Notícia

Barco voador PBY-3 Catalina consolidado

Barco voador PBY-3 Catalina consolidado


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Barco voador PBY-3 Catalina consolidado

O Consolidated PBY-3 diferia da versão anterior do Catalina por ter motores Twin Wasp de 900cv mais potentes R-1830-66 no lugar dos motores de 850cv usados ​​no PBY-2. Um pedido de 66 PBY-3s foi feito em novembro de 1936, apenas quatro meses após o pedido ter sido feito para o PBY-2.

O novo motor foi responsável pela principal mudança na aparência do PBY-3. Os motores usados ​​nos modelos anteriores tinham sua entrada de ar embaixo do motor, mas o R-1830-66 tinha um carburador de baixa calagem, então as entradas de ar tinham que ser no topo das nacelas.

Quando todas as 66 aeronaves foram entregues, o PBY-3 foi usado para equipar VP-7 e VP-9 em San Diego, VP-4 e VP-18 em Pearl Harbor, VP-5 em Coco Solo, VP-16 em Seattle, bem como VP-9 e VP-32. A maioria desses esquadrões fazia parte de asas de patrulha maiores e, em 1º de julho de 1939, os esquadrões receberam novos números com base nas asas.

PatWing 2 foi baseado no Havaí, e assim o ataque japonês caiu sobre os esquadrões VP-21 e VP-22. Entre eles, esses esquadrões perderam nove PBY-3s durante o ataque a Pearl Harbor. O PBY-3 permaneceu uma aeronave de linha de frente até março de 1943, quando os últimos exemplares operacionais foram transferidos para estabelecimentos de treinamento, onde permaneceram em uso até 31 de maio de 1945.

Motor: R-1830-66
Potência: 900hp
Velocidade máxima: 185 mph
Teto: 23.100 pés
Peso bruto: 22.078 lb


Barco voador consolidado PBY Catalina modelo 3D da segunda guerra mundial

Barco voador consolidado PBY Catalina WWII é um modelo fotográfico real de alta qualidade que aumentará os detalhes e o realismo de qualquer um de seus projetos de renderização. Com cockpit semi-detalhado. O modelo tem um design detalhado totalmente texturizado que permite renderizações em close-up e foi originalmente modelado no 3ds Max 2012 e renderizado com V-Ray. A fidelidade é ideal até uma renderização de 2k. Os renderizadores não têm pós-processamento.
Espero que você goste!

Barco voador consolidado PBY Catalina Segunda Guerra Mundial está pronto para ser animado. Você pode posicioná-lo facilmente da maneira que você precisa ou animar.
*********************************
Recursos:
- Modelo poligonal de alta qualidade, dimensionado corretamente para uma representação precisa do objeto original.
- As resoluções dos modelos são otimizadas para eficiência do polígono. (No 3ds Max, a função Meshsmooth pode ser usada para aumentar a resolução da malha, se necessário.)
- Todas as cores podem ser facilmente modificadas.
- O modelo é totalmente texturizado com todos os materiais aplicados.
- Todas as texturas e materiais são incluídos e mapeados em todos os formatos.
- Os modelos do 3ds Max são agrupados para facilitar a seleção e os objetos são nomeados logicamente para facilitar o gerenciamento da cena.
- Nenhuma confusão de nome de peça ao importar vários modelos em uma cena.
- Não há necessidade de limpeza, apenas coloque seus modelos na cena e comece a renderizar.
- Nenhum plugin especial necessário para abrir a cena.
- O modelo não inclui planos de fundo ou cenas usadas nas imagens de visualização.
- Unidades: cm
- Photoshop (arquivos de textura original com todas as camadas)
*********************************
Formatos de arquivo:
- 3ds Max 2012 V-Ray e cenas de materiais padrão
- OBJ (Multi Formato)
- 3DS (Multi Formato)
- Maya 2011
- Cinema 4D R14
- FBX (Multi Formato)
- Photoshop (arquivos de textura original com todas as camadas)
*********************************
Formatos de texturas:
- (66 .png) 2048 x 2048

Além disso, existem arquivos de textura originais com todas as camadas no formato .PSD em um arquivo particular
*********************************
3d Molier International é uma equipe de artistas 3D com mais de uma década de experiência na área. A empresa participou de vários projetos permitindo-nos conhecer as necessidades dos nossos clientes. Cada modelo que construímos passa por uma avaliação de qualidade completa, tanto visual quanto técnica, para garantir que os ativos pareçam realistas e os modelos sejam da melhor qualidade, o que você pode dizer olhando para os renderizadores que nenhum deles possui pós-processamento. Além disso, todos os modelos vêm com UVs completos e topologia otimizada, o que permite que você altere geograficamente ou as texturas, se necessário.

Confira também nossos outros modelos, basta clicar em nosso nome de usuário para ver a galeria completa.
3d_molier International 2017


PBY Catalina consolidado
Desenhos técnicos consolidados de PBY Catalina e planos de modelos em escala de amplificadores
Planos consolidados de modelo em escala PBY Catalina
Planos consolidados do modelo em escala PBY-5 Catalina
Fontes:
Barcos voadores e hidroaviões desde 1910
Desenhos de aeronaves em escala, Volume 2 e # 8211, Segunda Guerra Mundial
PBY Catalina consolidado | Sky Corner
PBY Catalina consolidado | Wikipedia

o PBY Catalina consolidado foi uma das esquisitices da guerra. Com um projeto de 1933, foi amplamente utilizado pela Marinha dos EUA, mas estava quase obsoleto em 1940. Sem nenhuma substituição imediata à vista, foi mantido em produção pela US Naval Aircraft Factory (NAF) em duas fábricas da Consolidated e em duas fábricas canadenses . Eventualmente, ele se distinguiu por se tornar o barco voador mais prevalente de todos os tempos: 3.276 foram construídos nos EUA e Canadá, além de cerca de 150 PBY Catalina consolidado aeronaves sob licença na Rússia.

Em competição contra o avião de patrulha Douglas XP3D-1, o XP3Y da Consolidated foi o vencedor e entrou em produção como o bombardeiro de patrulha PBY-1 de duplo propósito - o primeiro monoplano encomendado pela Marinha para serviço com a frota. o PBY-1 aeronaves podiam transportar até 2.000 lb (907 kg) de bombas e estavam armadas com quatro metralhadoras 0,30.

O motor do protótipo era o motor Pratt & amp Whitney R-1830-58 de 825 hp, mas cresceu para 1.200 hp R-1830-92 no final PBY-5A e PBY-6A modelos. As mudanças externas mais notáveis ​​foram as grandes bolhas transparentes sobre as portas laterais da arma (mostradas pela primeira vez no PBY-4) e o trem de pouso triciclo retrátil introduzido no PBY-5A (“A” para anfíbio) que aumentou muito a utilidade e a produção. Uma cauda mais alta apareceu no NAF PBN-1 e o mais tarde PBY-6A.

o PBY Catalina viu o serviço em todos os teatros da guerra. Um RAF. PBY Catalina consolidado avistou o evasivo navio de guerra alemão Bismark, e isso levou à sua destruição. Os PBY-5s e 5As da Marinha dos EUA foram usados ​​para o dever adicional de resgate ar-mar, particularmente no Pacífico, onde alguns carregavam botes salva-vidas. De outros PBYs, pintados de preto fosco e fosco, eram usados ​​para operações noturnas de invasão contra os japoneses. Resgate PBY Catalinas foram apelidados de "Dumbo", enquanto os invasores foram chamados de "Gatos Negros".

o PBY Catalina consolidado possuía um desempenho que lhe permitiu manter sua viabilidade com as armas aéreas militares e navais de diversos países, bem como na função de transporte comercial, por muitos anos após a guerra, principalmente na América do Sul. Entre os que ainda operam Catalinas para reconhecimento marítimo até meados da década de 1960 foram Argentina, Brasil, Chile, Equador e México, época em que a China nacionalista, Dominica, Indonésia e Peru ainda usavam o tipo para busca e resgate, e França e Israel retinham alguns para tarefas diversas .


Flugboot konsolidierte PBY Catalina WWII-Modell 3D

Barco voador consolidado PBY Catalina WWII é um modelo fotográfico real de alta qualidade que aumentará os detalhes e o realismo de qualquer um de seus projetos de renderização. Com cockpit semi-detalhado. O modelo tem um design detalhado totalmente texturizado que permite renderizações em close-up e foi originalmente modelado no 3ds Max 2012 e renderizado com V-Ray. A fidelidade é ideal até uma renderização de 2k. Os renderizadores não têm pós-processamento.
Espero que você goste!

Barco voador consolidado PBY Catalina Segunda Guerra Mundial está pronto para ser animado. Você pode posicioná-lo facilmente da maneira que você precisa ou animar.
*********************************
Recursos:
- Modelo poligonal de alta qualidade, corretamente dimensionado para uma representação precisa do objeto original.
- As resoluções dos modelos são otimizadas para eficiência do polígono. (No 3ds Max, a função Meshsmooth pode ser usada para aumentar a resolução da malha, se necessário.)
- Todas as cores podem ser facilmente modificadas.
- O modelo é totalmente texturizado com todos os materiais aplicados.
- Todas as texturas e materiais são incluídos e mapeados em todos os formatos.
- Os modelos do 3ds Max são agrupados para facilitar a seleção e os objetos são nomeados logicamente para facilitar o gerenciamento da cena.
- Nenhuma confusão de nome de peça ao importar vários modelos em uma cena.
- Não há necessidade de limpeza, apenas coloque seus modelos na cena e comece a renderizar.
- Nenhum plugin especial necessário para abrir a cena.
- O modelo não inclui planos de fundo ou cenas usadas nas imagens de visualização.
- Unidades: cm
- Photoshop (arquivos de textura original com todas as camadas)
*********************************
Formatos de arquivo:
- 3ds Max 2012 V-Ray e cenas de materiais padrão
- OBJ (Multi Formato)
- 3DS (Multi Formato)
- Maya 2011
- Cinema 4D R14
- FBX (Multi Formato)
- Photoshop (arquivos de textura original com todas as camadas)
*********************************
Formatos de texturas:
- (66 .png) 2048 x 2048

Além disso, existem arquivos de textura originais com todas as camadas no formato .PSD em um arquivo particular
*********************************
3d Molier International é uma equipe de artistas 3D com mais de uma década de experiência na área. A empresa participou de diversos projetos permitindo-nos conhecer as necessidades dos nossos clientes. Cada modelo que construímos passa por uma avaliação de qualidade completa, tanto visual quanto técnica, para garantir que os ativos pareçam realistas e os modelos sejam da melhor qualidade, o que você pode dizer olhando para os renderizadores que nenhum deles possui pós-processamento. Além disso, todos os modelos vêm com UVs completos e topologia otimizada, o que permite que você altere geograficamente ou as texturas, se necessário.

Confira também nossos outros modelos, basta clicar em nosso nome de usuário para ver a galeria completa.
3d_molier International 2017


Artigo principal: Lista de sobreviventes Consolidated PBY Catalinas Consolidated PBY Catalina_sentence_141

Dados da Encyclopedia of World Air Power, Jane's Fighting Aircraft da Segunda Guerra Mundial, Manual de Instruções de Montagem e Manutenção para os Modelos da Marinha PBY-5 e PBY-5A e Quest for Performance. PBY Catalina_sentence_142 consolidado

Características gerais Consolidated PBY Catalina_sentence_143

PBY Catalina consolidado_unordered_list_7

  • Tripulação: 10 (piloto, co-piloto, artilheiro de torre de proa, engenheiro de vôo, operador de rádio, navegador, operador de radar, dois artilheiros de cintura e artilheiro ventral) Consolidado PBY Catalina_item_7_32
  • Comprimento: 63 & # 160ft 10.875 & # 160in (19.47863 & # 160m) PBY Catalina_item_7_33 consolidado
  • Envergadura: 104 & # 160 pés (32 & # 160m) PBY Catalina_item_7_34 consolidado
  • Altura: 21 & # 160ft 1 & # 160in (6,43 & # 160m) PBY Catalina_item_7_35 consolidado
  • Área da asa: 1.400 & # 160sq & # 160 pés (130 & # 160m) PBY Catalina_item_7_36 consolidado
  • Proporção: 7,73 PBY Catalina_item_7_37 consolidado
  • Peso vazio: 20.910 & # 160lb (9.485 & # 160kg) PBY Catalina_item_7_38 consolidado
  • Peso máximo de decolagem: 35.420 & # 160lb (16.066 & # 160kg) PBY Catalina_item_7_39 consolidado: 0,0309 PBY Catalina_item_7_40 43.26 pés (4,02 m) PBY Consolidado Catalina_item_7_41
  • Powerplant: 2 × Pratt & amp Whitney R-1830-92 motores Twin Wasp 14 cilindros de pistão radial refrigerado a ar, 1.200 & # 160hp (890 & # 160kW) cada PBY Consolidado Catalina_item_7_42
  • Hélices: hélices de velocidade constante de 3 pás Consolidated PBY Catalina_item_7_43

PBY Consolidated Performance PBY Catalina_sentence_144

PBY Catalina consolidado_unordered_list_8

  • Velocidade máxima: 196 e # 160 mph (315 e # 160km / h, 170 e # 160kn) PBY Catalina_item_8_44 consolidado
  • Velocidade de cruzeiro: 125 e # 160 mph (201 e # 160 km / h, 109 e # 160kn) PBY consolidado Catalina_item_8_45
  • Alcance: 2.520 & # 160mi (4.060 & # 160km, 2.190 & # 160nmi) PBY Catalina_item_8_46 consolidado
  • Teto de serviço: 15.800 e # 160 pés (4.800 e # 160 m) PBY Catalina_item_8_47 consolidado
  • Taxa de subida: 1.000 e # 160 pés / min (5.1 e # 160 m / s) PBY Catalina_item_8_48 consolidado
  • Levante para arrastar: 11,9 PBY Catalina_item_8_49 consolidado
  • Carregamento da asa: 25,3 & # 160lb / sq & # 160ft (124 & # 160kg / m) PBY Catalina_item_8_50 consolidado: 0,067 & # 160hp / lb (0,110 & # 160kW / kg) PBY Catalina_item_8_51 consolidado

PBY Consolidated Armamento Catalina_sentence_145

PBY Catalina consolidado_unordered_list_9

  • Pistolas: 3 metralhadoras x 0,30 cal (7,62 mm) (duas na torre do nariz, uma na abertura ventral na cauda) PBY Catalina_item_9_52 consolidada
  • 2 metralhadoras de 0,50 cal (12,7 mm) (uma em cada bolha da cintura) PBY Catalina_item_9_53 consolidada
  • Bombas: 4.000 lb (1.814 kg) de bombas ou racks de torpedos para cargas de profundidade também estavam disponíveis PBY consolidado Catalina_item_9_54

Novas fotos do barco voador PBY afundado antes do ataque a Pearl Harbor

Antes de Pearl Harbor ser atacado, outras instalações militares em Oahu foram atingidas. Os bombardeiros visavam especificamente aeronaves para evitar que as forças americanas decolassem e contra-atacassem.

Nove bombardeiros de patrulha Catalina PBY-5 Consolidated da Marinha dos Estados Unidos voam em formação na área do Havaí, por volta de novembro de 1941. Esses aviões, do Esquadrão de Patrulha 14 (VP-14), chegaram a Oahu em 23 de novembro de 1941. O avião mais próximo da câmera é & # 822014-P-1 & # 8221, que em 7 de dezembro de 1941 foi pilotado por Ens. William P. Tanner durante o ataque com USS ala (DD-139) em um submarino anão japonês. A maioria dos outros aviões foram destruídos na Naval Air Station Kaneohe Bay.

Marinheiros da Marinha dos EUA tentam salvar um barco voador Consolidated PBY Catalina em chamas na Naval Air Station Kaneohe Bay em 7 de dezembro de 1941. Este avião foi incendiado por metralhamento na fase inicial do ataque e foi afundado em um ataque posterior. Observe o cão observando o trabalho.

Destroços de aeronaves e um hangar seriamente danificado na Naval Air Station Kaneohe Bay, Oahu, logo após o ataque aéreo japonês. O avião em primeiro plano é um PBY Catalina consolidado do Esquadrão de Patrulha 12, marcado com & # 822012-P-3 & # 8221.

Um barco voador consolidado PBY Catalina da Marinha dos EUA em chamas na Naval Air Station Kaneohe Bay em 7 de dezembro de 1941.

Vídeo dos destroços subaquáticos do barco voador PBY, cortesia dos arqueólogos da NOAA e da Universidade do Havaí.

A nacela do motor de estibordo (alojamento) estendendo-se para o lodo. Crédito: UH Marine Option Program


Aeronaves semelhantes ou semelhantes a Consolidated PBY Catalina

Primeiro modelo de uma série de aeronaves anfíbias de voadores projetadas e construídas pelo fabricante canadense de aeronaves Canadair, e posteriormente produzido pela Bombardier. Um dos poucos aviões anfíbios de grande porte produzidos em grande número durante a era do pós-guerra e o primeiro a ser desenvolvido desde o início como bombardeiro aquático. Wikipedia

Bombardeiro pesado americano, projetado pela Consolidated Aircraft de San Diego, Califórnia. Conhecido na empresa como Modelo 32, algumas aeronaves de produção inicial foram estabelecidas como modelos de exportação designados como vários LB-30s, na categoria de design Land Bomber. Wikipedia

Barco voador anfíbio projetado por Grumman para servir como uma aeronave & quotcommuter & quot de oito lugares para homens de negócios na área de Long Island. Grumman é o primeiro monoplano a voar, sua primeira aeronave bimotora e sua primeira aeronave a entrar em serviço de linha aérea comercial. Wikipedia

Aeronave anfíbia soviética com propulsão turboélice projetada para tarefas anti-submarino e patrulha marítima. Sucessor do barco voador Beriev Be-6, cujas funções principais eram como bombardeiro anti-submarino e patrulha marítima. Wikipedia

Hidroavião anfíbio de grande motor bimotor que foi usado pela Força Aérea dos Estados Unidos, pela Marinha dos Estados Unidos (USN) e pela Guarda Costeira dos Estados Unidos (USCG), principalmente como uma aeronave de busca e salvamento. Redesignado como HU-16 em 1962. Wikipedia

Aeronaves de patrulha marítima e guerra anti-submarina (ASW). Desenvolvido para a Marinha dos Estados Unidos pela Lockheed para substituir o Lockheed PV-1 Ventura e PV-2 Harpoon, e foi substituído por sua vez pelo Lockheed P-3 Orion. Wikipedia

Série de barcos voadores americanos de cabine aberta das décadas de 1920 e 1930. Um desenvolvimento do barco voador Felixstowe F5L da Primeira Guerra Mundial, variantes do PN foram construídas para a Marinha dos Estados Unidos por Douglas, Keystone Aircraft e Martin. Wikipedia

Aeronave anfíbia utilitária projetada e construída pela Beriev Aircraft Company. Comercializado como destinado ao combate a incêndio, busca e salvamento, patrulha marítima, transporte de cargas e passageiros, tem capacidade para 12.000 l de água, ou até 72 passageiros. Wikipedia

Grande bombardeiro de patrulha de barco voador projetado pela Consolidated Aircraft e usado pela Marinha dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial em bombardeios, anti-submarino e funções de transporte. Obsoleto no final da guerra, os Coronados foram rapidamente retirados de serviço. Wikipedia

Biplano britânico dos anos 1930 projetado por Geoffrey de Havilland e construído pela de Havilland Aircraft Company. Operado pela Royal Air Force e muitos outros operadores como uma aeronave de treinamento principal. Wikipedia

PBY Catalina Survivors identifica Catalinas em exibição e inclui designações de aeronaves, status, números de série, localizações e informações adicionais. Barco voador americano bimotor das décadas de 1930 e 1940, projetado pela Consolidated Aircraft Co. Várias variantes foram construídas em cinco fábricas nos Estados Unidos e Canadá. Wikipedia

Aeronave leve de roda traseira de 6 a 11 assentos, bimotor, asa baixa, fabricada pela Beech Aircraft Corporation de Wichita, Kansas. Produzido continuamente de 1937 a novembro de 1969 (mais de 32 anos, um recorde mundial na época), mais de 9.000 foram construídos, tornando-o um dos aviões leves mais usados ​​do mundo. Wikipedia

Bombardeiro pesado quadrimotor desenvolvido na década de 1930 para o Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos. Competindo contra Douglas e Martin por um contrato para construir 200 bombardeiros, a entrada da Boeing (modelo do protótipo 299 / XB-17) superou ambos os concorrentes e excedeu as especificações de desempenho do corpo de aviação & # x27. Wikipedia

Barco voador patrulha americano da Segunda Guerra Mundial e início da Guerra Fria. Projetado para complementar o Consolidated PBY Catalina e PB2Y Coronado em serviço. Wikipedia

Aeronave anfíbia com motor a jato soviético / russo projetada pela Beriev Aircraft Company para a missão de guerra anti-submarina. Suspenso depois de apenas um protótipo ter sido fabricado, com o segundo 70% concluído, devido ao desmembramento da União Soviética. Wikipedia

Barco voador anfíbio americano. Embora apenas 58 tenham sido construídos, eles serviram em uma ampla variedade de funções, incluindo iate aéreo privado, avião comercial, transporte militar e busca e resgate. Wikipedia

Aeronave turboélice de quatro motores anti-submarino e vigilância marítima desenvolvida para a Marinha dos Estados Unidos e introduzida na década de 1960. A Lockheed baseou-se no avião comercial L-188 Electra. Wikipedia

Voador americano construído pela Consolidated Aircraft e utilizado para viagens de passageiros na década de 1930, principalmente no Caribe, operado por empresas como a Pan American Airways. Aeronave capaz de voos sem escalas entre o continente dos Estados Unidos e o Panamá, o Alasca e as ilhas do Havaí. Wikipedia

Barco voador projetado e construído pela empresa British Supermarine Aviation Works. Desenvolvido durante a década de 1930 em nome de seu principal operador, a Royal Air Force. Wikipedia

Aeronave de transporte militar turboélice americana de quatro motores projetada e construída originalmente pela Lockheed. Originalmente projetado como uma aeronave de transporte de tropas, evacuação médica e carga. Wikipedia

Barco voador de reconhecimento anfíbio voado no início da década de 1930. Dois foram construídos com motores diferentes e foram usados ​​pelo Aéronavale para transporte VIP e desenvolvimento de equipamentos até 1938. Wikipedia

Aeronave anfíbia construída originalmente pela Canadair e posteriormente pela Bombardier e pela Viking Aircraft. Baseado no Canadair CL-215 e projetado especificamente para combate a incêndios aéreos, ele pode desempenhar várias outras funções, como busca e resgate e transporte utilitário. Wikipedia

Aeronave anfíbia monomotora britânica projetada para uso militar logo após a Primeira Guerra Mundial. Versões posteriores da aeronave eram conhecidas como Vickers Vulture e Vickers Vanellus. Wikipedia

Revista semanal partwork publicada pela Bright Star Publications (parte da Midsummer Books) no Reino Unido. Custa £ 1,70 para as edições 1–163 e £ 1,80 para as edições 164–218. Wikipedia

Aviões de patrulha marítima do barco voador americano. Monoplano guarda-sol com asa forrada a tecido e casco de alumínio. Wikipedia

Grande barco voador quadrimotor construído nos Estados Unidos no início dos anos 1940 pela Sikorsky Aircraft. Projetado principalmente para o mercado transatlântico de passageiros, com capacidade para mais de 40 passageiros. Wikipedia

Avião de combate americano baseado em porta-aviões da Segunda Guerra Mundial. O caça dominante da Marinha dos Estados Unidos & # x27s na segunda metade da Guerra do Pacífico, superando o mais rápido Vought F4U Corsair, que teve problemas com pousos de porta-aviões. Wikipedia

Avião comercial anfíbio produzido nos Estados Unidos no início da década de 1930. Essencialmente uma versão monoplano ampliada do barco voador biplano Sikorsky S-38, a Pan Am operava o tipo em rotas no Caribe, América do Sul e entre Boston e Halifax. Wikipedia

Aeronave de transporte militar americana desenvolvida a partir do pacote Fairchild C-82 da era da Segunda Guerra Mundial, projetado para transportar carga, pessoal, pacientes de lixo e equipamento mecanizado, e para lançar cargas e tropas em pára-quedas. O primeiro C-119 fez seu vôo inicial em novembro de 1947 e, quando a produção foi encerrada em 1955, mais de 1.100 C-119 já haviam sido construídos. Wikipedia

Barco voador amplamente exportado durante a Segunda Guerra Mundial. Ao longo do conflito, serviu a várias nações diferentes em uma variedade de funções. Wikipedia


Galeria de fotos

Mantenha-se atualizado sobre as últimas novidades da Catalina em todo o mundo!

Páginas populares

Duxford Base Events

DIAS DE VOO: OBRIGADO PAI

EM FLYING DAYS: OBRIGADO PAI

DUXFORD SUMMER AIR SHOW

Duxford Battle of Britain Air Show

No show aéreo da Batalha da Grã-Bretanha em Duxford

Catalina World Events

FLUGPLATZ-CURB 2021

Fête Aérienne - Le Temps des Hélices

Na Fête Aérienne - Le Temps des Hélices

International Sanicole Airshow

International Sanicole Airshow Fundado em 1977, o premiado International Sanicole Airshow planeja e opera o emocionante evento anual familiar, projetado para promover a aviação em todas as suas diferentes dimensões. O ISA homenageia nossa rica herança aérea enquanto usa o poder e a magia do vôo para inspirar os jovens.

No International Sanicole Airshow

Artigos recentes

Comentários recentes

  • Rastreador GPS ao vivo para Miss Pick Up, 9 de junho de 2021
  • World Catalina News & # 8211 de maio de 2021 25 de maio de 2021
  • Photobook comemorativo de Catalina Down Loch Ness Rescue 11 de março de 2021
  • Grandes aviões: Documentário Catalina PBY 23 de fevereiro de 2021
  • The War Boats: Flying Boats Series, Episódio 3 (2012), 19 de fevereiro de 2021
  • G-PBYA Catalina Tour Guided de 2013, 13 de fevereiro de 2021
  • Aeronave de patrulha PBY Catalina (estações de batalha) Documentário da Segunda Guerra Mundial 13 de fevereiro de 2021

e cópia 2021 da Sociedade Catalina. Política de Privacidade
Design do site e hospedagem por Mike Pinder
Foto: @vimarethomas

Boletim Informativo Catalina

Assine a nossa Newsletter e mantenha-se atualizado com as últimas edições do World Catalina News e tópicos relacionados.


PBY Catalina consolidado

o PBY Catalina consolidado foi um barco voador americano das décadas de 1930 e 1940 produzido pela Consolidated Aircraft. Foi uma das aeronaves multifuncionais mais amplamente utilizadas na Segunda Guerra Mundial. Catalinas serviu em todos os ramos das Forças Armadas dos Estados Unidos e nas forças aéreas e marinhas de muitas outras nações.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os PBYs foram usados ​​em guerra anti-submarina, patrulha de bombardeio, escolta de comboio, missões de busca e resgate (especialmente resgate aéreo-marítimo) e transporte de carga. O PBY foi a aeronave mais numerosa de seu tipo e os últimos PBYs militares ativos não foram aposentados de serviço até a década de 1980. Ainda hoje, mais de 70 anos após seu primeiro vôo, a aeronave continua a voar como um bombardeiro de água (ou airtanker) em operações aéreas de combate a incêndios em todo o mundo.

A designação "PBY" foi determinada de acordo com o sistema de designação de aeronaves da Marinha dos EUA de 1922 PB representando "Patrol Bomber" e Y sendo o código atribuído à Consolidated Aircraft como seu fabricante. Catalinas construídas por outros fabricantes para a Marinha dos EUA foram designadas de acordo com diferentes códigos de fabricantes, portanto, exemplos construídos por Vickers canadenses foram designados PBV, Exemplos da Boeing-Canadá PB2B (já havendo um Boeing PBB) e exemplos de Fábrica de Aeronaves Navais foram designados PBN. Catalinas canadenses foram nomeadas Canso pela Royal Canadian Air Force, de acordo com a prática britânica contemporânea de nomear os hidroaviões com o nome de cidades portuárias costeiras, neste caso para a cidade de Canso, na Nova Escócia. A RAF, em contraste, usava o nome Catalina. As Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos e, posteriormente, a Força Aérea dos Estados Unidos usaram a designação OA-10.

Citações famosas contendo a palavra consolidado:

& ldquo Prestígio é a sombra do dinheiro e do poder. Onde eles estão, aí está. Assim como o mercado nacional de sabão ou automóveis e a arena ampliada do poder federal, a área de lucratividade nacional para o prestígio cresceu, lentamente sendo consolidado em um sistema verdadeiramente nacional. & rdquo
& mdashC. Wright Mills (1916 e # 1501962)


Barco voador PBY-3 Catalina consolidado - História

Nosso tratamento da aeronave começou como um relato de minhas provações e tribulações na construção de um kit de modelo de avião de 1948. Desde então, desenvolvemos uma grande variedade de diagramas de patentes para aeronaves históricas, tantos que a página demorava muito para carregar. Em 25 de novembro de 2009, dividimos o material em seis segmentos, correspondendo às seis caixas ou “botões” abaixo. Se você veio de um mecanismo de busca procurando por algo muito específico, clique aqui para o Índice Analítico que permitirá que você encontre um tópico específico.

Esta é a página de barcos voadores, se você estiver interessado em outra coisa, clique em um botão para ir até lá.

Para aqueles que não gostam de botões, vá até o índice analítico para encontrar exatamente o que está procurando.

Olá! Bem-vindo à nossa página sobre esses fabulosos barcos voadores. Se você veio aqui com um propósito específico, aqui estão alguns atalhos úteis

  • Mitologia e realidade dos barcos voadores
    • Parte Um: Aviação Transatlântica
    • Parte Dois: Aviação Transpacífico
    • Curtiss NC-4 Barco Voador Volta ao Mundo
    • Barco Voador P2Y Consolidado
    • Barco voador PBY Catalina consolidado
    • Proposta de Clipper Transoceânica de De Seversky
    • Barco Voador Martin Modelo 130 China Clipper
    • Barco Voador Short-Mayo Composite
    • Barco Voador Boeing B-314 Clipper
    • Barco voador PB2Y Coronado consolidado
    • Barco Voador Martin P5M Marlin
    • Hidroavião de observação Curtiss SOC Seagull
    • Curtiss SO2C Seamew Observation Floatplane

    Isso faz parte de um site geral Retro Lifestyle / Swing Dancing. Temos um Guia para os Tesouros dos anos 1940 e um Calendário de Swing Dance para Washington DC .. Sinta-se à vontade para Contatar-nos se quiser comentar sobre a época de ouro dos modelos de madeira balsa.

    Mitologia e realidade dos barcos voadores

    Tivemos a sorte de obter um grande número de edições da Popular Mechanics durante o período 1932-1939, os pontos-chave na evolução da aviação Transatlântica e Transpacífica.

    Parte Um: Aviação Transatlântica

    Este gráfico mostra a aviação transatlântica no início da década de 1930:

    Três modos de viajar para a Europa
    Clipper para o Brasil, Zeppelin para a Europa, Steamship Home
    Da Popular Mechanics, setembro de 1934
    Clique para ampliar

    No início da década de 1930, as aeronaves simplesmente não tinham resistência para enfrentar o clima difícil e as distâncias através do Atlântico. Lindbergh havia mostrado que era "possível" - mas o vôo altamente arriscado de um aviador solitário não correspondia ao serviço aéreo regular. A maioria das aeronaves mais pesadas que o ar eram barcos voadores. Em 1934, o transporte aéreo comercial começou entre os Estados Unidos e as ilhas do Caribe. Foi possível voar de Miami ao Rio De Janero nos barcos voadores Sikorsky, que ficaram famosos no filme Flying Down to Rio. Ao mesmo tempo, os zepelins alemães operavam um comércio lucrativo, transportando passageiros do Rio para Dakar (o ponto mais próximo entre os hemisférios oriental e ocidental) e daí para a Europa. O tempestuoso Atlântico ainda estava intransitável, então os viajantes voltaram em luxuosos navios a vapor.

    Dirgibles e Steamships
    (à esquerda) Acomodações de luxo no Hindenburg (junho de 1935)
    (à direita) Desenvolvimentos de navios a vapor na década de 1930 (julho de 1938)
    Clique para ampliar

    Nossa revisão resultou em uma série de artigos informativos que lhe darão uma compreensão aprofundada da evolução das viagens aéreas transatlânticas

    Uma olhada nos detalhes técnicos das viagens transatlânticas
    (da esquerda para a direita) Wings Over the Atlantic (março de 1934)
    Wings Over the Spanish Main (novembro de 1935) Diesel in the Air (agosto de 1938)
    Nova York para a Europa por Clipper
    Clique para ampliar

    Aqui estão alguns artigos que tratam de luxo a bordo de alguns aviões de longa distância da década de 1930.

    Acomodações luxuosas em aviões de longa distância
    (à esquerda) Coleção de previsões transatlânticas incomuns
    (meio) Dormindo nas nuvens
    (direita) Pullman of the Air
    Clique para ampliar

    Aqui estão algumas seções de cores maravilhosas que tratam de viagens de longa distância

    Inserções de cores especiais em mecânica popular
    (da esquerda para a direita) Around the World by Air (Parte 1)
    Around the World by Air (Parte 2)
    Virando a esquina na aviação
    (direita) Novos aviões gigantes
    Clique para ampliar

    Para seu prazer de leitura, criamos arquivos ".pdf" para esses artigos interessantes. Eles contêm muitas fotografias que não são vistas com frequência.

    • Clique aqui para baixar "Acomodações de luxo no Hindenburg"
    • Clique aqui para fazer o download de "Desenvolvimentos em navios a vapor de meados da década de 1930"
    • Clique aqui para baixar "US to Europe By Air"
    • Clique aqui para baixar "Wrong Way Corigan"
    • Clique aqui para baixar "Wings Over the Atlantic"
    • Clique aqui para baixar "Wings Over the Spanish Main"
    • Clique aqui para baixar "Diesel in the Air"
    • Clique aqui para baixar "New York to Europe by Clipper"
    • Clique aqui para baixar "Coleção de previsões transatlânticas incomuns"
    • Clique aqui para baixar "Asleep in the Clouds"
    • Clique aqui para baixar "Around the World by Air (Parte 1)"
    • Clique aqui para baixar "Around the World by Air (Parte 2)"
    • Clique aqui para fazer o download de "Around the Corner in Aviation"
    • Clique aqui para baixar "Giant New Airliners"

    Parte Dois: Aviação Transpacífico

    Este gráfico mostra a aviação Transpacífico durante a "Era de Ouro dos Barcos Voadores":

    Ilha Hopping
    Observe que a ilha pára.
    . em breve se tornará um importante campo de batalha da segunda guerra mundial
    Da Popular Mechanics, abril de 1935
    Clique para ampliar

    As distâncias no Pacífico são vastas. Dada a gama limitada de barcos voadores da década de 1930, é uma sorte que houvesse uma série de paradas nas ilhas onde os aviões podiam reabastecer e se refugiar em climas hostis. Os EUA não foram o único país a reconhecer o valor de ilhas estrategicamente localizadas. Honolulu, Midway, Wake, Guam e Luzon eram todos invejados pelos japoneses e faziam parte de seu plano de conquista. Custou muitos, muitos milhares de vidas americanas para recuperar essas ilhas.

    Nossa revisão resultou em uma série de artigos informativos que fornecerão a você uma compreensão aprofundada da evolução das viagens aéreas Transpacífico

    Aqui estão dois artigos que apresentam a estrutura geral da aviação Transpacífico e o papel muito importante da previsão do tempo. Para lhe dar mais informações sobre a cobertura de longas distâncias com aeronaves, também incluímos uma olhada na construção de uma companhia aérea Trans_Canada.

    Fundamentos da aviação transpacífica
    (esquerda) Wings Over the Pacific (junho de 1935)
    (Médio) Trans-Canada Airline (maio de 1937)
    (à direita) How Flying Clippers Dodge Storms (maio de 1938)
    Clique para ampliar

    As vastas distâncias significavam que os aviões tinham que ser projetados para transportar um número bastante grande de passageiros comerciais. Os barcos voadores do Pacífico eram chamados de "Clippers" em homenagem aos antigos e graciosos veleiros do comércio de chá. Eles estavam entre os maiores aviões e chamaram a atenção do público.

    Tamanho Importa
    (à esquerda) Novos gigantes para as companhias aéreas (fevereiro de 1938)
    (meio) Hotels on the Wing (março de 1939)
    (à direita) Future Titans of the Skies (dezembro de 1936)
    Clique para ampliar

    Nossa revisão resultou em dois artigos sobre como os novos pilotos foram treinados para atender às demandas da aviação Transpacífico.

    Treinamento de Voo
    (à esquerda) Learning to Fly the Clippers (dezembro de 1936)
    (à direita) Voando no China Clippers (março de 1939)
    Clique para ampliar

    Havia um fascínio pelos Test Pilots - jovens corajosos que assumiram riscos sem precedentes. Esses camaradas foram romantizados em filmes como Piloto de Teste (Clark Gable e Myrna Loy) a The Right Stuff. Eventualmente, o piloto de teste deu lugar ao astronauta como um herói popular.

    Romantizando o piloto de teste
    Clique para ampliar

    Aqui estão vários artigos da década de 1930 sobre pilotos de teste.

    Pilotos de teste
    (à esquerda) Thrills of the Navy Test Pilots (agosto de 1937)
    (à direita) Teste de vôo dos Sky Giants (maio de 1939)
    Clique para ampliar

    For your reading pleasure, we have created ".pdf" files for these interesting articles. They contain a lot of photographs that are not often seen.

    • Click Here to download "Wings Over the Pacific"
    • Click Here to download "Building a Trans-Canada Airline"
    • Click Here to download "How Clippers Dodge Storms"
    • Click Here to download "New Giants for the Airlines"
    • Click Here to download "Hotels on the Wing"
    • Click Here to download "Future Titans of the Skies"
    • Click Here to download "Learning to Fly the Clippers"
    • Click Here to download "Flying the China Clippers"
    • Click Here to download "Thrills of the Navy Test Pilots"
    • Click Here to download "Test Flying the Sky Giants"

    Flying Boats and Patents

    A flying boat is a specialised form of aircraft that is designed to take off from and land on water, using its fuselage as a floating hull. Such aircraft are sometimes stabilised on water by underwing floats or by wing-like projections from the fuselage. Flying boats are distinguished from floatplanes because they use the fuselage to provide the main buoyancy of the aircraft.

    Flying boats were some of the largest aircraft of the first half of the 20th century. Their ability to "land" on water allowed them to break free of the size constraints imposed by general lack of large, land-based runways, and also made them important for maritime patrol and air-sea rescue, capabilities put to great use in World War II. Following World War II, their use gradually tailed off, with many of the roles taken over by land aircraft types.

    The flying boat was glamorized in the movies, especially in the Astaire-Rogers hit Flying Down to Rio. These planes provided luxury accommodations (including sleeping compartments) for the long journey to exotic places in the Orient.

    In the 21st century, flying boats maintain a few niche uses, such as for dropping water on forest fires and for air transport around archipelagos.


    Curtiss NC-4 "Atlantic Crossing" Flying Boat

    On the Cover of Model Airplane News

    Curtiss NC-4 "Atlantic Flying Boat"
    Model Airplane News Cover Art for May, 1969
    by Tom Wilbur, USN
    Click to Enlarge

    The NC-4 was a Curtiss NC flying boat, designed by Glenn Curtiss and manufactured by Curtiss Aeroplane and Motor Company. In May 1919 the NC-4 became the first aircraft to fly across the Atlantic Ocean, making the crossing as far as Lisbon in 19 days, with multiple stops along the way. The accomplishment was largely eclipsed in public memory by the first non-stop trans-Atlantic flight, lasting 15 h 57 min, made by British pilots Alcock and Whitten-Brown two weeks later.

    Curtiss NC-4 Flying Boat
    Warships posted every 50 miles.
    Click to Enlarge

    The US Navy Transatlantic flying expedition began on May 8. The NC-4 was originally in the company of two other NC Flying Boats, the NC-1 and the NC-3 (NC-2 having been 'cannibalised' for spares to repair NC-1 before leaving New York). They left Naval Air Station Rockaway, New York, with intermediate stops in Cape Cod, Massachusetts, Chatham, Massachusetts and Halifax, Nova Scotia before reaching Trepassey, Newfoundland on May 15, 1919. Eight US Navy ships were stationed along the eastern seaboard to help the flying boats to navigate and to assist them if required.

    On May 16 they left for the longest leg of their journey, to the Azores, with a further twenty-two US Navy warships stationed at 50 mile (80 km) intervals along the route. These 'station' ships were brightly illuminated, had their searchlights on and fired flares to help the crews to keep to the intended route. The NC-4 reached Horta in the Azores on the following afternoon, 1,200 miles and 15 hours 18 minutes later, having encountered thick fogbanks along the route the NC-1 and the NC-3 were both forced to land at sea due to rough weather the crew of the NC-1 was rescued by the Greek freighter Ionia, the NC-1 sinking three days later. the crew ( including future Admiral Marc "Pete" MIscher ) of the NC-3 managed to taxi their flying-boat to the Azores, where it was taken in tow by a US Navy warship.

    Curtiss NC-4 Technical Details
    Patent No. 1,351,742
    Click to Enlarge

    Click Here for more information about the Curtiss NC-4 Flying Boat.


    Consolidated P2Y Flying Boat

    Captain Dick Richardson and Isaac M. 'Mac' Laddon, who were to occupy a significant place in the history of Flying Boats) designed a large parasol-wing flying boat for a Navy contract competition in 1928. Initially, the plane was powered by three engines. It was designated the "P1Y" and had the popular name "Admiral".

    ON THE COVER OF MODEL AIRPLANE NEWS

    Consolidated P1Y1 "Admiral" Flying Boat
    Model Airplane News Cover Art for February, 1934
    by Jo Kotula
    Click to Enlarge

    The first version had a single tail. With the availabilty of more powerful engines, the "Admiral" evolved into a two-engine airplane. A twin-tail was necessary to maintain appropriate controls. This aircraft, designated the P1Y2 was also called the "Admiral". The essential characteristics of this model are the open cockpit and un-cowled engines.

    Real Plane

    Click to Enlarge

    The prototype made its first flight in 1929. Although Consolidated won the design contest, the production contract was opened to other bidders. This was a byproduct of standard naval procurement methods of the 1920s, whereby rights to a particular aircraft design became the property of the Navy and could ultimately be produced by any of its airframe contractors. based on cost considerations, the Navy Bureau of Aeronautics ( BuAer ) directed Martin to slightly reconfigure the design and ordered it into limited production in 1931-32 as the P3M, with three delivered as the P3M-1 and six as the P3M-2. The Glenn L. Martin Company submitted the low bid and was awarded the contract to construct the plane as the Martin P3M-1 and P3M-2.

    Martin P3M
    The low bidder.
    Click to Enlarge

    In 1931, the Navy conracted with Consolidated for an improved version, designated the Model 22 P2Y Ranger. It incorporated features such as an enclosed flight deck and cowlings on the motors. The Navy ordered 23 of these aircraft. The P3Ms operated alongside Consolidated's analogous P2Y production series, marking the beginning of a heated rivalry between Martin and Consolidated over various flying boat contracts during the 1930s.

    Patent Diagrams for the Consolidated P2Y Flying Boat
    Design Patent D-93,230
    Click to Enlarge
    Click Here to learn how to get free patent diagrams

    Click Here for more information about the Consolidated P1Y1 and P2Y Flying Boats.


    Consolidated PBY "Catalina" Flying Boat

    The Catalina was the most successful (and numerosu) flying boat in aviation history. It served extensively throughout World War II as a search and rescue plane, even (at times) delivering bombs. It began life as the Consolidated Model 28, designed by Isaac Laddon in late 1933.

    ON THE COVER OF MODEL AIRPLANE NEWS

    Consolidated PBY "Catalina"
    Model Airplane News Cover Art for April, 1944
    by Jo Kotula
    Click to Enlarge

    The prototype first flew in 1935 and had distinctive features, most notably, the parasol wing with no supporting structures. This absence of struts and bracing wires offered an immediate improvement in performance. Another new feature was the introduction of stabilising floats which retracted in flight to form the wingtips. Initial trials of the prototype left little doubt that the Navy was about to acquire a significant aircraft. PBY-1 began to enter squadron service in 1937 and by mid-1938 14 squadrons were operational.

    Consolidated PBY "Catalina" Flying Boat
    Click to Enlarge

    Initial export aircraft went to Russia, where the type was built subsequently in large numbers under the designation GST. The RAF acquired a single example for evaluation in 1939 and almost immediately ordered a batch of 50, the first of many to serve with Coastal Command. The name Catalina (adopted first by the RAF) was used later by the USN for the various versions which entered service. The type was also to serve with the RAAF, RCAF, RNZAF and the air arm of the Dutch East Indies. Many Catalinas remained in service for air-sea rescue for some years after the end of the war

    Patent Diagrams for the Consolidated PBY Catalina
    Design Patent D-92,912
    Click to Enlarge
    Click Here to learn how to get free patent diagrams

    The PBY was a very popular subject in the mass media from its unique retractable wing floats to its use in search and rescue. Here are three articles from the mid-1930s as found in our review of Popular Mechanics .

    Consolidated PBY Catalina in the Media
    (Left) June, 1939 (middle) May, 1937 (right) April, 1936
    Click to Enlarge

    Here is a video that has a "walk around" and takeoff of a restored PBY:

    Click Here for more information about the Consolidated PBY "Catalina" Flying Boat.


    DeSeversky Proposed Transoceanic Clipper

    Jo Kotula was famous for selecting airplanes that were photogenic for the cover of Model Airplane News. On many occasions, they proved to be fabulous flops. This is the only instance that I can find where Kotula illustrated something that didn't exist, a fantastic transatlantic clipper design.

    ON THE COVER OF MOODEL AIRPLANE NEWS

    Seversky Transoceanic Clipper
    Model Airplane News Cover Art for August,1938
    by Jo Kotula
    Click to Enlarge

    Flamboyant designer Alexander De Seversky had some success with a series of small flying boats, culminating in a four-engine airplane that was intended for Trans-Pacific flights, as shown in these photos from Popular Mechanics in 1935.

    Seversky Pacific Clipper
    From Popular Mechanics July, 1935
    Click to Enlarge

    Severskyproposed a fantastic trans-oceanic super clipper in response to Pan American Airways invitation for bids for a Transatlantic aircraft capable of a 5000 mi range, payload of 25,000 lbs, and 200 mph cruise speed. At this time, Pan Am was about to take delivery on the Boeing 314 boats which were just being built. The Seversky proposal was a gigantic 8 engine monstrosity. As shown in the patent diagrams and cover of Model Airplane News, it looked like a gigantic P-38 with a wingspan of 250 feet. The two booms have installed at their forward end two 2000 hp Allison engines geared to drive a single prop, one on each boom. These booms would also accommodate a number of passengers. The booms end in twin fins and rudders and are connected by a stabilizer-elevator.

    Seversky Transoceanic Clipper Design Patent D-112,834
    Click here to download this design patent in its entirety
    Click to Enlarge

    The center nacelle would contain the flight deck and crew quarters. The rear of the nacelle would mount two more Allisons again geared to drive a single pusher prop. The wing section between the booms would contain more passenger accommodations and staterooms. The outboard wing sections would carry more passengers and also mount two more 2000 hp Allisons each driving a pusher prop, for a total of eight engines. Mounted on the bottom of the twin booms are two immense floats, which are retractable into the bottom of the booms operated by a hydraulic system. The floats also provide space for cargo.

    Projected Performance Figures:

    • Top speed: 300 mph
    • Cruise: 200 mph
    • Range: 5000 mi.
    • Payload: 43,000 lb.
    • Fuel Cap: 17,000 gal.
    • Passengers: 200
    • Crew: 16

    Apparently, Seversky was quite serious about this thing, claiming that 174 engineers were assigned to do a design study. The only contemporary record of the proposed clipper is a photograph showing Seversky with a scale model of the aircraft. That, and the patent diagrams -- he put at least enough people on the job to get a design patent. While researching this, we found an article that appeared in the Pittsburgh Post Gazette on July 25, 1942 in which Col. de Seversky discusses his views on air power.

    Article on Air Power by Col. De Seversky
    Pittsburgh Post-Gazette July 25, 1942
    Click to Enlarge

    Walt Disney took him seriously enough to produce an animated feature called Victory Through Air Power, which you may watch by clicking the link. Col. De Seversky appears in the film.


    Martin Model 130 "China Clipper" Flying Boat

    The Martin 130 was a large four-engined monoplane flying-boat designed for transoceanic services. Three were built for Pan American Airways in 1935 and on 21 October 1936 began operating over the Pacific from San Francisco to Manilla, Philippine Islands. Two were requisitioned by the US Navy in 1942. It had a twin-tail sister, as our reader Jamie explains:

    ". The M-156 (twin-tail) was a follow on aircraft built for the next Pan Am flying boat contract. Martin lost the contract to Boeing and the marvelous B-314. The twin tail M-156 was sold to the Soviet Union where it saw many years of Aeroflot service . The Russians called it the Martin Ocean Transport, Martin's original name, and bristled at the more Western name, The Russian Clipper. The Soviets hated Juan Trippe for the capitalist he was. "

    Martin Model 130 "China Clipper"

    Martin Model 156 "Russia Clipper"
    Check out Jamie's Website
    Click to Enlarge

    The hull was of advanced design and the result of exhaustive testing of models. Lateral buoyancy was provided by stub wings or 'seawings' instead of the conventional sponsons or outboard stabilising floats. Accommodation was provided for a crew of four and 36-48 daytime passengers or 18 sleeping bunks for night flying.

    Patent Diagrams for the Martin "China Clipper"
    Design Patent D-91,634
    Click to Enlarge
    Click Here to learn how to get free patent diagrams

    Here is a video of the China Clipper as it arrives in Manilla on ts first flight:

    In the May 10, 1937 issue, LIFE Magazine published a biographical story on Glenn Martin that includes some contemporary accounts of the China Clipper. Click here to download a ".pdf" of this article. Click Here for more information about the Martin China Clipper .


    Short-Mayo Maia - Mercury Composite

    The Short-Mayo Composite
    This really dazzled the public in 1938
    The Pulp Magazines had a field day (e.g. Feb 1938 issue of Flying Aces )
    There is actually a video of this!
    Click to Enlarge

    The Short Mayo Composite was a piggy-back long-range seaplane/flying boat combination produced by Short Brothers to provide a reliable long-range air transport service to the United States and the far reaches of the British Empire and the Commonwealth. Short Brothers had built flying boats which were capable of operating long range routes across the British Empire but could only attempt the trans-Atlantic route by replacing passenger and mail-carrying space with extra fuel. It was known that aircraft could maintain flight with a greater load or for a longer distance if it did not have to expend energy on takeoff. Thus, Major Robert H. Mayo, Technical General Manager at Imperial Airways (and later a designer at Shorts) proposed mounting a small, long-range seaplane on top of a larger carrier aircraft, using the combined power of both to bring the smaller aircraft to operational height, at which time the two aircraft would separate, the carrier aircraft returning to base while the other flew on to its destination. We were fortunate to find an article in Popular Mechanics that described how this was actually done (with illustrations):

    Technology of the he Short-Mayo Composite
    . in Popular Mechanics November, 1937>BR> Click here to download a ".pdf" of the entire article
    Click to Enlarge

    The Short-Mayo composite project comprised the Short S.21 Maia , a modified S.23 C class flying-boat, and the Short S.20 Mercury seaplane, the latter attached to a pylon mounted on top of the fuselage of the former. This is almost impossible to describe in words. Fortunately, through the magic of YouTube, the actual newsreel accounts of this unusual experiment are available. In the main, the experiment was very successful given the state of aviation in 1938.

    Without further ado, here is the actual newsreel footage

    Click here to learn more about the Short-Mayo composite experiment.


    Boeing B-314 Clipper Flying Boat

    In 1935,Pan American Airways asked Boeing to design a new airplane for the lucrative transatlantic route. Boeing's designers based their work on the XB-15 heavy bomber, adapting the wing and horizontal tail surfaces to a flying-boat that could accommodate 74 passengers.

    Boeing B-314 Clipper

    Click to Enlarge

    The first Boeing 314 flew in 1939. The plane began with a single fin and rudder (as shown in the patent diagram) but directional stability requirements led to the eventual triple-tail design shown in the publicity photo above and in the historical video, below:

    In addition to Pan Am, BOAC also flew the Boeing 314. A total of seven of these airplanes were built.

    Patent Diagrams for the Boeing B-314 Clipper
    Design Patent D-101,707
    Click to Enlarge
    Click Here to learn how to get free patent diagrams

    Click Here for more information about the Boeing B-314 Clipper .


    Consolidated PB2Y "Coronado" Flying Boat

    The prototype of the Coronado was delivered to the Navy in 1938. After service trials it served as Flagship of Aircraft, Scouting Force, The first production models went into service in 1941and remained in production until 1944 as a long-range patrol-bomber flying-boat

    Consolidated PB2Y "Coronado"
    (right) From Popular Mechanics ,December, 1938
    Click to Enlarge

    Many Coronado flying-boats were converted into transports to carry 44 passengers 3,000 lb of cargo or 24 passengers and 1,9800 lb. of cargo. A naval ambulance version of the Coronado was also produced accommodating 25 stretchers. A total of 210 PB2Y-3 were built, ten of which were acquired by RAF Transport Command for transatlantic freight carrying

    Patent Diagrams for the Consolidated PB2Y Coronado
    Design Patent D-130,474
    Click to Enlarge
    Click Here to learn how to get free patent diagrams

    Here is a video of the Coronado in action:

    Click Here for more information about the Consolidated PB2Y "Coronado" .


    Martin P5M "Marlin" Flying Boat

    The Mariner evolved from the successful PBM Mariner,combining the wing and upper hull of the Mariner with alower hull structure.

    Martin P5M "Marlin"

    Click to Enlarge

    The modified hull incorporated radar-directed nose and tail turrets, as well as a power-operated dorsal turret. This prototype flew in 1948, but the P5M-1 was not ordered into production until 1950, and the type remained in service until the mid-1960s.

    Patent Diagrams for the Martin P5M "Marlin"
    Design Patent D-159,788
    Click to Enlarge
    Click Here to learn how to get free patent diagrams

    Here is a video showing lots of views of the Marlin:

    Click Here for more information about the Martin P5M "Marlin" .


    Curtiss SOC "Seagull" Observation Floatplane

    The Curtiss SOC Seagull was a United States single-engined scout observation biplane aircraft designed by Alexander Solla of the Curtiss-Wright Corporation for the United States Navy. The aircraft served on battleships and cruisers in a seaplane configuration, being launched by catapult and recovered from a sea landing. The wings folded back against the fuselage for storage aboard ship. When based ashore the single float was replaced by fixed wheeled landing gear.

    Curtiss SOC "Seagull"
    Observation Floatplane
    right: June 1964 Cover of Model Airplane News , drawing by Jo Kotula
    Click to Enlarge

    Curtiss produced 258 SOC aircraft, beginning in 1935. The SOC-3 design was the basis of the Naval Aircraft Factory SON-1 variant of which 64 were maded.

    Curtiss "Seagull" Patented Float Gear
    Patent No. 2,064,674
    Click to Enlarge

    By 1941, most battleships had transitioned to the Vought OS2U Kingfisher and cruisers were expected to replace their aging SOCs with the third generation SO3C Seamew (below). However, the SO3C suffered from a weak engine and plans to adopt it as a replacement were scrapped. The SOC, despite being a craft from an earlier generation, went on to credibly execute its missions of gunfire observation and limited range scouting missions.

    When operating from ocean vessels, returning SOCs would land on the relatively smooth ocean surface created downstream of the vessel as it made a wide turn, after which the aircraft would be winched back onto deck. Here is a video showing the operation of a SOC from the Cruiser USS St. Louis:

    Click Here for more information about the Curtiss SOC "Seagull" Observation Floatplane.


    Curtiss SO3C "Seamew" Observation Floatplane

    In 1937 the US Navy invited proposals for the design of a scout monoplane which would offer improved performance over the Curtiss SOC Seagull then in operational service. one requirement was that the plane had to be capable of operating from either ships at sea or land bases. This meant that easily interchangeable float/wheel landing gear was essential. The prototype had serious instability problems that were resolved by introducing upturned wingtips and increased tail surfaces. The amount of increased tail surface is shown clearly in the patent drawings below. The resulting aircraft was almost certainly the ugliest aircraft to be produced by the Curtiss company.

    Curtiss SO2C "Seamew"

    Click to Enlarge

    The SO3C-1 entered service on board the USS Cleveland 1942 300 were built before production switched to the SO3C-2 with equipment for carrier operations, including an arrester hook, plus an underfuselage rack on the landplane version to mount a 150 lb. bomb. The total production run of the latter plane was 456 of which 250 were allocated to the UK under Lend-Lease, In British service these aircraft were designated Seamew, a name adopted subsequently by the US Navy

    The unsatisfactory performance of the SO3C-1 in the US Navy led to their withdrawal from first-line service. Many were converted for use as radio-controlled targets under the designation SO3C-1K, 30 being assigned to the UK, by whom they were designated Queen Seamew and used to supplement the fleet of de Havilland Queen Bee target aircraft.

    Patent Diagrams for the Curtiss SO2C "Seamew "
    (left) Floatplane version, Design patent D-126,523
    (right) Landplane version, Design Patent D-137,610
    Click to Enlarge
    Click Here to learn how to get free patent diagrams


    Assista o vídeo: Mazury Air Show Giżycko 2018 PBY Catalina (Julho 2022).


Comentários:

  1. Chadwick

    Eu acho que você não está certo. Eu sugiro isso para discutir. Escreva para mim em PM, vamos nos comunicar.

  2. Set

    É uma mensagem notável, bastante valiosa



Escreve uma mensagem