Notícia

Dr. Seuss Born

Dr. Seuss Born


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Theodor Geisel, mais conhecido mundialmente como Dr. Seuss, autor e ilustrador de livros infantis como “The Cat in the Hat” e “Green Eggs and Ham”, nasceu em Springfield, Massachusetts, em 2 de março de 1904. Geisel , que usou seu nome do meio (que também era o nome de solteira de sua mãe) como seu pseudônimo, escreveu 48 livros - incluindo alguns para adultos - que venderam bem mais de 200 milhões de cópias e foram traduzidos para vários idiomas. Os livros do Dr. Seuss são conhecidos por suas rimas extravagantes e personagens peculiares, que têm nomes como Lorax e Sneetches e vivem em lugares como Whoville.

LEIA MAIS: 10 coisas que você pode não saber sobre o Dr. Seuss

Geisel se formou no Dartmouth College, onde foi editor da revista de humor da escola, e estudou na Universidade de Oxford. Lá ele conheceu Helen Palmer, sua primeira esposa e a pessoa que o encorajou a se tornar um ilustrador profissional. De volta à América, Geisel trabalhou como cartunista para várias revistas e em publicidade.

O primeiro livro infantil que Geisel escreveu e ilustrou, "E pensar que vi na rua Mulberry", foi rejeitado por mais de duas dúzias de editoras antes de ser impresso em 1937. O primeiro best-seller de Geisel, "O gato no chapéu", foi publicado em 1957. A história de um gato travesso com um chapéu alto listrado surgiu depois que sua editora pediu-lhe para produzir um livro usando 220 palavras de vocabulário para novos leitores que poderiam servir como uma alternativa divertida para as cartilhas de leitura da escola que as crianças achavam chatas.

Alguns livros do Dr. Seuss abordaram temas sérios. “The Butter Battle Book” (1984) era sobre o acúmulo de armas e a ameaça de guerra nuclear durante a presidência de Ronald Reagan. “Lorax” (1971) tratou do meio ambiente.

Muitos livros do Dr. Seuss foram adaptados para a televisão e o cinema, incluindo "How the Grinch Stole Christmas!" e “Horton e o Mundo dos Quem!” Em 1990, Geisel publicou um livro para adultos intitulado “Oh, the Places You’ll Go”, que se tornou um presente de formatura muito popular para alunos do ensino médio e universitários.

Nos últimos anos, alguns dos livros de Geisel, incluindo "And to Think That I Saw It on Mulberry Street" e "If I Ran the Zoo", foram avaliados por imagens insensíveis e racistas. Em março de 2021, a Dra. Seuss Enterprises anunciou não publicaria mais seis desses livros.

Geisel, que morava e trabalhava em um antigo observatório em La Jolla, Califórnia, conhecido como “A Torre”, morreu em 24 de setembro de 1991, aos 87 anos.

LEIA MAIS: Quando o Dr. Seuss foi para a guerra


Dr. Seuss

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Dr. Seuss, pseudônimo de Theodor Seuss Geisel, (nascido em 2 de março de 1904, Springfield, Massachusetts, EUA - falecido em 24 de setembro de 1991, La Jolla, Califórnia), escritor americano e ilustrador de livros infantis imensamente populares, que eram conhecidos por suas palavras sem sentido, rimas lúdicas e criaturas incomuns .

Qual foi a educação do Dr. Seuss?

O Dr. Seuss formou-se no Dartmouth College em 1925 e fez alguns estudos de pós-graduação em literatura no Lincoln College, Oxford e na Sorbonne, mas não obteve o doutorado. Ele então se tornou um ilustrador e humorista para revistas antes de iniciar a carreira em publicidade.

O que tornou o Dr. Seuss famoso?

O primeiro livro publicado do Dr. Seuss, E pensar que vi na rua Mulberry (1937), recebeu boas críticas, mas não foi um best-seller. Horton choca o ovo (1940) foi o primeiro de uma série de best-sellers, mas provavelmente foi seu livro de 1957 O gato no chapéu isso fez dele um nome familiar.

Qual é o Dr. Seuss mais famoso?

Dr. Seuss é provavelmente mais conhecido por seus livros para ajudar as crianças a aprender a ler, como Um Peixe Dois Peixe Peixe Vermelho Peixe Azul, Ovos verdes e presunto, e Hop on Pop, seus contos de advertência, incluindo The Lorax, e o inspirador Oh, os lugares que você irá!.

Quais livros do Dr. Seuss não serão mais publicados?

Em março de 2021, a Dra. Seuss Enterprises anunciou que não iria mais publicar ou licenciar os livros E pensar que vi na rua Mulberry, Se eu dirigisse o zoológico, Piscina de McElligot, On Beyond Zebra!, Ovos mexidos Super!, e The Cat’s Quizzer. “Esses livros retratam as pessoas de maneiras prejudiciais e erradas”, disse a empresa.


Conteúdo

A maior parte dos livros de Theodor Seuss Geisel foram publicados sob o nome de Dr. Seuss. As exceções incluem Ótimo dia para cima!, Meu livro sobre mim, Gerald McBoing Boing, Dicionário do livro para iniciantes do Gato no Chapéu (creditado ao próprio Gato), 13 livros creditados a Theo. LeSeig, Porque um pequeno inseto foi Ka-Choo! e Eu não vou levantar hoje!, embora todos fossem de fato ilustrados e escritos por Geisel. Observe que apenas as informações da primeira edição são fornecidas.

Os direitos dos livros e mídia relacionada (filmes, programas de TV, produções teatrais, exibições, mídia digital, mercadoria licenciada) e outras parcerias estratégicas são propriedade da Dr. Seuss Enterprises.

  • Yertle the Turtle: Insatisfeito com a pedra que serve de seu trono, a tartaruga-rei comanda as outras tartarugas para se empilharem sob ele para que ele possa ver mais longe e expandir seu reino.
  • Gertrude McFuzz: A "menina-pássaro" Gertrude McFuzz tem uma pequena pena de cauda lisa e inveja Lolla-Lee-Lou, que tem duas penas de cauda extravagantes.
  • The Big Brag: Um coelho e um urso se gabam de serem os "melhores dos animais", por causa do alcance de suas habilidades de audição e olfato, respectivamente.
  • The Sneetches: Como os Star-Bellied Sneetches estão sendo prejudiciais aos Plain-Bellied Sneetches, um "consertador" chamado Sylvester McMonkey McBean aparece e oferece aos Sneetches sem estrelas uma chance de tê-los passando por sua máquina Star-On . Adaptado para um especial de televisão de 1973.
  • The Zax: Um Zax que vai para o norte e um Zax que vai para o sul se encontram frente a frente na pradaria de Prax. Eles se recusam a sair do caminho uns dos outros e acabam ficando lá. Ensina o valor do compromisso. Adaptado para um especial de televisão de 1973.
  • Muitos Daves: Uma mãe, a Sra. McCave, que chamou todos os 23 de seus filhos de Dave e tem dificuldade em distingui-los.
  • Do que eu estava com medo?: A história de um personagem que repetidamente se depara com uma calça verde-clara vazia e tem que aprender a aceitá-la.

Geisel também escreveu vários livros que foram publicados postumamente com seu pseudônimo mais conhecido, Dr. Seuss.

O lançamento original era uma versão em miniatura. Está programado para ser relançado em formato de capa dura de tamanho normal em 28 de julho de 2015 para coincidir com o lançamento de Qual animal de estimação eu deveria pegar?, o mais novo livro do Seuss agendado para lançamento. [4] [5] Adaptado por Tish Rabe dos trabalhos do Dr. Seuss.

Geisel também escreveu vários livros com o pseudônimo de Theo. LeSieg (Geisel escrito ao contrário) e um livro com o nome de Pedra de Roseta. Esses livros foram escritos, mas não ilustrados por Geisel.

Título Ano Ilustrador
Dez maçãs em cima! 1961 Roy McKie
Três animais, um leão, um cachorro e um tigre, que sempre empilham maçãs na cabeça para se divertir. Este é o primeiro livro do Dr. Seuss creditado como um de seus diferentes nomes.
Eu gostaria de ter pés de pato 1965 B Tobey
Um menino deseja poder ter muitas partes do corpo animais e mecânicas diferentes, encontrando usos fantásticos para cada uma, junto com suas áreas problemáticas.
Venha para a minha casa 1966
2016
Richard Erdoes
Katie Kath
As ilustrações deste livro retratam os vários estilos de casa em que vivem crianças de todo o mundo.
O livro dos olhos 1968
1999
Roy McKie
Joe Mathieu
Eu consigo escrever! Um livro por mim, eu mesmo 1971 Roy McKie
Este é o primeiro especial Bright and Early Book.
Em uma casa popular 1972 Roy McKie
Um rato mostra a um pássaro todas as coisas incríveis que se podem encontrar na casa do dia-a-dia.
Quarta-feira maluca 1974 George Booth
Mostra as aventuras de uma criança e como ela aprende a lidar com um dia anormal.
Os muitos ratos do Sr. Brice
a.k.a. Os ratos pop-up do Sr. Brice
1974 Roy McKie
Você preferiria ser um sapo-touro? 1975 Roy McKie
Hooper Humperdink. Ele não! 1976
2006
Charles E. Martin
Scott Nash
Um certo garoto (o narrador) convida todos os seus amigos - cujos nomes começam com todas as 26 letras do alfabeto - para uma festa em sua casa, exceto Hooper Humperdink, mas muda de ideia assim que os outros já estão se divertindo.
Tente se lembrar do primeiro de outubro! 1977 Art Cummings
Talvez você deva pilotar um jato! Talvez você devesse ser um veterinário! 1980
2020
Michael J. Smollin
Kelly Kennedy
Expõe o leitor a muitos tipos diferentes de carreiras.
The Tooth Book 1981
2000
Roy McKie
Joe Mathieu
Mostra pessoas e animais que têm dentes e outros que não têm. Explica que você só obtém dois conjuntos de dentes e explica brevemente como cuidar deles. Este é o último livro do Dr. Seuss creditado como um de seus diferentes nomes, e o livro final brilhante e antigo escrito pelo Dr. Seuss.
Porque um pequeno inseto foi Ka-Choo !! 1975 Michael K. Frith
Um inseto espirra, o que desencadeia uma série de consequências cada vez maiores, no final quase enviando uma cidade inteira ao caos. Geisel escreveu este livro com o pseudônimo de Rosetta Stone.

Embora Geisel fosse mais famoso por suas obras literárias, ele ajudou a escrever vários filmes de propaganda, vários curtas de desenho animado e um longa-metragem. Muitas de suas obras literárias também foram adaptadas para a televisão e como longas-metragens.

# Título Data de lançamento
1 Horton choca o ovo 11 de abril de 1942
2 Os 500 chapéus de Bartolomeu Cubbins 30 de abril de 1943
Series Snafu Privado 28 de junho de 1943 - 1946
3 E pensar que vi na rua Mulberry 28 de julho de 1944
4 Seu trabalho na Alemanha 1945
5 Nosso trabalho no Japão 1945
6 Design para a morte [7] 1947
7 Gerald McBoing-Boing 2 de novembro de 1950
8 Os 5.000 dedos do Dr. T 1 ° de julho de 1953
9 Sinfonia de Gerald McBoing-Boing 5 de julho de 1953
10 Agora Boing Boing 9 de setembro de 1954
11 Gerald McBoing! Boing! no planeta Moo 9 de fevereiro de 1956
12 The Big Fun Carnival 20 de janeiro de 1957

Curtas-metragens teatrais Editar

Ano Filme Formato Diretor escritor Distribuidor Comprimento Despesas Ref (s)
1942 Horton choca o ovo tradicionalmente animado Bob Clampett Michael Maltese e Rich Hogan Warner Bros. Pictures 10 min.
1943 Os 500 chapéus de Bartolomeu Cubbins parar o movimento George Pal filmes Paramount
1944 E pensar que vi na rua Mulberry
1950 Gerald McBoing-Boing tradicionalmente animado Robert Cannon Phil Eastman e Bill Scott UPA e Columbia Pictures

Adaptações para longas-metragens Editar

# Título Data de lançamento Companhia de produção Distribuidor (es) Tomates podres Despesas Bruto
1 Como o Grinch roubou o Natal 17 de novembro de 2000 Imagine Entertainment Universal Pictures 51% [8] $ 123 milhões [9] $ 345,1 milhões [9]
2 O gato no chapéu 21 de novembro de 2003 Universal Pictures
(Estados Unidos)
DreamWorks Pictures
(Internacional)
9% [10] $ 109 milhões [11] $ 133,9 milhões [11]
3 Horton e o Mundo dos Quem! 14 de março de 2008 Blue Sky Studios 20th Century Fox 79% [12] $ 85 milhões [13] $ 297,1 milhões [13]
4 The Lorax 2 de março de 2012 Entretenimento de iluminação Universal Pictures 53% [14] $ 70 milhões [15] $ 348,8 milhões [15]
5 O Grinch 9 de novembro de 2018 59% [16] $ 75 milhões [17] $ 270,6 milhões [17]
TBA O gato no chapéu 2024 [18] Warner Animation Group Warner Bros.
TBA Filme Untitled One and Thing Two 2026 [18]
TBA Oh, os lugares que você irá 2027 [18]

Edição de musicais

# Título Primeiro ano de produção Música Letra da música
1 Dr. Seuss 'Como o Grinch roubou o Natal! O musical 1994 Mel Marvin Timothy Mason
2 Seussical 2000 Stephen Flaherty Lynn Ahrens
3 The Lorax 2018 Charlie Fink Charlie Fink [19]

Edição de Especiais

# Título Data de lançamento Diretor Estúdio Rede
1 Como o Grinch roubou o Natal! 18 de dezembro de 1966 Chuck Jones MGM Animação / Artes Visuais CBS
2 Horton e o Mundo dos Quem! 19 de março de 1970
3 O gato no chapéu 10 de março de 1971 Hawley Pratt DePatie-Freleng
4 The Lorax 14 de fevereiro de 1972
5 Dr. Seuss on the Loose 15 de outubro de 1973
6 A rodovia Hoober-Bloob 19 de fevereiro de 1975 Alan Zaslove
7 Halloween é a noite do Grinch 29 de outubro de 1977 Gerard Baldwin abc
8 Pontoffel Pock, Cadê Você? 2 de maio de 1980
9 O Grinch Grinches o Gato do Chapéu 20 de maio de 1982 Bill Perez Marvel Productions
10 The Butter Battle Book
(último especial de TV lançado durante a vida do Dr. Seuss)
13 de novembro de 1989 Ralph Bakshi Animação Bakshi TNT
11 Daisy-Head Mayzie 5 de fevereiro de 1995 Tony Collingwood Hanna-Barbera

Edição de Série

# Título Data de estreia Data final Rede
1 The Gerald McBoing-Boing Show
(apenas série de TV exibida durante a vida do Dr. Seuss)
1956 1957 CBS
2 O mundo wubbulous do Dr. Seuss 13 de outubro de 1996 28 de dezembro de 1998 Nickelodeon
3 Gerald McBoing-Boing 22 de agosto de 2005 28 de novembro de 2007 Cartoon Network (EUA)
Teletoon (Canadá)
4 O gato do chapéu sabe muito sobre isso! 6 de setembro de 2010 8 de março de 2019 PBS Kids (EUA)
CITV / Tiny Pop (Reino Unido)
Treehouse TV / CBC Kids (Canadá)
5 Ovos verdes e presunto [20] 8 de novembro de 2019 [21] presente Netflix

Esta coleção do Dr. Seuss foi uma série lançada pela Random House. Eles são uma versão em vídeo de um "livro em fita". Nenhuma dessas produções é animada. Esta seção não contém entradas duplicadas. Enquanto Horton choca o ovo, Como o Grinch roubou o Natal, Horton e o Mundo dos Quem, O gato no chapéu, Ovos verdes e presunto, e Porque um pequeno bug foi Ka-Choo! foram adaptados para animação completa, eles também foram adaptados para uma produção não animada para esta coleção do Dr. Seuss.

Vídeo do livro do Dr. Seuss para iniciantes Editar

  • ABC do Dr. Seuss mais Posso ler de olhos fechados! e Sr. Brown Can Moo! Você pode?
  • Hop on Pop mais Oh Say, você pode dizer? e Marvin K. Mooney, por favor, vá agora! (capas VHS / DVD confundíveis como Hop on Pop mais Marvin K. Mooney, por favor, vá agora! e Oh Say, você pode dizer?)
  • Um Peixe Dois Peixe Peixe Vermelho Peixe Azul mais Oh, o pensa que você pode pensar! e The Foot Book
  • O gato do chapéu volta mais Fox in Socks e Tem um wocket no meu bolso (capas VHS / DVD confundíveis como O gato do chapéu volta mais Tem um wocket no meu bolso e Fox in Socks)
  • Eu não vou levantar hoje! mais A forma de mim e outras coisas, Ótimo dia para cima! e Em uma casa popular (VHS final na vida do Dr. Seuss e créditos confundíveis como Eu não vou levantar hoje!, Ótimo dia para cima!, A forma de mim e outras coisas e Em uma casa popular)
  • 2 Favoritos do Dr. Seuss: Ovos verdes e presunto e O gato no chapéu
  • O gato no chapéu mais Talvez você deva pilotar um jato! Talvez você devesse ser um veterinário!
  • Ovos verdes e presunto mais The Tooth Book e Dez maçãs em cima! (capas VHS / DVD confundíveis como Ovos verdes e presunto mais Dez maçãs em cima! e The Tooth Book)

Dr. Seuss Video Classics Editar

  • Circus Classics / Horton Hatches the Egg (narrado por Billy Crystal) mais Se eu comandasse o circo
  • Treasury Classics / Yertle the Turtle e outras histórias (narrado por John Lithgow)
  • Clássicos do feriado / Como o Grinch roubou o Natal! (narrado por Walter Matthau) mais Se eu dirigisse o zoológico
  • Big Animal Classics / Horton e o Mundo dos Quem! (narrado por Dustin Hoffman) mais Thidwick, o alce de grande coração
  • Lucky Classics / Eu alguma vez te disse o quão sortudo você é? (narrado por John Cleese) mais Ovos mexidos Super!
  • Clássicos da hora de dormir / Hunches em cachos mais Livro do sono do Dr. Seuss (narrado por Madeline Kahn) (capas VHS / DVD confundíveis, fitas VHS, discos DVD e créditos como Livro do sono do Dr. Seuss [narrado por Madeline Kahn] plus Hunches in Bunches)

Outra edição

  • Dr. Seuss 'consertar o quebra-cabeça de confusão (1984)
  • ABC do Dr. Seuss (1995)
  • Ovos verdes e presunto (1996)
  • O gato no chapéu (1997)
  • Dr. Seuss Toddler (1999)
  • Dr. Seuss Preschool (1999)
  • Dr. Seuss Kindergarten (1999)
  • Dr. Seuss Reading (1999)
  • O Grinch (2000)
  • Ovos verdes e presunto (2003)
  • O gato no chapéu (2003)
  • O gato no chapéu (2005)
  • Como o Grinch roubou o Natal! (2007) - Nintendo DS

Em 2 de março de 2021, aniversário de Seuss, Dr. Seuss Enterprises, parou de publicar e licenciar seis livros do Dr. Seuss por causa de imagens que eles consideraram racistas e insensíveis. [22] Os seis livros são E pensar que vi na rua Mulberry, Se eu dirigisse o zoológico, Piscina do McElligot, On Beyond Zebra!, Ovos mexidos Super! e The Cat's Quizzer. Outro livro, O gato no chapéu, também recebeu críticas [ quem? ], mas não foi retirado da publicação. [23]

A polêmica remonta a vários anos. O ″ Read Across America Day ″ da National Education Association, afastou-se dos livros de Seuss e das atividades temáticas de Seuss em 2017, em vez de enfatizar trabalhos de e sobre pessoas de cor. [24] Philip Nel da Kansas State University publicou O gato no chapéu era preto ?: O racismo oculto da literatura infantil e a necessidade de livros diversos em 2014, criticando os estereótipos raciais naquele e em outros livros do Seuss. [25]

A mídia conservadora condenou o movimento, chamando-o de exemplo ″ cancelar cultura ″ [26] e ″ proibição de livros ″, [27] e associou a decisão ao governo Biden. [28] [29]

A remoção dos livros causou um aumento nas vendas de outras obras de Seuss que impactaram as paradas da Amazon nos Estados Unidos. Foi relatado pela CTV que nove dos dez mais vendidos foram todos livros de Seuss, excluindo os livros que foram removidos. [30] Como o valor dos colecionadores dos livros retirados aumentou substancialmente, o eBay também retirou os livros. [31]


Conteúdo

O Grinch é retratado como uma criatura peluda, barriguda, em forma de pêra e nariz arrebitado com um rosto de gato e personalidade cínica. Em adaptações de cores, ele é tipicamente verde abacate. Ele passou os últimos 53 anos vivendo em reclusão em um penhasco, com vista para a cidade de Whoville.

Em contraste com o alegre Whos, o Grinch é misantrópico e mesquinho. A razão para isso é fonte de especulações e o consenso entre os Whos é que ele nasceu com um coração "dois tamanhos pequeno". Ele odeia especialmente a época do Natal, dando especial atenção ao quão perturbadores os vários ruídos da época do Natal são para ele, incluindo o canto de canções natalinas. Incapaz de suportar o feriado por mais tempo, ele decide destruí-lo de uma vez por todas.

Ajudado por seu cachorro de estimação, Max, ele se disfarça de Papai Noel e invade a casa dos Whos para roubar tudo o que eles possuem e jogá-lo em uma montanha próxima. Embora tenha conseguido roubar com sucesso, na manhã de Natal, ele fica chocado ao ouvir Whos ainda cantando alegremente, felizes simplesmente por terem um ao outro. Ele então percebe que o feriado tem um significado mais profundo que ele nunca considerou. Inspirado, ele impede que os pertences de Whos caiam da borda da montanha e, no processo (de acordo com aqueles que especulavam sobre o tamanho de seu coração antes), seu coração cresce três tamanhos. Ele devolve todos os presentes que roubou e participa alegremente da festa de Natal dos Whos.

O Grinch ainda é retratado como um personagem amargo e mal-humorado em obras de arte ou outras mídias. Tanto no especial de TV animado quanto no filme de ação ao vivo de 2000, ele mostra ter uma força sobre-humana quando para um trenó inteiro carregado de presentes ao cair de um penhasco e o levanta sobre sua cabeça, e ele também é descrito como "[ encontrando] a força de dez Grinches mais dois "(uma frase tirada do livro original) durante aquele momento de crise. No filme de 2018, o Grinch tem assistência para salvar todos os bens roubados de Whos.

Com o espírito anti-natalício do personagem seguido pela transformação na manhã de Natal, os estudiosos notaram semelhança com Ebenezer Scrooge da novela de Charles Dickens de 1843 Conto de Natal. [2] [3] O cardiologista David Kass sugeriu que o rápido crescimento do coração do Grinch no final da história indica que o Grinch tem a fisiologia de uma píton birmanesa. [4]

No livro de Seuss, "ninguém sabe ao certo a razão" para o rancor do Grinch. Em contraste, a adaptação cinematográfica de 2000 fornece uma história de fundo em sua educação: Abandonado na infância em Whoville e deixado no frio, despercebido pelos foliões em uma festa de Natal, o Grinch é levado por duas irmãs Who. Ele prova ser um estudante indisciplinado e é intimidado por um colega de escola, Augustus May Who (mais tarde prefeito de Whoville), mas se apaixona por uma garota chamada Martha. Determinado a impressioná-la, ele cozinha relíquias de família em uma panela para uma troca de presentes de Natal e tenta em vão fazer a barba, então é ridicularizado por seus esforços por todos na escola, exceto por Martha, e assim concebe um ressentimento permanente. O especial de TV O Grinch Grinches o Gato do Chapéu atribui grande parte da culpa ao Grinch de luto pela morte de sua mãe.

O primeiro uso da palavra 'Grinch' em uma obra do Dr. Seuss aparece no livro de 1953 Ovos mexidos Super! (um dos livros retirados de circulação pela propriedade Seuss em 2021 [5]) sobre Peter T. Hooper, um menino que coleta ovos de uma série de pássaros exóticos para fazer ovos mexidos. Um desses pássaros exóticos é o "Beagle-Beaked-Cald-Headed Grinch", que compartilha a atitude rabugenta do último Grinch.

O nome apareceu mais tarde na edição de maio de 1955 da Redbook em um poema de 32 linhas chamado "O Hoobub e o Grinch". Esta versão não tem praticamente nenhuma semelhança com o personagem posterior além do nome, em vez de ser um vendedor de fala rápida na veia de Sylvester McMonkey McBean de The Sneetches e o Once-ler do último livro de Seuss The Lorax. [6] "The Hoobub and the Grinch" seria republicado como parte da antologia póstuma Horton e o Kwuggerbug e mais histórias perdidas em 2014, em que a ilustração desenha esse Grinch de maneira muito diferente. [7]

O Grinch em sua encarnação mais conhecida fez sua estreia em livro na história de 1957 Como o Grinch roubou o Natal, escrito e ilustrado pelo Dr. Seuss, publicado como um livro da Random House e em uma edição da Livro Vermelho revista. Em 1966, a história foi adaptada para um filme animado para a televisão de mesmo nome, dirigido por Chuck Jones e incluía a canção "You're a Mean One, Mr. Grinch". Boris Karloff serve tanto como narrador da história quanto como voz do Grinch, mas a canção foi cantada por Thurl Ravenscroft, já que Karloff não sabia cantar. [8]

Em 1977, Seuss respondeu ao pedido dos fãs por mais contos de Grinch escrevendo Halloween é a noite do Grinch. O Grinch é dublado por Hans Conried. Isso foi seguido em 1982, quando a Marvel deu luz verde O Grinch Grinches o Gato do Chapéu, um filme de TV co-estrelado por Gato no Chapéu. O Grinch é dublado por Bob Holt. O especial foi produzido pelo Dr. Seuss (embora com seu nome verdadeiro, Ted Geisel). Embora não tenham tanto sucesso quanto o original, os dois filmes receberam prêmios Emmy.

Vários episódios do programa de televisão de 1996 do Nick Jr. O mundo wubbulous do Dr. Seuss apresentam o Grinch, desta vez em forma de fantoche. Ele foi interpretado e dublado por Anthony Asbury da 1ª temporada (1996) à 2ª temporada (1998). [9]

Um filme de comédia musical live-action de 2000 baseado na história, dirigido por Ron Howard e estrelado por Jim Carrey como o Grinch, foi um grande sucesso de bilheteria. [10] Um videogame baseado no filme, simplesmente intitulado O Grinch, foi lançado em vários consoles e PC no mesmo ano. Foi seguido em 2007 pelo lançamento do título para Nintendo DS Dr. Seuss: Como o Grinch roubou o Natal!.

O Grinch foi retratado no palco quando a história foi transformada em um musical de 1994 pela Children's Theatre Company de Minneapolis. O show chegou à Broadway por meio de uma temporada limitada em 2006. [11] O ator islandês Stefán Karl Stefánsson interpretou o Grinch na produção da turnê do musical de 2008 a 2015. O Grinch também é um personagem secundário no musical de 2000 Seussical, que é baseado em vários trabalhos de Seuss.

A história do Grinch foi adaptada para um filme de animação de 2018 pela Illumination Entertainment, estrelado por Benedict Cumberbatch como personagem-título. [12]

Na quarta-feira, 9 de dezembro de 2020, a NBC exibiu a produção ao vivo do feriado, The Grinch Musical Live do Dr. Seuss! baseado no musical da Broadway. Booboo Stewart interpreta o jovem Max, Amelia Minto interpreta Cindy Lou Who, Denis O'Hare interpreta o velho Max e as estrelas de Matthew Morrison como o Grinch. O musical inclui canções do musical original, como "You're A Mean One, Mr. Grinch". [13] [14] [15]

Em muitos filmes, especiais e séries de televisão diferentes, o Grinch foi dublado e interpretado por muitos personagens diferentes ao longo de muitos filmes.

    (Como o Grinch roubou o Natal!), (1966), (gravações de arquivo de 1994, sem créditos) (Horton e o Mundo dos Quem!), (1970 sem créditos) (Halloween é a noite do Grinch), (1977) (O Grinch Grinches o Gato do Chapéu), (1982) (Tiny Toon Adventures), (1992) (Vídeo caseiro da Random House), (1992) (O mundo wubbulous do Dr. Seuss), (1996-1998) (Homem de familia), (1999) [16] (Sneech Beach Area, Seuss Landing Street Show), (1999) [17] (Como o Grinch roubou o Natal), (2000)
  • Josh Gerhardt (O Grinch), (2000) [18] (Dr. Seuss 'Como o Grinch roubou o Natal!), (2008-2015) (Louco), (2010) [19] (Frango Robô), (2010, 2012, 2013) [20] (O Grinch), (2018) (The Grinch Musical Live do Dr. Seuss!), (2020)

O Grinch se tornou um anti-ícone do Natal e dos feriados de inverno, como um símbolo daqueles que desprezam o feriado, da mesma forma que o personagem anterior de Ebenezer Scrooge. Ao longo dos anos, o Grinch apareceu em várias formas de memorabilia, como enfeites de Natal, bonecas de pelúcia e vários itens de vestuário. [11] O espírito mal-humorado e anti-feriado do personagem fez com que o termo comum "Grinch" [21] [22] se referisse a uma pessoa que se opõe às celebrações do Natal [23] [24] ou a alguém com um atitude grosseira e gananciosa. [22] Em 2002, guia de TV classificou The Grinch em 5º lugar na lista dos "50 maiores personagens de desenho animado de todos os tempos". [21]

Ele também fez uma breve aparição na televisão em Sozinho em casa e Home Alone 2: Lost in New York.

The Grumple de Os Simpsons é um monstro verde que é uma paródia óbvia do Grinch.

Nas primeiras horas da véspera de Natal de 2018, um grupo de alpinistas colocou um chapéu de Papai Noel gigante no colossal de Antony Gormley Anjo do norte estátua (20 m de altura, envergadura de 54 m) perto de Gateshead, norte da Inglaterra. Eles haviam tentado fazer isso, sem sucesso, por vários Natais. [25] Nas primeiras horas de 29 de dezembro, os brincalhões voltaram, um deles vestido de Grinch e os outros de Papai Noel, e o Grinch "roubou" o chapéu de Papai Noel. [26]


Carreira publicitária

Ao retornar aos Estados Unidos, Geisel foi capaz de trabalhar como freelancer em alguns desenhos na Postagem de sábado à noite. Ele assinou seu trabalho “Dr. Theophrastus Seuss ”e depois encurtou para“ Dr. Seuss. ”

Aos 23 anos, Geisel conseguiu um emprego como cartunista para Juiz revista em Nova York por US $ 75 por semana e foi capaz de se casar com sua namorada em Oxford, Helen Palmer.

O trabalho de Geisel incluiu desenhos animados e anúncios com suas criaturas incomuns e malucas. Felizmente, quando Juiz A revista saiu do mercado, Flit Household Spray, um inseticida popular, contratou Geisel para continuar a desenhar seus anúncios por US $ 12.000 por ano.

Os anúncios de Geisel para o Flit apareceram em jornais e outdoors, tornando Flit um nome conhecido com a frase cativante de Geisel: "Rápido, Henry, o Flit!"

Geisel também continuou a vender desenhos animados e artigos de humor para revistas como Vida e Vanity Fair.


Dr. Seuss (1904 & # x2013 1991)

O autor de livros infantis Dr. Seuss nasceu Theodor Seuss Geisel em 2 de março de 1904, em Springfield, Massachusetts. Ele desenhou constantemente quando criança e sempre teve ouvido para a métrica, bem como uma inclinação para o absurdo. Geisel tinha pouco interesse em acadêmicos ou atletismo. Ele contribuiu com desenhos animados, muitas vezes assinados com pseudônimos criativos, para o jornal de seu colégio. No Dartmouth College, ele passou a maior parte de seu tempo trabalhando no Jack-o-Lantern, uma revista de humor do campus. Ele se tornou editor durante seu último ano, assinando suas contribuições "Seuss" depois que as autoridades escolares o penalizaram por beber gim ilegal. Ele estudou inglês por um breve período na Universidade de Oxford, onde conheceu Helen Palmer, que admirava os esboços dos desenhos animados em suas notas de aula. Em 1927, o casal se casou e mudou-se para Nova York, onde mergulharam nos prazeres noturnos do Jazz Age New York, bebendo, fumando e indo a festas. Geisel gostava de fazer piadas práticas e enganar as pessoas (especialmente os pomposos). Ele tinha uma imaginação infantil, mas também nutria inseguranças e vulnerabilidades que o tornavam intensamente privado. Geisel e sua esposa não puderam ter filhos, uma perda que sentiram fortemente, mas que também libertou Geisel para se comportar infantilmente. Helen cuidava de Geisel, ela dirigia o carro, equilibrava o talão de cheques, pagava as contas e atendia às necessidades domésticas dele. Eles viajavam com freqüência para locais tão distantes como o Peru. Geisel e Helen permaneceram casados ​​até sua morte em 1967 em 1968, ele se casou com Audrey Stone, que sobreviveu a ele.

Geisel começou sua carreira como cartunista em 1927, principalmente contribuindo com desenhos e escritos para a revista de humor Juiz, além de Humor universitário, liberdade, e Vanity Fair, e assinando seu trabalho "Dr. Seuss". Durante a década de 1930, Geisel também criou anúncios em quadrinhos para a Standard Oil Company. Sua frase de efeito de repelente de insetos, "Rápido, Henry, o Flit!" tornou-se um ditado popular. Em 1937 ele vendeu seu primeiro livro infantil, E para pensar que vi na rua Mulberry, para a Vanguard Books depois que vinte e sete editores rejeitaram o manuscrito porque faltava uma mensagem moral. Mulberry Street estabeleceu o modelo do Dr. Seuss, ele foi escrito em versos e ilustrado com desenhos comicamente exagerados & # x2013 um contraste marcante com as belas fotos então típicas de livros infantis. Nos anos seguintes Geisel publicou vários outros livros, incluindo o clássico Horton choca o ovo (1940), antes de ingressar no Signal Corps de Frank Capra e dedicar sua arte ao esforço de guerra.

Após uma breve passagem pelo pós-guerra em Hollywood, Geisel e sua esposa se mudaram para La Jolla, Califórnia, e ele voltou a escrever livros infantis. Seguiu-se uma série de sucessos, incluindo Os Sneetches e outras histórias (1953), Horton e o Mundo dos Quem! (1954), On Beyond Zebra! (1955), Como o Grinch roubou o Natal (1957), e Yertle, a tartaruga e outras histórias (1958). Nenhum poderia competir, no entanto, com a enorme popularidade do livro inovador de Geisel, O gato no chapéu (1957). Inspirado por um desafio de seu amigo de guerra William Spaulding, editor da Houghton Mifflin, Geisel escreveu seu clássico como uma cartilha de leitura, usando pouco mais de 200 palavras.

Impulsionado pelo baby boom, O gato no chapéu vendeu quase um milhão de cópias em 1960 e sete vezes esse número em 2000. Seu sucesso instigou a divisão Beginner Books da Random House, que publicou O gato no chapéu volta! (1958) e Um Peixe Dois Peixe Peixe Vermelho Peixe Azul (1960). Ovos verdes e presunto (1960), que usa apenas cinquenta palavras & # x2013 todas com uma sílaba exceto a palavra "em qualquer lugar" & # x2013 tornou-se sua obra mais popular, vendendo mais de seis milhões de cópias em 1996.

Nas três décadas seguintes, Geisel continuou escrevendo livros para crianças pequenas, crianças grandes e adultos. Seu humor bizarro, palavras inventadas e rimas melífluas atraíram gerações de leitores, tornando-o uma celebridade. Alguns de seus livros posteriores continham fortes mensagens morais. The Lorax (1971) defendeu a conservação The Butter Battle Book (1984) atacou a corrida armamentista nuclear. Mesmo assim, Geisel nunca se afastou da fórmula básica de seu sucesso: divertir primeiro, educar depois. Geisel morreu em 1991 após uma longa batalha contra o câncer.

Veja também: Literatura infantil.


& ldquoSe você pode ver as coisas fora do normal, então você pode ver como as coisas podem estar fora do lugar. & rdquo

& ldquoEu não escrevo para crianças, escrevo para pessoas. Uma vez que um escritor começa a falar com as crianças, ele está perdido. As crianças podem aprender esse tipo de coisa. & Rdquo

& ldquoEu sinto que minha maior conquista foi me livrar de Dick e Jane e encorajar os alunos a encarar a leitura como um prazer, não uma tarefa. & rdquo

& ldquoEu não tive nenhuma habilidade como romancista. Passei todo o meu tempo tentando me livrar de palavras estranhas e fervendo a coisa até o essencial. Mas a técnica de um romancista é colocar de volta aquelas coisas estranhas e não essenciais. & Rdquo

& ldquoDe vez em quando, tenho que escrever algo em uma revista para adultos. Fico tão frustrado que gostaria de me livrar de todo o lixo de palavras em excesso. Eu poderia desenhar o que quero dizer em um segundo. & Rdquo

& ldquoSou honesto o suficiente comigo mesmo para saber que não teria escrito o Grande Romance Americano, mas acho que poderia ter criado algumas pinturas excelentes. & rdquo

& ldquoNão gosto de público. Prefiro cometer meus erros em particular. & Rdquo

& ldquoGosto de fazer uma declaração, mas não acho que seja necessário fazê-lo sempre para sentir que vale a pena. & rdquo

& ldquoQuando as coisas ficam um pouco azedas em um trabalho que estou fazendo, sempre digo a mim mesmo: 'Você pode fazer melhor do que isso.'

& ldquoDeixe-me pensar sobre isso. "[Quando questionado em seu leito de morte se ele tinha alguma opinião final] & rdquo

& ldquoTodos os meus livros são baseados na verdade, uma verdade exagerada. & rdquo

& ldquoVocê pode obter ajuda de professores, mas terá que aprender muito sozinho, sentado sozinho em uma sala. & rdquo

&ldquoIn the interest of commerce, there's a happy ending. The other ending is unacceptable."[On his book You're Only Old Once]&rdquo

&ldquoI have a feeling if I could stay out of hospitals, I might live forever.&rdquo

&ldquoBe who you are and say what you feel, because those who mind don't matter and those who matter don&rsquot mind.&rdquo

&ldquoThink left and think right and think low and think high. Oh, the thinks you can think up if only you try.&rdquo

&ldquoYou have 'em I'll entertain 'em." (When asked about having children of his own.)&rdquo

&ldquoI like nonsense, it wakes up the brain cells. Fantasy is a necessary ingredient in living it's a way of looking at life through the wrong end of a telescope. Which is what I do, and that enables you to laugh at life&rsquos realities.&rdquo


Theodor Seuss Geisel was born on March 2, 1904, in Springfield, Massachusetts and his grandparents were German immigrants. He grew up around a wealthy extended family during World War I which helped shape his patriotism. As a scout, he sold War bonds and as the story goes, he sold so many that he was to be honored by President Theodor Roosevelt. When the award ceremony took place, however, Roosevelt only had nine medals leaving young Seuss without a medal. Teddy asked, “What’s this boy doing here?” and ever since Suess suffered from stage fright.

Seuss graduated from high school in 1921 and attended Dartmouth College where he joined a humor magazine called the Dartmouth Jack-O-Lantern. He would eventually become editor-in-chief of the publication, but when he was caught drinking he was forced to resign. This was the time of Prohibition and there was a zero-tolerance policy.

Seuss drew over 400 political cartoons during World War II for the New York daily newspaper called “PM.” Many of them were politically charged against the dictators Hitler and Mussolini and Japanese Americans were depicted as latent traitors. In them, he also showed his support of President Roosevelt and critiqued Congress and he wrote films for the U.S. Air Force.

By the 1950s, he wrote children’s books after the war in La Jolla, California under the pen name Dr. Seuss. Some of these were “The Cat in the Hat,” “How the Grinch Stole Christmas,” and “Green Eggs and Ham,” and he continued to write until his death on September 24, 1991. His legacy lives on as his beloved children’s books continue to sell well and inspire young people to read. In 1997, the National Education Association chose his birthday to celebrate reading and the first Read Across America Day was held the next year in 1998.


Censors wipe out whole pieces of literature

I’ve been thinking about this history during the recent debate over Dr. Seuss, born Theodor Seuss Geisel. Recently, the company that oversees his estate announced that it would end publication and licensing of six books by Dr. Seuss that “portray people in ways that are hurtful and wrong.”

But it’s hurtful to remove them from the public square, which is the goal of censors everywhere. They think we can't recognize the "problematic" aspects of Dr. Seuss, so we must be shielded from him. And they're wrong about that.

Books by Theodor Seuss Geisel, aka Dr. Seuss, including "On Beyond Zebra!" and "And to Think That I Saw it on Mulberry Street," on March 2, 2021, in Chicago. (Photo: Scott Olson/Getty Images)

Yes, his books include blatantly racist caricatures and stereotypes: an Asian person holding chopsticks, barefooted Africans wearing grass skirts, and so on. Before he died in 1991, Seuss actually altered some of the drawings to make them less objectionable. In the Asian illustration, for example, he removed the figure’s pigtail, changed its yellow skin tone, and altered the accompanying text to read “Chinese” instead of “Chinaman.”

But the illustration still offends, which raises an obvious question: why didn’t the publishers alter it again or simply remove it? We don’t know, but we can guess the answer: to satiate Dr. Seuss’ critics. Censors don’t aim to strike a word here, and a picture there they want to obliterate a work of literature altogether, so nobody sees it.

And that never works in America, where authors often become more popular when someone tries to shut them down. A few days after the announcement that six Dr. Seuss books would no longer be published, four of them shot into Amazon’s list of top 20 best-sellers. All told, 13 of the 20 books were by — you guessed it — Dr. Seuss.


The Stories Behind 10 Dr. Seuss Books

Theodor Seuss Geisel—who was born in Springfield, Massachusetts on March 2, 1904—wasn't actually a doctor (at least not until his alma mater, Dartmouth, gave him an honorary PhD), but his unique poetic meter and leap-off-the-page illustrations made him one of the most successful children's writers in history. Here's a little background on some of his greatest hits.

1. THE LORAX

The Lorax is widely recognized as Dr. Seuss's take on environmentalism and how humans are destroying nature. Groups within the logging industry weren't very happy about it and later sponsored The Truax—a similar book, but from the logging point of view. Another interesting fact: The Lorax used to contain the line, "I hear things are just as bad up in Lake Erie," but 14 years after the book was published, the Ohio Sea Grant Program wrote to Seuss and told him how much the conditions had improved and implored him to take the line out. Dr. Seuss agreed and said that it wouldn't be in future editions.

2. THE CAT IN THE HAT

Dr. Seuss wrote The Cat in the Hat because he thought the famous Dick and Jane primers were insanely boring. Because kids weren't interested in the material, they weren't exactly compelled to use it repeatedly in their efforts to learn to read. Então, The Cat in the Hat was born. "I have great pride in taking Dick and Jane out of most school libraries," the author once said. "That is my greatest satisfaction."

3. GREEN EGGS AND HAM

Amazonas

Bennett Cerf, Dr. Seuss's editor, bet him that he couldn't write a book using 50 words or less. The Cat in the Hat was pretty simple, after all, and it used 225 words. Not one to back down from a challenge, Geisel started writing and came up with Green Eggs and Ham—which uses exactly 50 words.

The 50 words, by the way, are: a, am, and, anywhere, are, be, boat, box, car, could, dark, do, eat, eggs, fox, goat, good, green, ham, here, house, I, if, in, let, like, may, me, mouse, not, on, or, rain, Sam, say, see, so, thank, that, the, them, there, they, train, tree, try, will, with, would, you.

4. HORTON HEARS A WHO!

The line from the book "A person's a person, no matter how small" has been used as a slogan for pro-life organizations for years. It's often questioned whether that was Seuss's intent in the first place, but when he was still alive, he threatened to sue a pro-life group unless they removed his words from their letterhead. Karl ZoBell, the attorney for Dr. Seuss's interests, says the author's widow doesn't like people to "hijack Dr. Seuss characters or material to front their own points of view."

5. MARVIN K. MOONEY WILL YOU PLEASE GO NOW!

It's often alleged that Marvin K. Mooney Will You Please Go Now! was written specifically about Richard Nixon, but the book came out only two months after the whole Watergate scandal. Which makes it unlikely that the book could have been conceived of, written, edited, and mass-produced in such a short time also, Seuss never admitted that the story was originally about Nixon.

But that's not to say he didn't understand how well the two flowed together. In 1974, he sent a copy of Marvin K. Mooney to his friend, Art Buchwald, at o Washington Post. In it, he crossed out "Marvin K. Mooney" and replaced it with "Richard M. Nixon," which Buchwald reprinted in its entirety. Oh, and one other tidbit: This book contains the first-ever reference to "crunk," although its meaning is a bit different than today's crunk.

6. YERTLE THE TURTLE

Amazonas

Yertle the Turtle = Hitler? Yep. If you haven't read the story, here's a little overview: Yertle is the king of the pond, but he wants more. He demands that other turtles stack themselves up so he can sit on top of them to survey the land. Mack, the turtle at the bottom, is exhausted. He asks Yertle for a rest Yertle ignores him and demands more turtles for a better view. Eventually, Yertle notices the moon and is furious that anything dare be higher than himself, and is about ready to call for more turtles when Mack burps. This sudden movement topples the whole stack, sends Yertle flying into the mud, and frees the rest of the turtles from their stacking duty.

Dr. Seuss actually said Yertle was a representation of Hitler. Despite the political nature of the book, none of that was disputed at Random House—what was disputed was Mack's burp. No one had ever let a burp loose in a children's book before, so it was a little dicey. In the end, obviously, Mack burped.

7. THE BUTTER BATTLE BOOK

The Butter Battle Book was pulled from the shelves of libraries for a while because of the reference to the Cold War and the arms race. Yooks and Zooks are societies who do everything differently. The Yooks eat their bread butter-side up and the Zooks eat their bread butter-side down. Obviously, one of them must be wrong, so they start building weapons to outdo each other: the "Tough-Tufted Prickly Snick-Berry Switch," the "Triple-Sling Jigger," the "Jigger-Rock Snatchem," the "Kick-A-Poo Kid," the "Eight-Nozzled Elephant-Toted Boom Blitz," the "Utterly Sputter," and the "Bitsy Big-Boy Boomeroo."

The book concludes with each side ready to drop their ultimate bombs on each other, but the reader doesn't know how it actually turns out.

8. AND TO THINK THAT I SAW IT ON MULBERRY STREET

Dr. Seuss's first children's book, And to Think That I Saw It on Mulberry Street, was rejected 27 times according to Guy McLain of the Springfield Museum in Geisel's hometown. Only after Geisel bumped into a friend who'd just been hired by a publishing house did the book get the green light. "He said if he had been walking down the other side of the street," McLain told NPR, "he probably would never have become a children's author."

9. OH, THE PLACES YOU'LL GO!

Amazonas

Oh, The Places You'll Go! is Dr. Seuss's final book, published in 1990. It sells about 300,000 copies every year because so many people give it to college and high school grads.

10. HOW THE GRINCH STOLE CHRISTMAS!

No Dr. Seuss story would be complete without a mention of the television special based on his book How the Grinch Stole Christmas! In the Dr. Seuss-sanctioned cartoon, Frankenstein's Monster himself, Boris Karloff, provided the voice of the Grinch and the narration. Seuss was a little wary of casting him because he thought his voice would be too scary for kids.


Assista o vídeo: Theodor Geisel aka Dr. Seuss 1986 (Pode 2022).