birds (water) of the family pelicanidae. These are found in South Asia and Europe. They may grow up to 6ft with a wingspan of nearly 9 ft. These weigh up to 33 kg. These share similarity with shoebill and hamerkop. Along with haerons, spoonbills and bitterns these are placed in pelecaniform. Their fossil history dates back to large-billed birds around 30 million years ago in France. There are eight species and these are widely divided over tropics

Their distinctive appearance is due to their bill, peak pouch and unusually large wings. They have exceptionally pale plumage and rarely light brown (peruvan pelican). The slender rami of the lower bill and the flexible tongue cast into a pouch tor catching fish and sometimes rainwater. They have fully webbed feet. The wings are large for the purpose of soaring and gliding and a highly unusual number of secondary flight feathers i.e. 30-40. The male has a longer bill than the female. Amongst these, the largest is the Dalmatian pelican found in freshwater ice-free lakes. The Dalmatian pelican has exceptionally white plumage curly nape feathers and slender husky grey legs. They are found in all habitats except in extremely cold and snowy regions.

Pelicans socialize more than any other bird and lives in colonies. They travel in flocks, hunt cooperatively and build up large colonies. They resting and nesting depends on the plumage as well. The pale plumage nests on the ground while the grey tends to nest on trees. Their diet solely consists of large and small fishes. Pelicans can live up to 19 -25 years.

8. Andean Condor

A bird found in the region of Andes Mountain in South America and belongs to the family of New World Vulture. They belong to kingdom Animalia. Their wingspan is 3.3 m which are 2.3 times longer than their original height and weighs 33 pounds. Their body stands 4 feet high. Basically, the Condor is a scavenger. They normally have a lifespan of fifty years or more. At the age of five to six years, they become mature for reproduction. They lay bluish-white eggs which weigh 280 g and the length of an egg ranges from 3.0 to 3.9 cm. After six months of baby birds which are born to start learning how to fly.

One of the highest flying birds in the world, Condors are commonly known as the vultures are the new world species. They have a large broad wingspan that helps them in soaring high. The plumage is uniformly lacked with white feathers surrounding the base of the neck. The neck and above head are exposed to bare skin. The head is flattened above. In the male, it is crowned with caruncle and the white skin near the neck lies folded. THEY ARENT THE BEST Flyers. This is due to their enormous weight. Their diet consists of dead decaying flesh. They have an unusual PARENTING TECHNIQUE. The condor lay a single egg once in two years. They don’t build nest rather lay an egg on a bare cliff. These are one of the TOP ENDANGERED SPECIES. This is primarily because of loss of habitat and pesticide poisoning passing in the food chain.

9. Mute Swan

A bird from the family of a swan and got its name mute as it makes less use of its vocal as compared to other species in the swan. A bird found in the region of Eurasia and far north of Africa. Baby swans are called cygnets and they remain in the shelter of their mother for the first six months. Swan at one time lays 10 eggs. Swan is the largest members of the waterfowl family and also they come under the category of world’s largest flying birds. These birds have short length legs but can run fast and even make use of its wings when they are surrounded by danger. Mute Swans is one of the friendliest animals in the world.

One of the beautiful creatures in nature is a large waterfowl only found in Eurasia and North Africa. It has a distinct white plumage and a black-bordered large orange beak. There is a knob atop the beak which is larger in the male. These have a very large wingspan of 100 inches. Mute swans are very aggressive when it comes to their nests and territory. They are birds of very low noise and rarely make a hoarse grunting sound thus called mute swans. Due to their angelic features, mute swans have gained a good amount of recognition is art history and literature.

10. Wandering Albatross

A bird with the largest wingspread of about 11 feet. It is one of the world’s best known and most studied bird amongst all birds. They mostly live in groups at a far distance from oceans. But for food, they travel towards the ocean and feed small fish and crustaceans. It is said that they can make shallow dives moving 150 meters deep in water and can stay there for up to 20 minutes waiting for their prey. They spend most of their life while flying and land only to breed and feed. The recorded travelling of one wandering albatross is 6000 km in just 12 days. Since throughout their life they continuously fly so it is difficult to estimate how much they fly during their lifespan.

These beautiful large soaring birds found high in the sky are a native of southern and North Pacific Ocean, they have a long wingspan and weigh up to 12 kg. Albatross mostly feeds upon large and small fishes. It is rarely found on the ground and spends 90% of its lifetime soaring and gliding in the sky. It is one of the most beautiful Antarctic Animals.

They breed in colonies and lay one egg at a time. They are known for covering long distances. However, unfortunately, they are in great danger. The long line fishing, hunting and climatic changes are acting as a major cause of the decrease in their number.

11.Turkey

Domestication of turkey has been started in Mesoamerica, however, ancestor of domestic turkey still roams through the woodlands of North America, domestic turkey can be found only on the farms mostly in the areas with a temperate climate. One of the largest birds in the world can reach upto 3.3 to 4.1 feet in length and up to 86 pounds of weight. Males are little larger than females. The bird species is covered with 5000 to 6000 feathers and has a fan-shaped tail covered with 18 long feathers. Domestic turkeys are less colourful than wild turkeys.

Turkeys have good eyesight and sense of hearing. The bird species is intelligent and can memorize all parts of its territory. It is said that wild turkey lives on a territory of around 1000 acres. Turkeys are popular as social animals that build strong bonds with other members of the group. Also, they can easily identify “strangers” ( turkeys that are recently introduced into the group) and sometimes act aggressively toward them.

12. Great bustard

Great bustard is a member of the bustard family. The only member of in the genus Otis mostly seen across Europe. Talking about the appearance, the bird species has a grey head and neck with brown back barred with black and underparts are white. The male species develop a reddish-brown breast band that gets bigger with age. Both male and females live in separate groups for almost the whole year, however, they come together at the time of the mating season.

The bird species is omnivorous and likes to eat grass, legumes, crucifers, grains, flowers and grapes, however, it has been also seen eating rodents, earthworms, large insects, larvae and the chicks of other species. The eating scenario totally depends on the season. The birds are listed under polygynous, that means one male may mate with as many as five females. Today, they are facing habitat loss because of Increasing land privatization and human disturbance is expected to cause more habitat loss with the ploughing of grasslands.

13. King penguin

The second largest species of penguin mostly seen on various Sub-Antarctic islands. One of the largest species spends its life in two phases, the first phase includes life in the water where it collects food and the second one lies in the beaches and flat or slightly sloped valleys without ice and snow, where it rests, mates and takes care of the chicks. The bird species can reach 3.1 feet in height and 33 pounds of weight.

Talking about the appearance, it has a dark grey or black plumage on the head and back. Also, white plumage on the belly can be seen easily. It likes to eat fishes mostly lantern fish, squid and krill. It can dice upto 160 feet, however, sometimes it is 1600 feet to collect food. It can spend around 5 minutes inside the water. The adult bird has many enemies such as leopard seal, killer whales and large sharks. It has a lifespan of 15 to 20 years in the wild and 30 years in the captivity.

14. Trumpeter swan

The trumpeter swan is a species of swan and considered as a close relative of the whooper swan of Eurasia. Scientifically known as Cygnus buccinator, the bird species are scattered across North America, i.e., mainly Alaska, Canada, and the northern United States, however, some of them also seen in Wyoming and Michigan. The adult trumpeter swan can be measured up to 130-165 cm long where males can be 180 cm in length and weigh approximately 10.9-12.7 kg, howvever, female can be around 9.4-10.3 kg.

The most unique feature is teh presence of black bill that is shaped like a wedge but in some cases, a salmon-pink colouration noticed around its mouth. The bird species can survive up to 12 years in the wild and up to 35 years in captivity. The species love to thrive in lakes, ponds, large rivers, and coastal bays. Trumpeter swan will prepare its nests on slightly elevated ground near a water body. Nest comprises in the shape of a large bowl that has been made with the help of grass, emergent vegetation such as cattail or bulrush.

15. Whooper swan

The whooper swan is a large white swan even bigger than Bewick’s swan with has a long thick neck that is usually erect and has black legs. The bird species like to eat Aquatic plants, grass, grain & potatoes. There are two species swan come to the UK each winter, one is whooper swan that migrates from Iceland and another one is Bewick’s swan come from Russia. Both these species have yellow and black bills and it is quite difficult to separate them.

The bird species pronounced as hooper swan can grow upto 140–165 cm and have a wingspan of 205–275 cm. One of the heaviest flying birds in the world, with different weight for both male and female species. The male’s species have an average weight of 7.4–14 kg, however, female have an average weight of 9.8–11.4 kg. It requires large water areas to live in. It spends much of its time swimming, straining the water for food, or eating plants that grow on the bottom.

16. Lesser Rhea

Additionally known as Darwin’s rhea, the flightless birds can grow upto 1 metre tall. One of the largest birds in the world likes to eat grass and plants and mostly seen in small flocks grazing with llamas, guanacos and vicunas, however, they have also seen eating insects and other small animals. The bird species are very fast runners that help them to escape predators such as pumas and foxes very easily.

During breeding, the male species mate with a female who lay their eggs outside the nest. The males can be very aggressive after looking at their eggs and hence females sometimes lay eggs outside the nest and roll them into the nest with the help of the beak. The bird species were mostly seen in grasslands throughout Argentina, Chile, Bolivia and Peru. The numbers are decreasing because of hunting, egg collecting and loss of habitat used for farming.

17. Philippine Eagle

Also known as the monkey-eating eagle is one of the largest birds and considered as most powerful across the globe. The Philippines’ National Bird is putting all his efforts to conserve the most critically endangered species by imposing a strong law where if you found guilty of killing bird species, it will cost you 12 years of imprisonment or with high fines. The average lifespan of the species is 30 to 60 years, howvever, two of them has been recorded to live more than 40 years. The female species is bigger than the male’s species. The sound produced by the bird is loud and high-pitched that suggests its territorial characteristics.

18. Sarus Crane

One of the tallest birds in the world can grow upto six feet. There are approximately 15 different kinds of cranes and among all sarus crane is the tallest. It is also listed as the tallest flying bird in the world, however, the weigh of the bird is less. The average weight is approximately 14 pounds. They have a large wingspan and when they are open they are about to be eight feet from the tip of one wing to the tip of the other. Talking about the features, they have a light grey feathers on the top and crown and the head is covered with a patch of light greenish-coloured skin. The bird species were mostly seen in Australia and these Asian countries such as India, Nepal, Pakistan, China, Myanmar, Vietnam, and Cambodia. They love wetlands and marshes as well.

19. Great Grey Owl

One of the largest birds has a flaunting size of 72 cm and also listed as the world’s largest owl. It is popular for its silent discrete nature and amazing characteristics. The bird is rare, howvever, it is magnificent to watch. The bird species is mostly seen in Northern Hemisphere and have awesome hunting capabilities. It is also known as ‘Phantom of the north’ and called by other names such as Lapland Owl, Spectral Owl, Bearded Owl, and Sooty Owl.

20. Thick Billed Raven

The bird species is from the Horn of Africa and it is being distorted as the largest bird in the corvid family and also one of the largest birds across the globe. The bird species has a length of about 64 cm and weighs approximately 1.15 kg in females and 1.5 kg in males on an average. Talking about the features, it has a very large bill which is laterally compressed and is deeply curved in profile giving the bird a very distinctive appearance. The species is mostly seen in s Eritrea, Somalia and Ethiopia and habitat includes mountains and high plateau between elevations of 1500 to 3400 metres.

These are the largest birds in the world. Birds have always been the undefeated rulers of the sky. Joining the missing links from the prehistoric era they have been of great help. They are one the majestic beauties of nature. But it is a shame that we people are being a threat to it. It is not just the largest birds that are being endangered, but, this is leading to the extinction of life on earth. These are the largest birds in the world. Do post your comments.


Assista o vídeo: 5 Maiores Aves De Rapina Do Mundo (Janeiro 2022).