Notícia

Hipócrates

Hipócrates

Hipócrates nasceu na ilha grega de Kos no século 5 aC e se tornou o médico mais famoso da antiguidade. Ele estabeleceu uma escola de medicina na ilha, escreveu muitos tratados sobre questões médicas e é, por meio de sua investigação sistemática e empírica de doenças e remédios, considerado o fundador da medicina moderna.

Detalhes biográficos

As informações sobre Hipócrates são irregulares e não confiáveis. Ele talvez tenha nascido c. 460 aC, mas os detalhes de sua vida foram especulados até mesmo nos tempos antigos. Uma das fontes mais antigas é a Vida de hipócrates creditado a Sorano de Éfeso, ele próprio um médico, que viveu nos séculos I e II dC. O método de Soranus de citar textos anteriores agora perdidos tem sido uma fonte inestimável de informações sobre a medicina antiga. Ele afirma que Hipócrates conhecia vários sofistas do século V, notavelmente Górgias de Leontini, e foi ensinado medicina por seu pai e por Herodicus de Selymbria, um treinador de ginástica. Também sabemos que Hipócrates fundou e dirigiu uma escola de medicina em Kos.

Platão menciona Hipócrates em seu Protágoras, sugerindo que ele trabalhava por honorários e acreditava que o corpo deveria ser tratado como um todo (Fedro) O estudioso romano e escritor médico Cornelius Celsus afirma que Hipócrates foi o primeiro a separar a medicina da filosofia, e outras fontes antigas também sugerem que Hipócrates acreditava na importância da dieta e dos exercícios para um corpo saudável. Sorano prossegue informando-nos que Hipócrates viajou ao longo de sua vida e morreu em Larissa, na Tessália, c. 370 AC.

Hipócrates foi o primeiro a separar a medicina da filosofia e HE acreditava na importância da dieta e dos exercícios para um corpo saudável.

Na antiguidade, surgiram muitas lendas sobre os grandes talentos de Hipócrates, mas a maioria delas é provavelmente pura invenção. Ele supostamente descobriu que os problemas de saúde do rei Pérdicas II da Macedônia se resumiam à paixão, ele eliminou a praga que atingiu Atenas em 430 aC queimando fogueiras em todos os lugares e tratou o filósofo Demócrito, que todos consideravam louco (não sem alguma justificativa). Hipócrates teve três filhos que continuaram seu trabalho - Tessalo, Dracon e Políbio.

Corpus Hipocrático

Hipócrates há muito tem sido creditado por escrever um grande número de antigos tratados, discursos e cartas sobre medicina, coletivamente referidos como o Corpus Hipocrático (Corpus Hippocraticum), que foi compilado no período helenístico na Alexandria ptolomaica. Estudiosos modernos consideram que, apenas por motivos estilísticos, esses textos devem realmente ter sido escritos por vários autores e apontam que não há referência a Hipócrates jamais escrevendo algo em fontes contemporâneas de sua vida. Os estudiosos, portanto, defendem a posição de que alguns dos textos foram escritos por Hipócrates, mas exatamente quais deles ainda estão em debate.

O Corpus do século III aC foi editado novamente no século I dC pelos estudiosos Dióscurides e Capitão. Vários escritores antigos, muitas vezes eles próprios médicos famosos, frequentemente escreveram comentários sobre obras atribuídas a Hipócrates, entre os mais notáveis ​​estão Herófilo de Calcedônia (século 4 a 3 aC), Apolônio de Cítio (século 1 aC) e Galeno (séculos 2 a 3 a.C. CE).

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Os textos hipocráticos tratam de todos os tipos de tópicos médicos, mas podem ser agrupados nas quatro categorias principais de diagnóstico, biologia, tratamento e conselho geral para médicos. São mais de 60 tratados, cada um sobre tópicos específicos, por exemplo, articulações, terapia, regime, cirurgia, fisiologia, progressão de doenças, remédios purgativos e ginecologia. As questões da ética e da relação da medicina com outras disciplinas, especialmente filosofia, também são discutidas.

O juramento hipocrático

O famoso juramento de Hipócrates provavelmente apareceu após a vida de Hipócrates e foi reservado para um seleto grupo de médicos. Na verdade, era um documento religioso garantindo que um médico operasse dentro e para os valores da comunidade. Com o juramento, o praticante jurou por Apollo, Hygieia e Panacea respeitar seu professor e não administrar veneno, abusar de pacientes de qualquer forma, usar uma faca ou quebrar a confidencialidade entre paciente e médico. Versões modernas do juramento, ou declarações semelhantes, ainda hoje são feitas por muitos estudantes de medicina em todo o mundo.

Conclusão

Hipócrates é creditado por historiadores por mover o assunto da medicina para longe da abordagem anteriormente sobrenatural e religiosa, que tinha sido intimamente ligada ao deus grego da cura, Asclépio, para uma abordagem moderna de observação, classificação, causas e efeitos, e assim por diante. Mesmo que outros antes dele, como Alkmaion de Kroton, também tivessem começado a abordar a medicina de maneira racional e os detalhes de sua vida e obra fossem poucos, Hipócrates, no entanto, veio a ser conhecido, assim como era no antigo mundo, como o pai da medicina moderna.


Juramento de Hipócrates

o Juramento de Hipócrates é um juramento de ética historicamente feito por médicos. É um dos textos médicos gregos mais conhecidos. Em sua forma original, exige que um novo médico jure, por vários deuses da cura, manter padrões éticos específicos. O juramento é a expressão mais antiga da ética médica no mundo ocidental, estabelecendo vários princípios de ética médica que permanecem de suma importância hoje. Isso inclui os princípios de sigilo médico e não maleficência. Como articulação seminal de certos princípios que continuam a guiar e informar a prática médica, o texto antigo tem mais do que valor histórico e simbólico. Jurar uma forma modificada do juramento continua sendo um rito de passagem para graduados em medicina em muitos países e é um requisito consagrado nos estatutos legais de várias jurisdições, de modo que as violações do juramento podem acarretar responsabilidade criminal ou outra responsabilidade além da natureza simbólica do juramento.

O juramento original foi escrito em grego jônico, entre os séculos V e III aC. [1] Embora seja tradicionalmente atribuído ao médico grego Hipócrates e geralmente incluído no Corpus Hipocrático, a maioria dos estudiosos modernos não o considera como tendo sido escrito pelo próprio Hipócrates.


Hipócrates - História

Hipócrates foi um antigo médico grego cujo trabalho teve enorme influência no desenvolvimento da medicina moderna. Pelas lentes da história, ele é considerado um dos maiores de todos os médicos da antiguidade grega.

Os primeiros anos de Hipócrates

Como é o caso de muitas pessoas famosas nascidas há muito tempo, muitos dos registros de nascimento, vida e morte de Hipócrates foram perdidos & # 8211, se é que foram registrados. Com base nos registros que sobreviveram, podemos verificar que Hipócrates nasceu em 460 a.C. em Kos, Grécia. O que sabemos sobre o homem encontra-se na obra de seu principal biógrafo Sorano de Éfeso e também nos escritos do filósofo Aristóteles.

Hipócrates era filho de Heráclides, que também era médico. Parece que Hipócrates aprendeu os princípios básicos da medicina com seu pai e seu avô. Durante toda a sua vida, Hipócrates praticou medicina. Sua prática não se baseava apenas em Kos, já que Hipócrates viajava por toda a Grécia e seus territórios. Sua vida teve um certo tumulto, já que suas teorias sobre medicina frequentemente irritavam aqueles que preferiam o status quo.

Filosofias Fundamentais

Uma das afirmações mais importantes de Hipócrates foi a noção de que doenças e enfermidades não derivam de maldições dos Deuses nem têm origem sobrenatural ou supersticiosa. Ao mudar o foco da superstição para a ciência, ele ajudou a alterar o curso da medicina e do estudo científico.

O que Hipócrates sabia com base em suas observações era que a dieta, o estilo de vida e os fatores ambientais contribuíam para a saúde de uma pessoa viva. Hoje, consideramos essa avaliação baseada no bom senso simples e básico. No mundo da antiguidade, a superstição era muito mais prevalente e todas as coisas que não eram claramente compreendidas eram consideradas como possuidoras de uma origem mágica e mística. O sistema de crenças revolucionário de Hipócrates ofereceu uma abordagem totalmente nova que não foi exatamente aceita por seus contemporâneos. Na verdade, o grande médico sofreria muito por suas crenças.

Na época em que Hipócrates viveu, muito pouco se sabia sobre as doenças porque a sociedade grega proibia a dissecção. Como resultado, muitas suposições foram necessárias por parte dos médicos. Talvez alegar origens sobrenaturais fosse uma saída fácil para os médicos da época. Então, novamente, eles provavelmente acreditavam na noção de que a doença era a maldição dos deuses.

Hipócrates deu um passo adiante e desenvolveu a teoria de uma crise de doença. A noção de crise referia-se a determinar a evolução de uma doença e se o paciente se recuperaria ou não. Embora haja muita especulação envolvida aqui, ninguém diria que o homem não estava indo na direção certa com suas teorias.

Castigo de Hipócrates

Por sua oposição às crenças prevalentes na Grécia na época em relação à medicina, Hipócrates foi condenado a 20 anos de prisão. Houve um resultado positivo que emergiu desta sentença de prisão. Hipócrates não permitiu que isso o detivesse em suas crenças. Na verdade, ele usou seu tempo na prisão de forma produtiva ao escrever “O corpo complicado”, um tratado que estava muitos séculos à frente de seu tempo. Muito do que hoje sabemos ser verdade na medicina moderna pode ser atribuído ao material desta obra. Ao analisá-lo, a maioria concordará que Hipócrates realmente merece o título de "Pai da Medicina Ocidental".

O Corpo de Trabalho de Hipócrates

Ao olhar para a obra de Hipócrates, não é exatamente fácil decifrar sua abordagem de como ele realmente praticava a medicina. Embora tenhamos uma ideia geral com base nos registros que sobreviveram, a triste verdade continua sendo que muitos fatos sobre sua vida se perderam na história. O que sobreviveu e o que sabemos revela que ele foi um homem brilhante que estava muito à frente de seu tempo. Com base em seu trabalho, o Juramento de Hipócrates surgiu e esta é a filosofia governante que todos os médicos prescrevem.

Hipócrates finalmente faleceu por volta de 370 a.C.

2 respostas para & # 8220Hippocrates & # 8221

Qual é a sua fonte, por favor, para esta história de & # 8216 Hipócrates na prisão & # 8217? E para este tratado & # 8216The Complicated Body & # 8217? Não existe tal tratado no corpus HIppocratic e só encontrei essa saga da prisão em alguns sites da Internet. Mas alguém deve ter começado!


Os humores e personalidade

Hipócrates e seus seguidores nunca viram as doenças como uma matéria exclusivamente orgânica. Eles acreditavam que a mente e o corpo eram uma entidade única. Como tal, durante a doença, a mente tinha certos efeitos no corpo físico e vice-versa.

Membros da escola peripatética acrescentaram outra ideia à teoria dos quatro humores. Eles postularam que o excesso de um dos humores produzia um temperamento específico nas pessoas. Mais tarde, Galeno elaborou isso. Ele afirmou que a falta de equilíbrio entre os quatro humores afetava a maneira de agir, sentir e pensar das pessoas.

Galeno acabou delineando a existência de quatro temperamentos:

  • Melancólico: Nessas pessoas, a bile negra predomina. Eles têm um temperamento melancólico, são muito sensíveis e gostam de atividades artísticas.
  • Colérico: Pessoas nesta categoria têm uma quantidade maior de bile amarela, que é a fonte de seu temperamento apaixonado. Eles têm uma vitalidade enorme e se irritam rapidamente.
  • Sanguíneo: O sangue é o humor predominante nessas pessoas. Eles são confiantes, alegres, otimistas, expressivos e sociáveis.
  • Fleumático: Os fleumáticos têm uma grande quantidade de catarro em seus sistemas. Eles são pensadores profundos, justos, calmos, dispostos a se comprometer e trabalham duro.

O juramento hipocrático

O muito familiar & # x201CHippocratic Oath & # x201D é um documento sobre práticas médicas, ética e moral. Originalmente, Hipócrates foi creditado por compor o juramento, no entanto, pesquisas mais recentes indicam que ele foi escrito após sua morte por outros médicos influenciados pelas práticas médicas no Corpus. Embora não sejam aplicadas em sua forma original hoje, as muitas versões modernizadas que existem & # xA0servem como a base para o juramento que os graduados em medicina fazem no início de suas carreiras. Alguns dos princípios básicos do juramento incluem praticar a medicina com o melhor de sua habilidade, compartilhar conhecimento com outros médicos, empregar simpatia, compaixão e & # xA0entendimento, respeitar a & # xA0privacidade dos pacientes e & # xA0 ajudar a prevenir doenças sempre que possível. & # xA0


1. Metodologia Biomédica

Uma maneira de analisar os grupos de escritores hipocráticos gira em torno de suas origens geográficas: Cos vs. Cnidos. Embora essa classificação seja controversa, é útil (quer se aceite a demarcação geográfica literal) para marcar algumas distinções claras no corpo da escrita hipocrática. Parece ser o caso que os redatores de Cos procuraram criar leis biomédicas gerais & # 8220 & # 8221 que, em sua maior parte, dariam o explicação por que alguém estava doente. Qualquer médico pode fazer referência a essas & # 8220laws & # 8221 e, portanto, ter uma etiologia para a doença e, por extensão, uma estratégia de tratamento.

Uma. Os Quatro Humores

O esquema teórico mais proeminente historicamente dos escritores de Coan foi a doutrina dos quatro humores do corpo: sangue, catarro, bile negra e bile amarela (ou às vezes soro). A saúde foi definida como o equilíbrio dos quatro humores. A doença foi definida como o desequilíbrio dos humores. Quando ocorre um desequilíbrio, o médico pode intervir fazendo uma correção para trazer o corpo de volta ao equilíbrio. Por exemplo, se o indivíduo estava muito cheio de catarro (tornando-o fleumático ou letárgico), então o catarro deve ser combatido. A fruta cítrica era considerada um agente de contra-ataque. Portanto, se você se sentir letárgico, aumentar a ingestão de cítricos irá recriar o equilíbrio. O tratamento é, de fato, geralmente eficaz. Os modernos podem descrever a terapia de maneira diferente, atribuindo o efeito à vitamina C, ao fósforo e ao açúcar natural. Este exemplo ilustra o escopo do médico hipocrático neste contexto: algo como um cruzamento entre os papéis modernos de um nutricionista fitoterapeuta e um personal trainer. No entanto, as curas ditadas pela teoria dos quatro humor pareciam funcionar bem o suficiente para que essa teoria se estendesse até o século XIX (em várias formas).

B. Um antigo debate: as teorias causais gerais são benéficas?

Outros escritores biomédicos & # 8211 alguns dizem de Cnidos & # 8211 sustentaram que princípios empíricos estritos não permitiam aos cientistas ir muito além dos dados. Foi uma metodologia melhor para o biomédico ficar o mais próximo possível dos dados que estavam antes dele. Isso significava que cada paciente seria vista em sua particularidade. Tal método exigia observação cuidadosa por tentativa e erro e apenas uma leve manipulação do paciente na forma de tratamento.

Houve um grande conflito no mundo antigo a respeito do status das conclusões observacionais (as empiricamente concretas). Devem ser dados em sua especificidade e permanecer como relatos individuais e díspares, ou devem ser agrupados e princípios mais gerais extraídos deles? Nesse caso, era muito questionado se era melhor apresentar relatos individuais de doenças específicas (estudos de caso) ou tentar extrair regras gerais desses dados.

Considere por exemplo Epidemias III:

A MORTIFICAÇÃO DO GANGRENE. Se a gangrena se mortifica, ocorre uma dor de cabeça e freqüentemente uma garganta arranhada, o membro doente perde a sensibilidade, uma sensação de frio chega à cabeça e o membro afetado transpira. Ele repentinamente perde a fala e sopra sangue pelo nariz enquanto fica pálido. Se a doença se apoderar do paciente com uma força fraca, ele recupera o sangue expelido. Se a doença o levar com força, ele morre imediatamente. Neste caso, induz-se ao espirro por substâncias agradáveis ​​e evacua-se pelo superior e inferior. Alternativamente, esses odores serão um pouco ativos. A sopa estará leve e quente. O vinho é absolutamente proibido. (Epidemias III, Littré 7, p. 123)

Nesta passagem, ficamos apenas com os sintomas e o tratamento. Mas, quando se pratica a medicina dessa maneira, há severas restrições. Pois a doença é vista como um conjunto de sintomas. A cura só pode ser adivinhada, a menos que tenha sido previamente escrita em um manual. Quando um médico é confrontado com uma nova doença, ele deve encontrar um conjunto semelhante de sintomas e usar esse tratamento. Este aspecto do método & # 8220 ensaio e erro & # 8221 trouxe severa repreensão de Galeno.

A questão é que eles [os cnidianos] olharam para as variedades de sintomas que mudam por muitas razões e não consideraram a especificidade das disposições, como fez Hipócrates, que usou para sua descoberta um método apenas pelo qual se pode encontrar o número de doenças. . . . Hipócrates censura os médicos cnidianos por sua ignorância dos gêneros e espécies de doenças, e aponta as divisões pelas quais o que parece ser um se torna muitas ao ser dividido. (Corpus Medicorum Graecorum 5.9.1, pp. 121-22 Claudii Galeni De Placitis Hippocratis et Platonis, ed. I. Mueller (Lipsiae, 1874), p. 776)

C. Prognóstico e Tratamento

O que tornava os cnidianos diferentes dos escritores de Coan? Isso pode ser encontrado examinando-se as duas etapas em qualquer prática médica: Prognóstico e Tratamento. No trabalho Coan, No Prognóstico, o escritor sugere que o prognóstico consiste em conhecer a condição do paciente no passado, presente e futuro. Agora, como um médico poderia saber disso? Bem, isso também poderia ter sido parte de um manual catalogado por meio de estudos de caso semelhantes. O praticante pode memorizar cada descrição individual. Em seguida, o praticante pode adicionar a sua própria experiência. Mas o problema é que cada caso é individual. Possui a & # 8220natureza & # 8221 apenas no sentido de possuir um conjunto único de propriedades. O médico não estaria em uma boa posição para tratar novos casos. Quando confrontado com um novo caso, o praticante fica com a busca semelhante casos. A premissa implícita é que casos semelhantes exigem soluções semelhantes. Quanto mais experiência, mais refinado o médico pode ser ao equilibrar casos semelhantes com os remédios.

Obviamente, muita coisa depende da palavra, & # 8216similar. & # 8217 Um rico conjunto de conhecimentos é suficiente? Não é também necessário ter um procedimento de classificação, o que por si só implica regras de classificação. E como selecionar e justificar tais regras? Parece que somos pressionados para trás em direção archai, pontos de partida para algum sistema axiomático (à la Aristóteles & # 8217s Posterior Analytics, I, i-ii).

Essa alternativa ao programa empirista visa estabelecer uma teoria das causas que fundamentam os casos individuais. Essas causas, como & # 8220hot, & # 8221 & # 8220cold, & # 8221 & # 8220wet, & # 8221 e & # 8220dry & # 8221 ou & # 8220the four humors & # 8221 são mais gerais porque procuram descrever um diferente senso da natureza da doença. & # 8216Nature & # 8217, neste contexto, refere-se ao tipo de condição que vem de observações baseadas na individualidade de pacientes reais. Pois aqui estamos interessados ​​nos gêneros e espécies da doença em questão. Tal exercício cria uma classificação de tipos de doenças.

Mas para que essa classificação não seja baseada em características acidentais, é necessário que ela inclua os fatores causais que operam para causar a doença em primeiro lugar. Este é realmente o fundacional ou causal rede responsável pela própria existência da doença. Tal compreensão da & # 8220nature & # 8221 afasta-se dos indivíduos e suas & # 8220similaridades & # 8221 em direção ao teórico. Entendida desta forma, a natureza da doença é um fator regulador do prognóstico do médico. Essa natureza deve ser entendida para oferecer tratamento. Nesse sentido, a natureza são os princípios abrangentes que dão conta do mecanismo da doença. O que tornou os escritores de Coan tão atraentes para Galeno foi que eles investigaram vários sentidos da natureza, enquanto os cnidianos se limitaram apenas aos dados conforme se apresentavam.

D. Os escritos hipocráticos e a medicina helenística

Os escritos hipocráticos foram influentes no desenvolvimento de praticantes biomédicos posteriores. As três principais escolas helenísticas: dogmáticos, metodistas e empíricos, todas retratam de várias maneiras os escritos hipocráticos. Muitos debates nos escritos hipocráticos (como o debate & # 8220preformation & # 8221 vs. & # 8220epigenesis & # 8221) são retomados e recebem uma distorção de acordo com as predileções das escolas helenísticas. O próprio Galeno freqüentemente cita Hipócrates, também conhecido como & # 8220 os escritores hipocráticos & # 8221, como o ponto de partida para a construção de sua própria teoria. Assim, seria justo dizer que não apenas os escritores hipocráticos foram os primeiros escritores biomédicos sistemáticos na tradição ocidental, mas também os mais influentes para escritores posteriores.


Uma breve biografia de Hipócrates

O famoso médico nasceu na ilha grega de Kos por volta de 460 AEC. Como muitos médicos da época, sua suposta linhagem remonta ao deus grego da cura, Asclépio. Fiel ao destino de sua dinastia, o pai de Hipócrates, Heráclides, também era médico.

Platão menciona a suposta ancestralidade de Hipócrates em Fedro, chamando-o de “da família Asclepiad”. Se isso significava que Hipócrates era um atendente do templo de Asclépio ou ele pertencente a uma seita de médicos que eram considerados descendentes do deus da cura, não podemos ter certeza. Mas a evidência textual aponta para o último, já que Hipócrates costumava separar as doenças de fontes divinas (mas ele está aberto à possibilidade, conforme mostrado em seu texto Prognóstico) As terapias clericais folclóricas empregadas nos templos de Asclépio por seus administradores também contradizem a medicina amplamente materialista de Hipócrates. Platão também nos diz em Protágoras outra importante função social que Hipócrates cumpria, a de instrutor médico, função que desempenhava por um preço indeterminado.

Sobre sua estatura como médico, lemos em Aristóteles um endosso brilhante de suas habilidades médicas. No Política, Aristóteles usa o médico como um padrão comparativo de como deve ser uma instituição que funcione bem:

“Pois um estado como outras coisas tem uma certa função a cumprir, de modo que é o estado mais capaz de cumprir essa função que deve ser considerado o maior, assim como se diria que Hipócrates é maior, não como ser humano, mas como médico, do que alguém que o ultrapassou em tamanho corporal. ”

Acclaim não se limitou à sua terra natal, ao que parece. Notícias de seus talentos extraordinários haviam chegado ao reino vizinho da Pérsia, onde o rei Artaxerxes ouvia com atenção. Mais tarde, Artaxerxes ordenou que o governador do Helesponto subornasse Hipócrates com presentes extravagantes, na esperança de que o fascínio pelas riquezas convencesse o médico a trocar a Grécia pela Pérsia. Infelizmente para Artaxerxes, a oferta apenas conseguiu provocar o desafio e a indiferença de Hipócrates em relação às riquezas mundanas, pois o médico prontamente recusou a oferta. Esta história é em grande parte uma lenda com apenas alguns grãos de verdade nela; provavelmente foi inventada pela primeira vez como uma parábola política divulgada pelos gregos para reforçar o preconceito anti-persa.

Uma imagem incompleta, mas já coerente, de Hipócrates emerge desses poucos relatórios. Com os relatos de Platão e Aristóteles, podemos ter certeza de que houve de fato um Hipócrates cujos talentos médicos ofuscaram os outros, o que foi motivo suficiente para os aspirantes a médicos pagarem mensalidades para estudar sob sua tutela. Além disso, o uso de Hipócrates como propaganda contra os persas afirma sua estatura salutar dentro do grande Mediterrâneo.

Como um médico aclamado pela elite e um professor de medicina de grande reputação, podemos supor com segurança que Hipócrates fomentou dentro e ao seu redor uma cultura acadêmica que se concentrava especialmente, mas não se limitava à medicina. Em uma época em que a especialização era estranha à vida intelectual, Hipócrates e seus alunos teriam recebido bem as percepções de outras áreas se isso melhorasse os tratamentos médicos. Essa abertura não era exclusiva dos hipocráticos, mas era bastante comum na Grécia antiga. Uma escola anterior, a de Pitágoras do famoso teorema, misturava tratamentos médicos com música e um regime estrito de dieta vegetal. O Liceu de Aristóteles, que foi inaugurado décadas depois da morte de Hipócrates, também seguia um esquema semelhante, especialmente representado por seus diretores fundadores. Enquanto Aristóteles se ocupava com a pesquisa zoológica - culminando no multi-volume Historia Animalium o que lhe rendeu o elogio de ser o “pai da biologia” - seu sucessor escolhido como diretor do Liceu, Teofrasto, pôs seus olhos em outro reino vivo. Como uma espécie de complemento ao compêndio de Aristóteles, Teofrasto escreveu um estudo botânico abrangente chamado Historia Plantarum. Por causa desse trabalho, Teofrasto mais tarde recebeu a custódia de seu reino e foi nomeado “pai da botânica”.

Um olho para a medicina sustenta as obras desses dois. Implícito na obra de Aristóteles está a importância de compreender a relação recíproca entre a forma anatômica e a função fisiológica quando se trata do bem-estar do organismo, ou seja, de sua saúde. Teofrasto, por sua vez, dedicou partes de sua antologia ao conhecimento das ervas e usou isso como uma passagem para discutir doenças e suas respectivas curas. Dado o grande elogio de Aristóteles ao médico, é plausível que Hipócrates tenha tido uma influência significativa em ambas as obras.

O fato de Hipócrates ter encontrado um público dentro da comunidade filosófica é uma prova da qualidade intelectual do corpus. Na verdade, há motivos suficientes para supor que Hipócrates foi um precursor espiritual e intelectual mais direto de Aristóteles, visto que muitos dos elementos “modernos” e “científicos” defendidos pelo filósofo já foram desenvolvidos em muitos textos hipocráticos. Especialmente em consonância com a de Aristóteles Ciência foi a busca de Hipócrates por um método correto em Na Medicina Antiga que apresentou a melhor tentativa do médico em uma filosofia e história da medicina.


Principais contribuições de Hipócrates

Transforma a medicina em uma disciplina

Até o quinto século antes de Cristo, a medicina não era uma disciplina adequada para ser estudada. Na verdade, pensava-se que as doenças tinham uma relação estreita com superstições, lendas e magia.

A chegada desse Hipócrates mudou drasticamente o olhar para a medicina, pois ele o elevou de forma mais racional.

Ele desviou o olhar das lendas e começou a estudar as causas das doenças. Ele argumentou que as doenças que o homem contraía dependiam mais do meio ambiente, dos hábitos e da alimentação.

Além disso, implantou técnicas e metodologias para o tratamento de algumas doenças, incluindo diagnósticos e medidas preventivas que marcariam o início da arte da medicina, expandindo-se para diferentes partes do mundo.

Algumas dessas abordagens e descrições foram resgatadas e como um todo agora é conhecido como o Corpus Hipocrático . É uma compilação onde você pode encontrar as descobertas mais importantes para a medicina durante os séculos IV e V.

Juramento de Hipócrates

A construção da base ética da medicina começa a partir desta escrita. Este juramento, atribuído a Hipócrates, é um documento que descreve os princípios que uma pessoa que se dedica à medicina deve possuir.

Atualmente, em muitas das escolas médicas do mundo, os alunos desta disciplina devem fazer um juramento, alusivo a este escrito, em sua cerimônia de formatura.

Anatomia

Entre as diferentes escritas resgatadas desta época foram descobertos alguns desenhos da anatomia humana. No entanto, essa anatomia era baseada principalmente em animais, então não havia conhecimento detalhado do corpo humano.

Embora o conhecimento sobre a anatomia do homem fosse escasso, esses escritos foram as primeiras impressões que se relacionaram com a anatomia humana.

Descrição das doenças

Na experiência adquirida ao longo da vida e na dedicação à medicina, Hipócrates soube descrever muitas doenças (hemorróidas, doenças localizadas no peito, doenças pulmonares, cardíacas, entre outras).

Embora algumas de suas descrições não sejam exatamente precisas, elas foram uma base sólida para tornar a medicina uma ciência.

Cirurgia

Outra das grandes contribuições para a medicina moderna foi a possibilidade de cirurgia. Os dados coletados nessa época indicam que Hipócrates foi um dos primeiros cirurgiões a registrar.

Apesar do tempo, falam de métodos bastante adequados, levando-se em consideração as limitações tecnológicas.

Medicina preventiva

Essa foi uma parte importante dos escritos de Hipócrates. Neles indica a evolução de certas doenças, descreve seus sintomas e as possíveis complicações para poder dar um diagnóstico.

Além disso, dependendo do diagnóstico, a literatura descreve diretrizes para obter melhorias.

Hipócrates também apresentava outros aspectos relevantes para o prognóstico das doenças, como dieta e estilo de vida do paciente.

Ele considerou que os hábitos e o ambiente em que uma pessoa se encontrava influenciavam nas doenças que ela contraía.

Ginecologia

Sobre esse assunto, Hipócrates estuda mulheres em diferentes situações. Por exemplo, descreve as doenças que acometem as mulheres virgens. Descreve outros estados, como esterilidade, gravidez, entre outros.


Contracepção na História - Parte I: Aristóteles, Hipócrates e uma Liderança Inteira

Há um equívoco comum (sem trocadilhos) de que a contracepção não existia em qualquer capacidade real antes do século XX. As gerações anteriores eram capazes de se controlar, não eram tão loucas por sexo como somos hoje, e só se envolveram no ato após o casamento (heterossexual!) E por causa da procriação.

Sempre acreditei que as pessoas não mudaram em nada ao longo da história humana e, quanto mais estudo, mais acredito que isso seja verdade. Claro, a maneira como as pessoas entendem seu mundo muda, assim como a maneira como escrevem sobre ele, mas as pessoas não mudam. Isso é particularmente verdadeiro quando se trata de sexo. Nossa própria existência é a prova de que cada geração, desde o surgimento do homem, tem sido impotente contra ela. Mais do que apenas um desejo biológico, é um desejo e uma obsessão. Desde que a humanidade entendeu que o sexo pode levar à gravidez, procuramos maneiras de prevenir a concepção.

Isso não é novidade. Você quer uma prova?

Acredita-se que esta pintura rupestre de 12 mil anos da Grotte des Combarelles, na França, seja a primeira representação do uso de preservativo.

Sendo fã de longa data do romance histórico, sempre tive curiosidade sobre a contracepção. Assuming the woman didn’t die having her first or second child, how did she avoid having twenty more? Do they all have syphilis? If not, why not? What does syphilis look like?

Assuming I’m not the only person who has ever wondered this (and I might be…), I’m going to write a series of posts of contraception throughout history. If there’s a particular time, place, or aspect that you’re interested in, please let me know.

For now we’ll start in the Ancient World.

Obviously women are all-powerful, but Hippocrates was among the first to believe that women could prevent conception by banishing sperm on command, as he explains in The Sperm, fifth century BCE: “When a woman has intercourse, if she is not going to conceive, then it is her practice to expel the sperm produced by both partners whenever she wishes to do so.”

You read that right, the sperm produced by both partners. While Aristotle and Plato argued that men’s sperm was responsible for producing embryos and that women were little more than a receptacle for it, Hippocrates understood that conception was a complex process involving both partners. Although he might not have been quite right about conception (or lack thereof) at will, he reasoned that both parties had to be involved because children could look like either parent. So far so logical.

Diseases of Women, a Hippocratic treatise, goes on to recommend a sure fire way of dealing with unintended pregnancies: “Shake her by the armpits and give her to drink…the roots of sweet earth almond.”

There is no evidence that the sweet earth almond, also known as the Cyperus esculenthus is anything other than a tasty, tasty nut. It’s a good source of protein, healthy fats, and Vitamins E and C, so it’ll make your skin look great, but it has no known contraceptive or abortive properties.

If that didn’t work (and all signs point to no), he also advised women to jump up and down repeatedly with her heels touching her butt. It’s worth a shot.

While Aristotle underestimated the woman’s contribution to conception, his contraceptive recommendations sound a little more effective. He advised women to: “anoint that part of the womb on which the seed falls with oil of cedar, or with ointment of lead or with frankincense, commingled with olive oil.”

Lead is one explanation for the shockingly low birthrates in Ancient Rome. The aqueducts were made of lead, and it is not unreasonable to suspect that most of the population was suffering from a degree of lead poisoning (more on that here). Lead poisoning causes infertility in men and women, yes, along with behavioral changes, irritability, convulsions, and permanent damage to the central nervous system.

Throughout history, lead has been used in a number of common products from paint to eyeliner and has been a well-documented cause of infertility and madness.

So there you have it. If you can’t find someone to vigorously shake you by the armpits, try lead.*

Tune in next Thursday for more on contraception in history. If you can’t wait, read Aine Collier’s The Humble Little Condom: A History for a fun introduction.


Contributions of Hippocrates

In this article, I am going to talk about some of the Contributions of Hippocrates.

1. A direction towards the healthy way of Life

From his books, we get guidance about our food habits. In all his books, Hippocrates talks concerning the significance of following an excellent food plan reminiscent of consuming meals containing chlorophyll, and different foodstuffs like wheatgrass, sprouts, and edible algae.

At present, we perceive that life-style and poor food plans can result in illness, and plenty of issues are brought on by consuming an excessive amount of fats and sugar.

Hippocrates felt that the physical and psychological problems we may have, most are caused by our unplanned food habit. Hippocrates first recognized this when he made dietary suggestions with the intention to assist individuals to remain match and wholesome.

This recommendation remains to be legitimate at present, as seen in his suggestion to eat meals stuffed with chlorophyll, i.e. green food, which means vegetables and food full of vitamins and minerals.

2. A collection of 60+ medical work in the books – Hippocratic Corpus

Hippocrates authored many books as regards science and drugs and one instance is the Hippocratic Corpus. This is a complete collection of many solutions and guidelines effective even in the present time.

Hippocratic Corpus was written in Ionic Greek and contained lectures, philosophical essays, and analysis. It additionally included a group of around 70 completely different ailments, their signs, and solutions.

3. People suffer mostly because of Chest-Related Illness

Hippocrates was a great surgeon at all times. From his 90 years of life, Hippocrates experienced that people mostly suffer from their chests. Apart from the head, the chest is the most important part of the body engaging many other critical organs of the body. A lot of Hippocrates’ work and education were associated with ailments of the chest.

He was the primary to empty an abscess on the chest wall utilizing a tube, and this method remains to be used at present. Lots of his ideas are nonetheless taught to medical college students.

4. Pneumonia was very common and horrible

Now, we don’t see Pneumonia is so gruesome, but the days of Hippocrates were not that much easy. Pneumonia is an inflammatory situation that impacts the air passage or air sacs within the lungs. It’s primarily brought on by viruses or microorganisms.

Many people suffered from Pneumonia and succumb to death. Hippocrates first identified the signs in kids and referred to as it an illness “named by the ancients.”

He acknowledged that in extreme instances, it may result in death, and many individuals died of pneumonia as a result of they may not get the right therapy. Now, pneumonia might be handled with improved drugs and saved the lives of many.

5. Hippocrates brought out medication and cure for Empyema

Empyema or empyema thoracic is a group of pus and fluid within the area between the 2 pulmonary pleura brought on by microorganisms.

Additionally, it is referred to as respiratory inflammatory illness. It may be cured with the assistance of antibiotics and chest-tube drains. Without therapy, it may result in pneumonia, which is one of the great contributions of Hippocrates.

The primary signs of the illness are cough, fever, and chest ache. At present, the prognosis for this illness is a CT scan and X-ray, however, Hippocrates was capable of diagnosing without using these fashionable methods.

The illness consists of three essential levels: the formation of pleural fluid, fibrous septa forming within the membranes, and the shortcoming to sufficiently increase the lungs.

This illness can unfold to all elements of the lung and sometimes led to dying until Hippocrates got here up with a treatment. It was frequent in each adult and kids.

6. Finger Clubbing is a sign of chronic lung disease, lung cancer, and cyanotic heart disease.

Hippocrates was the primary to diagnose this situation which is characterized by the swelling or bloating of the fingers, which is a symptom of many other serious diseases, such as chronic lung disease, lung cancer, as well as cyanotic heart disease.

Signs and history are crucial for doctors to start medication. It is likely one of the signs of Eisenmenger’s syndrome which is a chromosomal dysfunction resulting in congenital coronary heart defects and pulmonary hypertension. At the moment, nobody had heard of the situation.

7. Epilepsy is a dysfunction of the nervous system

Epilepsy is a dysfunction of the nervous system and was documented by Hippocrates in his ebook On the Sacred Illness.

Individuals at the moment thought that epilepsy was a supernatural illness without particular origin, however, Hippocrates proposed that it was a bodily ailment.

He believed that the situation started with the formation of phlegm within the veins of the pinnacle and will result in psychological sickness.

This particular disease can occur in any part of life. For some, epilepsy occurred at delivery and others developed the situation later in life. Hippocrates is famous that younger kids who have been vulnerable to die from epilepsy.

The ancient concept was a bit different, quite superstitious. The traditional Greeks described the situation as “sacred,” and Hippocrates believed that epilepsy proved that that mind may management the body.

Hippocrates had a modern mind. He believed in logic and science. He additionally advised that the mind was the eventual reason for dying as a result of the shortcoming to breathe was brought on by a blockage within the veins of the head. He noticed that the primary signs of epilepsy have been shivering and a contraction of the mind.

8. Remedy for Hemorrhoids was a great relief for human

Hemorrhoids, or more generally piles, is a dysfunction of the rectum and anal canal. In historic Greece, it was thought to have been brought on by extra bile and phlegm and was troublesome to deal with.

Hippocrates first noticed this situation and worked on it, which is now recognized to be brought on by a swelling of the blood vessels within the rectal space, which is one of the great contributions of Hippocrates. The findings of Hippocrates is still addressed significantly by the doctors.

9. Hippocratic Face must have their logical causes

The Hippocratic face is caused by impending danged of death, long term illness, or excessive hunger, excessive evacuation, or anything like this. The Hippocratic face, or Latin facies Hippocratica, describes a dramatic change in an individual’s facial options which is characterized by sunken eyes and cheeks, and relaxed lips.

These signs have been first described by Hippocrates and have been an indication of extended moderately than acute sickness. If the causes weren’t handled, the situation could possibly be deadly. People earlier that time, used to think about the face, cursed.

10. Hippocratic Oath still renders the professional spirit

Hippocrates was an excellent doctor and wished all those that adopted him to abide by the identical set of ideas and ethics. He due to this fact proposed the Hippocratic oath which outlines the foundations that must be adopted by all medical practitioners.

The oath is a commitment and self-motivation. The oath states that each one doc ought to do their responsibility with full respect to the affected person and keep away from any malpractice.

The oath is the liability of the doctor to professional ethics. The oath begins by swearing upon the gods and units out a listing of guidelines that must be adopted.

The oath is included in his Hippocratic Corpus. One instance included within the oath is that of abortion being an immoral act.

Hippocrates additionally states that anybody who follows his oath will acquire an excellent status as a physician. At present, most medical college students swear this oath on commencement.

10. Use of diagnosis, medication, and devices

The rectal speculum is a beneficial diagnostic device for docs and was first utilized by Hippocrates to detect illnesses contained in the body. It’s inserted by the anus and used to detect tumors and inside irritation.

Hippocrates used many devices like this to diagnose illness and taught his college students to use every instrument precisely and when to make use of it. He additionally invented devices which could possibly be used to carry out surgical procedure.

11. The Endoscopy gives an inner look into the body

It was much needed to view inside the body in order to diagnose. The precept of endoscopy is to look contained in the body, and its earliest type was invented by Hippocrates.

Hippocrates initiated the process during his time. At the time, individuals have been cautious of this method, however, nowadays it’s a frequent diagnostic device used for early detection of sickness and illness.

12. Hippocratic theory is evergreen

Hippocrates is credited with being the primary particular person to imagine that ailments have been induced naturally, not due to superstition and gods. Hippocrates was credited by the disciples of Pythagoras of allying philosophy and drugs.

He separated the self-discipline of drugs from the faith, believing and arguing that illness was not a punishment inflicted by the gods however somewhat the product of environmental components, weight loss program, and residing habits.

Certainly, there’s not a single point out of a mystical sickness within the entirety of the Hippocratic Corpus.

Nonetheless, Hippocrates did work with many convictions that have been primarily based on what’s now identified to be incorrect anatomy and physiology, corresponding to Humorism.

13. First Documented Chest Surgeon with a lot of success and new findings

Hippocrates’ another contribution could also be present in his descriptions of the symptomatology, bodily findings, surgical remedy, and prognosis of thoracic empyema, i.e. suppuration of the liner of the chest cavity.

His teachings stay related to present-day college students of pulmonary drugs and surgical procedures.

Hippocrates was the first documented chest surgeon and his findings and strategies, whereas crude, corresponding to the usage of lead pipes to empty chest wall abscess, are nonetheless legitimate, which is one of the great contributions of Hippocrates.

14. Hippocrates is recognized as the Father of Medicine

Hippocrates is revered to be the “Father of Medicine” for his manifold pioneering contribution from the front. His contributions revolutionized the follow of drugs however, after his demise, the development stalled.

So revered was Hippocrates that his teachings have been largely taken as too nice to be improved upon and no important developments of his strategies have been made for a very long time.

The centuries after Hippocrates’ death have been marked as a lot by retrograde motion as by additional development.

15. Hippocrates was a great doctor

Hippocratic drugs were notable for their strict professionalism, self-discipline, and rigorous follow. The Hippocratic work On the Doctor recommends that physicians all the time be well-kempt, trustworthy, calm, understanding, and critical.

The Hippocratic doctor paid cautious consideration to all elements of his follow: Contributions of Hippocrates were to adopt detailed specs for, “lighting, personnel, devices, positioning of the affected person, and strategies of bandaging and splinting” within the historic working room. He even stored his fingernails to an exact size.

16. Naming of the medical terms

Analyzing nature and signs in different cases, Hippocrates categorizes human illnesses according to merit, such as acute, chronic, endemic as well as epidemic.

He also applied terms like exacerbation, relapse, resolution, crisis, paroxysm, peak, and convalescence, considering signs and history, some of the valuable contributions of Hippocrates.


Galen's Guide to a Great Massage Oil

One of the things Galen discusses in his treatise on Hygiene is how to make a great massage oil. To make a massage oil, a base oil or oils are mixed or impregnated with various resins, essential oils and aromatic medicinal principles.
Today, making a good but basic massage oil is a relatively simple affair. A base oil is mixed with essential oils in certain proportions, and that's it. But how was it done back in Galen's time?
For therapeutic massage purposes, Galen's preferred base oil was Olive Oil, which he considered to be completely balanced in temperament, or the Four Basic Qualities. Moreover, the best kind of olive oil was what he called Sweet Oil, ou Sabine Oil - olive oil from the Sabine region of Italy. He considered this oil to be superior for oleation and massage because it had no trace of harshness, bitterness or astringency. If real Sabine Oil should be unavailable, a high quality Pomace Oil will do.
Because olive oil is so balanced in all its qualities, it's most suited as a base oil for those of a fairly balanced temperament. However, there are many other fine base oils out there that, due to their special virtues, are more suited to those of different temperaments, and for different conditions:
Castor: A very thick, unctuous, heavy oil, slightly heating. Great at dispersing obstructions, congestion, plethora, and at drawing out pus and purulent toxins. Excessive use can aggravate heat and choler. Very penetrating.
Coconut: A rich, thick, heavy, cooling oil that nourishes the Phlegmatic humor and cherishes the inherent moisture of the organism. An excellent moisturizer indicated for all dry conditions. Contraindicated for Phlegmatics.
Grapeseed: A very light, subtle, penetrating oil. Great for Phlegmatic and Sanguine types, and conditions of phlegm and dampness. Not favorable for Melancholics, who need a heavier, more grounding oil.
Sesame: The base oil of preference for Melancholics. Rich, heavy, soothing, warming and unctuous.
Sunflower: The most cooling oil. Best for Cholerics. Contraindicated for Phlegmatics, or those suffering from conditions of coldness and phlegm.
Massaging with pure base oils is only recommended for those with no marked toxicity or humoral aggravations that are compromising their health. To check for toxicity and humoral aggravations, look at the tongue: if there is a marked, thick or turbid tongue coating, pure base oils are contraindicated and medicated oils, as appropriate, must be used.
There are several ways of medicating oils. In Galen's time, the fresh cones of the Fir tree (Abies picea) were mashed up and soaked for 40 days in olive oil in a dark, warm place in a stoppered jar. Alternatively, the fresh buds of the Poplar tree (Populus nigra) were mashed and extracted in oil for their medicinal oleoresins.
To enhance the extraction process, the oil and the aromatic cones or buds were put into a pot and heated slowly, over a very low flame. To avoid burning or smoking the oil, a double boiling process was also used, in which the pot with the buds and oil was put inside a larger pot of boiling water. Nowadays, an electric crockpot is excellent for this purpose.
Instead of Fir cones, those of other evergreens, like Pine, Spruce ou Larch, may also be used. And a good substitute for Poplar buds in the United States is Balm of Gilead buds (Populus candicans), which is actually another species of Poplar.
The aromatic essence of the Fir cones, when dissolved in the oil, Galen said to be good for those whose flesh was congested by excess Phlegmatic fluids, lymph and dampness. These essences also have a diaphoretic effect that opens the pores and promotes sweating. The essence of the Poplar bud is also stimulating, and no less of a diaphoretic than the Fir.
When soaking the Fir or Poplar in oil, cover it with enough oil to leave an inch or two of oil above the crushed cones or buds. Strain or press out the oil after soaking for 40 days, or after simmering it slowly for several hours.
Galen then instructs us to melt some Fir resin into the oil, and then to thicken the oil with Beeswax in a ratio of five parts oil to one part wax. Another valuable therapeutic ingredient that was often added was Terebinth, or natural turpentine (Don't use the turpentine from your local hardware store!) Terebinth, in a massage oil, is one of the best muscle relaxants and antirheumatics known.
o essential oil of Fir is balsamic and pectoral in that it opens up the lungs, chest and respiratory passageways. It's also antirheumatic in that it relieves rheumatism and muscular aches and pains. It's also antiseptic and antimicrobial in fighting infections and putrefactions. It's also anticatarrhal in respiratory colds and congestion, and a stimulant to the circulation and metabolism in general.
When using Fir essence, Terebinth, or other essential oils in a massage oil, put them in in the ratio of one tablespoon of the essential oil or essential oil blend to a cup of the base oil. Other essential oils that work well in a massage oil and mix very well with Fir essence are the essential oils of Cinnamon, Laurel, Juniper e Lavender.